Farmacologia aplicada à enfermagem e a  interação de agentes químicos

O conhecimento técnico sobre os fármacos, sua ação, atuação, reações que podem ocasionar, devem ser do conhecimento de todos os profissionais da saúde. 
O profissional de enfermagem é aquele que está em contato direto com o paciente. A FARMACOLOGIA estuda as interações que a droga (fármaco) tem com os sistemas biológicos em toda a extensão do corpo humano. 
O conhecimento farmacológico irá ajudar o enfermeiro a compreender o funcionamento dos fármacos, as reações adversas possíveis, a terapia farmacológica correta.
No estudo da farmacologia, o profissional de enfermagem terá um aprimoramento sobre vários parâmetros farmacológicos, que o ajudarão no exercício de sua profissão. 
Um curso de ESPECIALIZAÇÃO EM FARMACOLOGIA é um ótimo instrumento para uma atualização desses profissionais da saúde. Dentro da farmacologia, o enfermeiro irá aprender sobre vários parâmetros farmacológicos, tais como: 

  • a farmacodinâmica das drogas (mecanismo de ação), 
  • farmacocinética das drogas (o caminho que o fármaco percorre no organismo), 
  • a TOXICOLOGIA relacionada às drogas (efeitos tóxicos, antídotos, e
  • reações adversas).

Qual é o papel do profissional de enfermagem?

O profissional de enfermagem tem a função de preparar e administrar os medicamentos para o paciente, identificar e comunicar possíveis reações adversas e problemas relacionados aos medicamentos (lote, validade, medicamentos em mau estado de conservação). 
A responsabilidade em administrar medicamentos ao paciente é uma importante tarefa do enfermeiro. Devido a isso, o enfermeiro deve ter conhecimento profundo sobre: a ação da droga no organismo; a dose e quais fatores podem interferir na sua ação; as vias que podem ser administradas; a farmacocinética da droga (Absorção e eliminação). Devido a essas funções, o enfermeiro é um profissional de grande importância para a eficácia do tratamento farmacológico do paciente.
O aperfeiçoamento do profissional de enfermagem em farmacologia irá contribuir para um melhor atendimento do paciente, uma melhoria na SAÚDE COLETIVA e uma melhora considerável na terapêutica. 
O profissional de enfermagem tem tudo para ser um diferencial na saúde pública, basta à busca constante por conhecimento. No PORTAL EDUCAÇÃO você encontrará uma ferramenta útil na busca por esse conhecimento, através dos nossos cursos de aperfeiçoamento profissional.

Farmacologia: Efeitos resultantes da interação de agentes químicos

O termo interação entre substâncias químicas é utilizado todas as vezes que uma substância altera o efeito de outra. Estas interações podem resultar diferentes tipos de efeitos:
– Adição: é aquele produzido quando o efeito final de dois ou mais agentes é quantitativamente igual à soma dos efeitos produzidos individualmente.
Exemplo: chumbo e arsênio, atuando no nível da biossíntese do heme (aumento da excreção urinária da coproporfirina).

– Sinergismo: Ocorre quando o efeito de dois ou mais agentes químicos combinados, é maior do que a soma dos efeitos individuais.
Exemplo: a hepatotoxicidade, resultante da interação entre tetracloreto de carbono e álcool é muito maior do que aquela produzida pela soma das duas ações em separado, uma vez que o etanol é capaz de inibir a biotransformação do solvente clorado.

– Potenciação: ocorre quando um agente tóxico tem seu efeito aumentado por atuar simultaneamente com um agente “não tóxico”.
Exemplo: o isopropanol, que não é hepatotóxico, aumenta excessivamente a hepatotoxicidade do tetracloreto de carbono.

– Antagonismo: ocorre quando dois agentes químicos interferem um na ação do outro, diminuindo o efeito final.

Quer saber mais sobre o assunto? Inscreva-se em nosso blog, confira os cursos em nosso site e utilize o certificado dos cursos para complementar suas atividades acadêmicas. Bons estudos!

Receba novidades dos seus temas favoritos

Se aprofunde mais no assunto!
Conheça os cursos na área da Saúde.

Mais artigos sobre o tema