Estágios do Desenvolvimento Humano

Estágios do Desenvolvimento Humano

O processo de transformação e desenvolvimento da criança vai depender de como ela elabora e assimila as suas interações com o meio, isso porque a visada conquista do equilíbrio do organismo (a maturação do organismo, a experiência com objetos, a vivência social, e o exercício do raciocínio) reflete as elaborações possibilitadas pelos níveis de desenvolvimento cognitivo que o organismo detém em diversos estágios da sua vida.

Quais são os períodos de desenvolvimento humano?

Piaget considera quatro períodos no processo evolutivo da espécie humana que são caracterizados “por aquilo que o indivíduo consegue fazer melhor” no decorrer das diversas faixas etárias ao longo do seu processo de desenvolvimento.

• 1º Período – Sensório-motor (0 a 2 anos)

• 2º Período – Pré-operatório (2 a 7 anos)

• 3º Período: Operações Concretas (7 a 11 ou 12 anos)

• 4º Período: Operações Formais (11 a 12 anos em diante)

Cada período é caracterizado por formas diferentes de organização mental que possibilitam as diferentes maneiras do indivíduo relacionar-se com a realidade que o rodeia. A seguir os períodos detalhados:

Período Sensório-motor

No recém-nascido as funções mentais limitam-se ao exercício dos aparelhos reflexos inatos, assim sendo, o universo que circunda a criança é conquistado mediante a percepção e os movimentos (como a sucção, o movimento dos olhos e etc.).

Com o passar do tempo a criança vai aperfeiçoando os movimentos reflexos e adquirindo habilidade, e chega ao final do período sensório-motor já concebendo-se dentro de um “universo” (com objetos, tempo, espaço, causalidade, objetividade, comunidade) agindo e interagindo.

Período Pré-operatório

O aparecimento da função simbólica é o que inicia este período. Nessa concepção, o cognitivo é anterior à linguagem; na linha piagetiana, a linguagem é considerada como condição necessária, mas não suficiente ao desenvolvimento, pois existe um trabalho de reorganização da ação cognitiva que não é dado pela linguagem, enfim, a linguagem depende do desenvolvimento intelectual.

Neste período a criança tem a capacidade de atuar de forma lógica e coerente, sendo o egocentrismo social e intelectual característico desta fase.

Período das Operações Concretas

Nesta fase a criança estabelece relações e coordena pontos de vista diferentes, integrando-os de modo lógico e coerente. Outro ponto importante é a capacidade da criança internalizar as ações, ou seja, ela começa a realizar operações mentalmente e não mais apenas por meio de ações físicas típicas da inteligência sensório-motora.

Contudo a criança consegue raciocinar de forma coerente, tanto os esquemas conceituais como as ações executadas mentalmente se referem, nesta fase, a objetos ou situações passíveis de serem manipuladas ou imaginadas de forma concreta.

Período das Operações Formais

A criança amplia as capacidades conquistadas na fase anterior, onde consegue raciocinar sobre hipóteses na medida em que ela é capaz de formar esquemas conceituais abstratos e por meio deles executar operações mentais dentro dos princípios da lógica formal. Ao atingir esta fase, o indivíduo adquire a sua forma final de equilíbrio, ele consegue alcançar o padrão intelectual que persistirá durante a idade adulta.

Portanto, com o estudo das etapas de Jean Piaget, podemos concluir que a principio o desenvolvimento da linguagem necessita dos aspectos cognitivos, porém alcançado o segundo estágio, a linguagem mostra o seu valor, ficando questionável o que seria mais importante, linguagem ou cognição.

• Aquisição;

• Desenvolvimento

• Linguagem

• Cognição

E aí, gostou do conteúdo e ficou interessado em saber mais? Siga acompanhando nosso portal e fique por dentro de todas nossas publicações. Aproveite também para conhecer nossos cursos e ampliar seus conhecimentos.

Receba novidades dos seus temas favoritos

Se aprofunde no assunto!
Conheça os cursos na área da Educação.

Mais artigos sobre o tema

Educação

O saque no volei

O Voleibol, também conhecido como Vôlei, é um dos esportes coletivos mais difundidos e praticados no Brasil. Faz parte da grade curricular da Educação Física

ler artigo »