Classificação dos Fototipos Cutâneos na Escala de Fitzpatrick

Para a realização segura da depilação a laser precisamos conhecer a classificação dos fototipos cutâneos. Essa classificação, baseada na reação da pele frente à exposição solar, é importante para determinar o nível de risco de manchas na pele associadas à depilação a laser.

Você se lembra?

A coloração da pele é dada pelos melanócitos, células presentes na pele, que são responsáveis pela produção de um pigmento chamando melanina. A melanina é a substância que determina a coloração da pele.

Todos os indivíduos, independentemente da raça, possuem quantidades semelhantes de melanócitos. O que difere a coloração de brancos e negros é a capacidade de produção de cada um. Negros possuem melanócitos com atividade celular mais acentuada.

Como regra geral, peles mais claras quase nunca desenvolvem hiperpigmentações pós-inflamatórias, sendo excelentes candidatas à depilação a laser. Pessoas com pele mais escuras têm possibilidades maiores de desenvolver hiperpigmentação pós-inflamatória. Existem equipamentos específicos para serem utilizados em pessoas morenas.

Além disso, pessoas com pele clara e pelos escuros alcançam resultados melhores e mais rápidos ao realizar a depilação a laser devido ao contraste de coloração entre pelo e pele.

A escala de Fitzpatrick foi desenvolvida na década de 70 por um médico americano da Escola de Medicina de Harvard. Trata-se de uma classificação para os tipos de pele, baseada na cor da pele e na reação a exposição solar.

A pele pode ser agrupada em seis fototipos cutâneos diferentes:

Fototipo I: 

Indivíduo extremamente branco, com pele clara, olhos azuis e cabelos loiros. Podem ser sardentos. Quando expostos ao sol se queimam com muita facilidade e nunca se bronzeiam. Pele considerada muito sensível.

Fototipo II: 

Indivíduo branco, com pele clara, olhos azuis, verdes ou castanhos claros e cabelos loiros ou ruivos. Quando expostos ao sol se queimam com facilidade e bronzeiam muito pouco. Pele considerada sensível.

Fototipo III

Indivíduo moreno claro. Pode possuir olhos claros ou não, porém sempre com cabelos um pouco mais escuros que o fototipo anterior. Quando expostos ao sol, queimam e bronzeiam moderadamente. Pele com sensibilidade considerada normal.

Fototipo IV

Indivíduo moreno moderado. Possui pele clara ou morena clara, cabelos castanhos escuros e olhos escuros. Quando expostos ao sol queimam-se pouco e bronzeiam-se com facilidade. Pele com sensibilidade considerada normal.

Fototipo V

Indivíduo moreno escuro. Possui pele morena escura, cabelos escuros e cacheados. Quando expostos ao sol raramente se queimam e se bronzeiam bastante. Pele com sensibilidade considerada baixa (pouco sensível)

Fototipo VI

Indivíduo negro. Possui pele e olhos negros. Cabelos negros e crespos (étnicos). Quando expostos ao sol nunca se queimam uma vez que a sua pele é totalmente pigmentada. Pele considerada insensível.

Nesse momento você já teve contato com a anatomia e a fisiologia de estruturas envolvidas no processo de desenvolvimento dos pelos e consequentemente também relacionadas ao processo de depilação.

O sistema tegumentar subdivide-se em três componentes: pele, hipoderme e anexos cutâneos. A pele está subdividida em epiderme (formada por tecido epitelial avascular) e derme (formada por tecido conjuntivo de sustentação e vascularizada). Logo abaixo da pele está a hipoderme, que é uma camada de tecido adiposo (gorduroso). Infiltrados na pele e hipoderme estão os anexos cutâneos (pelos, glândulas sebáceas e sudoríparas e unhas).

Vimos também que o pelo é uma matéria semiviva que recobre determinadas partes do corpo com função protetora. Para a depilação, trabalhamos com os pelos terminais que são mais grossos, resistentes e tem maior comprimento.

Também são mais pigmentados e localizados em regiões como axilas, região pubiana, pernas, tórax e abdômen masculino, entre outros locais.

Os pelos do nosso corpo crescem em três fases sucessivas: anágena (fase de crescimento – 85% dos pelos estão nesta fase); catágena (fase em que o crescimento já terminou, sendo o período ideal para se realizar a depilação – 10% dos pelos estão nesta fase) e telógena (fase em que o pelo enfraquece e cai, surgindo um novo pelo – 5% dos pelos estão nesta fase).

Você aprendeu que para a realização segura da depilação a laser precisamos conhecer a classificação dos fototipos cutâneos para determinar o nível de risco de manchas na pele associadas à depilação a laser. Para tanto, utilizamos a escala de Fitzpatrick que classifica a pele em seis fototipos de acordo com a sua coloração e a reação da pele frente a exposição solar. A pele mais clara possível está agrupada como fototipo I e a mais escura possível como fototipo VI.

Gostou do conteúdo e ficou interessado em saber mais? Siga acompanhando nosso portal e fique por dentro de todas nossas publicações. Aproveite também para conhecer nossos cursos e ampliar seus conhecimentos.

Receba novidades dos seus temas favoritos

Se aprofunde mais no assunto!
Conheça os cursos na área da Biologia.

Mais artigos sobre o tema