Contenção: O que é?

A contenção consiste em imobilizar os animais de interesse doméstico, assim como os bovinos, caprinos, ovinos, equinos para diversos fins, ou seja, seja para um simples exame, aplicação de medicamentos, abate ou outros. É claro que, em animais menores, a contenção, imobilização ou derrubamento são tarefas bem mais simples. Em um grande bovino ou mesmo em bezerros, estes procedimentos requerem técnicas mais específicas, pois não é tão simples imobilizar um touro, por exemplo, “no braço”.
A prática de contenção de bovinos é extremamente necessária e utilizada regularmente em todos os locais onde se trabalhe com esses animais. Tanto os técnicos, fazendeiros, peões, médicos veterinários ou qualquer um que necessite que os animais fiquem total ou parcialmente contidos ou imobilizados, terão que adotar procedimentos de contenção.

Para a contenção de bovinos, por exemplo, é utilizada em fazendas, sítios, abatedouros ou por profissionais como os médicos veterinários. Pode ser realizada de diversas maneiras e, muitas vezes, implica no derrubamento do animal, para que um determinado tipo de imobilização seja realizado. No caso dos bovinos, os métodos de contenção mais utilizados são aqueles destinados à prevenção de coices, imobilização para a descorna, para a coleta de sêmen, castração, entre outros.

Muitas vezes, como no caso de exames mais detalhados, a contenção é relativamente simples, ficando o animal em pé. Entretanto, em outras ocasiões, é necessário que o animal seja derrubado e contido, isto é, amarrado, para que se mantenha em uma determinada posição.
Em geral, no caso dos animais leiteiros, devido ao temperamento dócil desses bovinos, a contenção e o derrubamento acontecem de uma maneira relativamente fácil, sem que seja necessária a aplicação de medidas mais enérgicas.

A contenção mais simples é a da cabeça, que pode ser feita até mesmo com as mãos ou com a utilização de cabrestos ou cordas. Outro ponto importante sobre as formas de conter esses animais é a utilização de cercas ou esteios. No caso da imobilização utilizada para a descorna, é comum se utilizar um esteio, para amarrar o animal e assegurar que este não se moverá o suficiente para atrapalhar a descorna ou mesmo para a realização de alguns exames.

São muitas as formas de contenção, utilizando-se cordas, guias nasais, esteios, cercas, piquetes, cangalhas, etc. Cada método deve ser utilizado corretamente e apenas visando à tarefa a ser realizada. O cuidado é muito importante, para que não aconteçam acidentes que venham a machucar ou ferir o animal.

O criador, funcionário ou técnico deve se informar sobre os métodos mais indicados às suas necessidades e praticar com o auxílio de alguém com uma boa experiência. Um derrubamento mal feito, por exemplo, pode resultar em uma fratura ou torção nos membros do animal que, devido ao seu grande peso, pode ficar até mesmo sem condições de recuperação, ato que prejudique a sanidade do animal não é desejável.

Eis algumas limitações e cuidados na contenção dos animais de interesse zootécnico:

• Primeiro ponto, deve se aproximar do animal pelo lado, calmamente e com atenção.
• A forma de contê-lo para realizar a castração, o amanse e o treino destes animais, deve ser de forma a adaptá-los ao sistema de trabalho e às ordens recebidas.
• Os acessórios como os arreios, quando inadequados ou incômodos, geralmente provocam ferimentos e tornam os animais agressivos.
• Em atividades agrícolas, em que se utiliza animais, é necessário que não se conduza os animais com a corda amarrada na cintura ou no braço, pois pode-se ocasionar um movimento inesperado que poderá derrubá-lo.

Alguns equipamentos e acessórios utilizados para contenção de animais:

• Mourão: utilizado para animais indóceis, a serem submetidos a tratamento ou principalmente em abate à martelada.
• Brete: também conhecido como tronco ou manga de contenção – usado na ferração, castração, vacinação, tratamento de feridas entre outros.
• Entravões: contenção dos membros, com o levantamento de um membro anterior e colocação de entravões nos outros três.
• Pé de Amigo: levantar um membro posterior, acrescido do uso de máscara e cachimbo.
• Peia: ou também denominada de corda, é usada nos trabalhos de ordenha, tomada de temperatura e combate a carrapatos.
• Derrubamento pelo método italiano: ou de cordas cruzadas, para reprodutores e vacas com gestação em estágio avançado.
• Derrubamento pelo método “Rueff”: consiste em comprimir o úbere das vacas e o pênis dos machos, por estes danos ao animal, não deve ser utilizado nem recomendado.

As técnicas, utilizando-se de equipamentos e acessórios para contenção de um animal, seja para qualquer finalidade, deve ser um ato de respeito ao animal, qualquer forma de agressão, reflete no bom manejo e qualidade do produto final, item importantíssimo que o profissional da zootecnia deve saber.

Gostou do conteúdo e ficou interessado em saber mais? Siga acompanhando nosso portal e fique por dentro de todas nossas publicações. Aproveite também para conhecer nossos cursos e ampliar seus conhecimentos.

Receba novidades dos seus temas favoritos

Se aprofunde mais no assunto!
Conheça os cursos na área de Conhecimentos Gerais.

Mais artigos sobre o tema