A guerra do Fogo

O filme “A Guerra do Fogo” é uma produção franco-canado-estadunidense de 1981, colocado dentro dos gêneros drama, ação e aventura. Foi dirigido por Jean-Jacques Annaud, e teve roteiro de Gérard Brach, sendo baseado no romance La Guerre du feu, de J.-H. Rosny Aîné.

O filme retrata a época de 80.000 a.C. Este período é conhecido pelo nome latino paleolítico, que significa pedra lascada. É possível perceber que existem quatro grupos de hominídeos no filme. A primeira tribo, tribo A, composta por primitivos que se comunicavam através, predominantemente, de gestos, cobriam o corpo com peles de animais e não dominavam o fogo.

A tribo B, por sua vez, era pouco evoluída e não se diferencia dos macacos, pois se comunicavam exclusivamente por gestos e tinham o corpo coberto por pelos. Já a tribo C, antropófaga, embora tivesse o corpo coberto por pelos também usava peles de animais como vestimenta, não sabemos se sabia fabricar fogo. Finalmente, a tribo D, parece ser o grupo mais complexo, sabe fabricar o fogo, armas de guerra e caça, mora em tabas, pinta o corpo e dominam o riso. É desta tribo a mulher.

A principal diferença entre as tribos está no domínio do fogo. Outro ponto relevante é o nível de complexidade da linguagem empregada pelas tribos: quanto mais elaborada a língua mais complexa são as suas praticas sociais.

O fogo é o elemento central do filme, o grupo mais desenvolvido dominava a técnica de fazê-lo, enquanto os demais o cultuavam e o tratavam como algo sobrenatural. É pelo fogo que as tribos entravam em conflitos.

De acordo com Piletti e Piletti (1990, p. 14.) as cerimônias de iniciação também possuíam valores educativos especiais em algumas tribos. Alguns ritos eram breves e outras duravam anos. O animismo igualmente tem presença constante na educação primitiva. Os primeiros educadores eram feiticeiros, xamãs, esconjuradores ou homens que consultavam os espíritos. A educação era feita pelos mais velhos que tinham relações espirituais com os antepassados da tribo.

A educação sempre existiu, mesmo fora da escola. Os povos primitivos tinham sua educação através da imitação, da mimese, assim como as crianças que nos primeiros anos de vida, imitam, mimetizam, os adultos. Por exemplo, no filme é possível perceber como acontecia a aprendizagem naquele período, quando a tribo A aprende a produzir o fogo vendo a mulher da tribo D o confeccionando, min. 94:05. Esta cena nos revela outro aspecto do processo de ensino-aprendizagem primitivo.

Com efeito, o que se pode observar é que além da imitação, as trocas culturais, no caso entre as tribos A e D, favoreciam o aprendizado. Ao final do longa-metragem temos ainda uma cena em volta do fogo, é a cena do relato épico, min. 94:34, em forma de narrativa oral, contando as aventuras dos três heróis da tribo em busca do fogo. Portanto esta última forma de ensino e aprendizado possibilitou a produção do conhecimento. Foi preciso desenvolver a linguagem para o saber se propagar.

Gostou do conteúdo e ficou interessado em saber mais? Siga acompanhando nosso portal e fique por dentro de todas nossas publicações. Aproveite também para conhecer nossos cursos e ampliar seus conhecimentos.

Receba novidades dos seus temas favoritos

Se aprofunde no assunto!
Conheça os cursos na área da Educação.

Mais artigos sobre o tema

Educação

O saque no volei

O Voleibol, também conhecido como Vôlei, é um dos esportes coletivos mais difundidos e praticados no Brasil. Faz parte da grade curricular da Educação Física

ler artigo »