Distribuição física na Logística empresarial

De acordo com Bertaglia (2003), produtos e materiais são movimentados ao longo da cadeia de abastecimento. A matéria-prima é transportada para as fábricas para se transformar em produto final; em seguida, flui dos fornecedores para os centros de distribuição e daí para os clientes, dependendo do modelo estabelecido pela empresa. O processo de distribuição física tem sido foco permanente das organizações uma vez que os custos neles existentes podem ser elevados e as oportunidades são muitas. Novos conceitos de distribuição física estão sendo discutidos a fim de obter vantagens competitivas visando colocar os produtos, principalmente bens de consumo, ao alcance dos clientes, melhorando a logística empresarial.
No entanto, a infraestrutura de transporte e distribuição continua ainda extremamente centralizada nas rodovias, mesmo que estas apresentem seus leitos bastantes críticos, aumentando o valor do transporte devido ao custo de manutenção dos veículos que transitam por elas. A distribuição física consiste basicamente em três elementos globais:

-Recebimento;
-Armazenamento;
-Expedição;

Os centros de distribuição são fundamentais no sistema de logística de uma empresa, situados geralmente em rodovias ou próxima a elas, em locais de fácil acesso a grandes caminhões e carretas, funcionam como peças estratégicas para o abastecimento de lojas ou entregas de produtos aos consumidores finais. Eles multiplicam pelo país, seguindo a rota de expansão das empresas e a necessidade de estar cada vez mais perto do cliente, encurtando distâncias e reduzindo os custos de transporte das mercadorias até o destino final (CASTRO, 2006).
Sendo assim, distribuição física é o ramo da logística empresarial que trata da movimentação, estocagem e processamento de pedidos dos produtos finais da firma. O profissional de logística deve preocupar-se em garantir a disponibilidade dos produtos requeridos pelos clientes à medida que eles desejem e se isto pode ser feito a um custo razoável.
Quando clientes adquirem bens em quantidade suficiente para lotar um veículo, as entregas podem ser feitas diretamente a partir dos vendedores, dos estoques de fábricas ou da linha de produção. Uma vez que os fretes são menores quando cargas completas de veículos vão até uma única localização do cliente, este método de entrega incorre no menor custo total de transporte (ALVARENGA; 2000). Dessa forma, o sistema de distribuição deve buscar todos e quaisquer artimanhas para agilizar a distribuição do produto a um custo reduzido, aumentando a lucratividade da produção.

Recebimento


A função de recebimento inicia-se quando o veículo é aceito para descarregar um produto ou material que está destinado ao armazém ou centro de distribuição, o produto é contado ou pesado e o resultado é comparado com o documento de transporte. Dependendo da origem e do tipo de produtos, são necessários análises de qualidade, por meio de amostragens, que eventualmente podem ser feitas antes que o produto seja totalmente descarregado. O recebimento, quanto a sua origem, podem ser classificados em aquisição (compras), importação, transferências entre fábricas e armazém ou centros de distribuição, transferências provenientes de terceiros e devolução de clientes (BERTAGLIA, 2003).

Armazenagem


Após o recebimento, os itens são armazenados em locais específicos no depósito ou no centro de distribuição, em prateleiras, estantes, tanques, estrados, ou até mesmo acondicionados no solo, muitas vezes sobre protetores de umidades, para facilitar a localização. Estes locais podem ser sinalizados por tipo de produtos ou endereços (BERTAGLIA, 2003).

Expedição


A expedição ou despacho corresponde ao processo de separar os itens armazenados em determinado local movimentando-os para outro lugar com o objetivo de atender a uma demanda específica que pode ser o envio de produtos a um cliente ou terceiro com o objetivo de agregar valor ao item. Dentro da operação de expedição ou despacho podemos detalhar as atividades de separação, emissão de documentos e carregamento da carga (BERTAGLIA, 2003).
Segundo Moura (1997), o setor de serviços assume importância notável no armazém; em particular, no que diz respeito à carga e ao recebimento dos materiais, e após a estocagem, a sua expedição. O recebimento e a expedição das mercadorias representam a expressão mais sensível, sendo um lugar de movimentação e mercadorias em trânsito.
No projeto das operações de recebimento, armazenagem e expedição são necessárias considerar as condições de movimentação, estocagem e controle das atividades e fornecer uma combinação apropriada entre espaço, equipamentos e pessoas; o projeto das docas, utilizadas no embarque e desembarque, também são considerações importantes.

Gostou do conteúdo e ficou interessado em saber mais? Siga acompanhando nosso portal e fique por dentro de todas nossas publicações. Aproveite também para conhecer nossos cursos e ampliar seus conhecimentos.

Receba novidades dos seus temas favoritos

Se aprofunde mais no assunto!
Conheça os cursos na área de Administração e Negócios.

Mais artigos sobre o tema