Entendendo os músculos da coxa

Os músculos da região da coxa são divididos em partes anterior, medial e posterior. Na parte anterior temos o sartório, psoas maior e menor, ilíaco e quadríceps.

O músculo sartório encontra-se látero medial. Apresenta uma origem na espinha ilíaca ânterosuperior e inserção na tuberosidade ilíaca (medialmente).

Este músculo faz o movimento de cruzar as pernas através da associação de flexão, abdução e rotação lateral coxa. Além dos movimentos de flexão da coxa e perna.

O que significa o músculo Sartório?

O músculo sartório significa costureiro pelos movimentos de cruzar as pernas, postura comum, adotada antigamente, dos alfaiates.

O músculo psoas maior e menor encontra-se juntos. Originam nas vertebras lombares (corpos e discos intervertebrais).

Inserem no trocanter menor, junto com o ilíaco. Apresentam como ação a flexão de coxa e tronco.

O ilíaco origina na fossa ilíaca e insere no trocanter menor do fêmur junto com os passos. A sua ação é flexão da coxa e do tronco.

Os músculos do Quadríceps

O músculo quadríceps da coxa é o mais volumoso e poderoso (potente) músculo do corpo humano, representando a maior parte da musculatura da região anterior e medial da coxa.

Como o nome indica está representado por quatro cabeças de origem sendo, reto da coxa ou femoral, vasto medial, vasto lateral e vasto intermédio. Este último só é visto quando se retira o reto da coxa.

Entre os músculos do quadríceps somente o reto da coxa participa da articulação do quadril (devido a sua origem), o restante somente participa da articulação do joelho.

O reto da coxa se origina por duas cabeças. Uma anterior na espinha ilíaca ântero inferior e outra posterior no contorno superior do acetábulo.

A inserção é por um tendão único na patela e está se fixa a tuberosidade da tíbia através do ligamento patelar. A ação é bi articular, sendo flexor de coxa e extensor perna.

Você sabia? Que o tendão de inserção do músculo reto da coxa serve também para fixação das outras cabeças do quadríceps. Por isso é conhecido o ligamento patelar como tendão do quadríceps. O ligamento patelar é na verdade, a extremidade distal do tendão do quadríceps.

Entendendo o Vasto Lateral, vasto medial e o intermédio

Dando continuidade, o vasto lateral origina na fossa trocantérica do fêmur e linha áspera (lábio lateral). Inserem pelo tendão comum na tuberosidade da tíbia. Apresenta como ação a extensão de perna.

O vasto medial origina na fossa trocantérica do fêmur e linha áspera (lábio medial). Inserem pelo tendão comum na tuberosidade da tíbia. Apresenta como ação a extensão de perna.

O último músculo do compartimento anterior é o vasto intermédio, que origina na porção medial do fêmur (diáfise) e se insere idem aos outros, ou seja, pelo tendão comum na tuberosidade da tíbia. Apresenta como ação a extensão de perna.

Como funciona o musculo pectíneo?


Para continuarmos o assunto estudaremos agora os músculos do compartimento medial. Os músculos são pectíneo, adutor longo, curto, mínimo, magno e grácil.

Estes músculos ocupam a região medial da coxa e por serem todos adutores da coxa são também conhecidos como músculos do grupo adutor.

O músculo pectíneo origina na linha pectínea do púbis e insere na linha pectínea do fêmur. Este músculo apresenta uma ação auxiliadora na flexão da coxa.

O adutor longo se origina no púbis (corpo) e insere linha áspera do fêmur (lábio medial). Este músculo também possui uma ação auxiliadora na flexão da coxa.

Os adutores curto e mínimo se originam no púbis (corpo e ramo inferior) e inserem na linha áspera do fêmur. O curto se encontra por cima do mínimo. Estes músculos apresentam uma ação auxiliadora na flexão da coxa.

O músculo adutor magno é o mais forte dos adutores e se origina por duas porções. A porção adutora se origina no púbis (ramo inferior) e a porção extensora na linha supracondilar medial do fêmur. Este músculo apresenta uma ação auxiliar na flexão da coxa.

E por último o músculo grácil, que se origina no púbis (corpo e ramo inferior) e insere no corpo da tíbia (face medial da porção proximal). Este músculo apresenta uma ação além da adução, à flexão da perna.

Na região distal do músculo adutor magno (entre as suas duas porções) existe um espaço onde as fibras se encontram em arco formando um hiato tendíneo ou hiato adutor.

Através dessa abertura atravessam os vasos femorais da região anterior e medial da coxa para a região posterior. Já estudamos todos os músculos da região adutora, mas antes de passar para o próximo item é importante falarmos do trígono femoral e do canal do adutor.

O primeiro encontra-se na região proximal e ântero medial da coxa formando uma região denominada de trígono femoral. Esta é delimitada lateralmente pela borda medial do sartório e medialmente pela borda lateral do adutor longo.

O assoalho inclui os músculos íliopsoas, pectíneo e adutor curto e o teto pela fáscia lata. O conteúdo é composto pelos vasos e nervos femorais.

O canal do adutor encontra-se na porção (1/3) medial da coxa. É limitado ânterolateralmente pelo músculo vasto medial e posteriormente pelos adutores longo e magno.

O teto é constituído pelo músculo sartório. A artéria e veia femorais, em associação como o nervo safeno (ramo do nervo femoral), percorrem o canal do adutor.

O canal finaliza no hiato tendíneo do músculo adutor magno e é delimitado pela membrana vasto adutora.

Nessa região os vasos femorais passam para a fossa poplítea (face posterior da coxa) com exceção do nervo.

Para finalizarmos o assunto sobre musculatura da coxa o último compartimento é o posterior.

São conhecidos como músculos do jarrete e constituídos pelo bíceps coxa ou femoral, semitendinoso ou semitendinoso e sem membranáceo ou semimembranoso. Estes cruzam posteriormente o quadril e o joelho.

Todos fazem extensão de coxa, flexão de perna e extensão de tronco.

O bíceps da coxa, como o próprio nome diz apresenta duas cabeças de origem (longo e curta). A origem se faz pela porção longa na tuberosidade isquiática e porção curta na linha áspera do fêmur. Inserem-se na fíbula (cabeça).

O músculo semitendinoso se origina na tuberosidade isquiática e insere na tíbia proximal (face medial do corpo da tíbia).

E por último o músculo sem membranáceo, que origina também na tuberosidade isquiática e insere na tíbia (côndilo medial posteriormente).

Gostou do artigo? Inscreva-se no blog, conheça os cursos da área e continue nos acompanhando.

Receba novidades dos seus temas favoritos

Se aprofunde mais no assunto!
Conheça os cursos na área da Biologia.

Mais artigos sobre o tema