Fisiologia Celular e Geral: Entenda tudo sobre o assunto


Existe uma grande curiosidade sobre o que são as células como unidade vivas do corpo, a unidade viva do corpo é a célula e cada órgão é um agregado de muitas células diferentes. Cada tipo de célula adaptado a uma função determinada. Ao todo são cerca de 100 trilhões de células. Quase todas têm capacidade de se reproduzir e, caso necessário, se regenerar.

O que é o Líquido Extracelular – O “Meio Interno”?



Cerca de 56% do corpo humano são compostos de líquidos. Embora a maior parte desse líquido fique no interior das células – e seja chamado de Líquido Intracelular (LIC) – cerca de 1/3 ocupa os espaços por fora das células e é chamado de Líquido Extracelular (LEC).

O LEC se movimenta continuamente por todo o corpo. É transportado rapidamente no sangue circulante e, em seguida, misturado entre o sangue e os líquidos teciduais por difusão através das membranas capilares. No LEC ficam os íons e nutrientes necessários às células, para a manutenção da vida celular. Portanto, todas as células partilham de um mesmo ambiente, o LEC, chamado Meio Interno.

Diferenças entre LIC e LEC:


LEC



Altas concentrações: Íons (sódio, cloreto, bicarbonato)

Nutrientes (oxigênio, glicose, a.graxos, aminoácidos)

Produtos e subprodutos cel. (gás carbônico, uréia) – excretados pelos Pulmões e Rins

LIC



Altas concentrações: Íons (potássio, fosfato, magnésio)

(A manutenção das diferenças de concentração entre LIC e LEC é feita por mecanismos especiais de transporte de íons através das membranas celulares)

Mecanismos “Homeostáticos” dos principais Sistemas Funcionais:



Homeostasia: manutenção das condições constantes, ou estáticas, do Meio Interno. Todos os órgãos e tecidos do corpo exercem funções que ajudam a manter essas condições constantes.

Ex: Rins – mantêm constantes as concentrações iônicas

Sistema Gastro-Intestinal – fornece nutrientes

Pulmões – fornecem oxigênio para o LEC para repor o que está sendo consumido pelas células.

Sistemas de transporte do LEC – Sistema Circulatório:



O LEC é transportado para todas as partes do corpo em 2 etapas:

Movimento do sangue ao longo do sistema circulatório

Todo o sangue contido na circulação percorre todo o circuito em cerca de minuto, em média, no repouso, e até 6x / 1 minuto quando em extrema atividade. Conforme o sangue circula pelos capilares, ocorre troca contínua de LEC entre a parte de plasma do sangue e o Líquido Intersticial que preenche os espaços entre as células: os espaços intercelulares.

Os capilares são porosos, portanto, grandes quantidades de líquido e de seus constituintes em solução podem sofrer DIFUSÃO (processo causado pela movimentação cinética das moléculas) nos dois sentidos.

Origem dos nutrientes do LEC



Sistema Respiratório – oxigênio

Sistema Gastro-Intestinal – carboidratos, ácidos graxos, aminoácidos.

Fígado (e outros órgãos que desempenham funções metabólicas) – substâncias modificadas

Remoção dos produtos finais do metabolismo

Pulmões – gás carbônico

Rins – diferentes produtos finais do metabolismo celular (ex: uréia); excesso de íons e de água.

Regulação das funções corporais:

Sistema Nervoso: O que é?


a) componente sensorial: receptores

b) sistema nervoso central (SNC): encéfalo e medula espinhal

c) componente motor

O que é o sistema nervoso autonômico?


Sistema Endócrino: distribuídas no corpo, existem glândulas endócrinas secretoras de substâncias químicas, os Hormônios. Os Hormônios são transportados pelo LEC até todas as partes do corpo, onde vão participar da regulação do funcionamento celular. Os hormônios formam um sistema de regulação que complementa o sistema nervoso. O sistema nervoso, em termos gerais, regula, principalmente, as atividades motoras e secretoras do corpo, enquanto o sistema endócrino/hormonal regula, de modo primário, as funções metabólicas.

Os sistemas de controle do corpo na Fisiologia celular e geral:


O corpo contém milhares de sistemas de controle. Os mais intrincados são os sistemas genéticos de controle, atuantes em todas as células para regular o funcionamento intracelular e, também, todas as funções extracelulares.

Muitos outros sistemas de controle atuam em nível de órgãos (para regular o funcionamento de partes distintas desses órgãos); outros atuam ao nível de todo o corpo (para regular as inter-relações entre os órgãos). Ex: Sist. Respiratório + Sist. Nervoso – regulam a concentração de gás carbônico no LEC. Sist. Renal – regula a concentração de íons no LEC.

Regulação das concentrações de Oxigênio e Gás Carbônico no LEC


Oxigênio



Sendo essencial para as reações químicas no interior das células na fisiologia celular, é importante que o corpo disponha de um mecanismo especial de controle para manter uma concentração de oxigênio constante e quase invariável no LEC. Esse mecanismo depende das características químicas da Hemoglobina, presente em todos os Glóbulos Vermelhos (Hemácias ou Eritrócitos).

A Hemoglobina, na fisiologia celular, se combina com o oxigênio nos pulmões. Conforme o sangue passa pelos capilares teciduais, a Hemoglobina não libera o oxigênio caso este já contenha teor elevado de oxigênio, mas, se a concentração de oxigênio estiver baixa, será liberado em quantidade suficiente para restabelecer a concentração tecidual adequada de oxigênio.

Portanto, a regulação da concentração de oxigênio nos tecidos depende, primariamente, das características químicas da própria Hemoglobina. Essa regulação é chamada “função tamponadora de oxigênio da Hemoglobina”.

Gás Carbônico



Controlado por mecanismo nervoso: A alta concentração de Gás Carbônico excita o Centro Respiratório, no cérebro, aumentando assim a frequência e amplitude respiratória, o que por sua vez aumenta a expiração de Gás Carbônico e, consequentemente, eleva a remoção de Gás Carbônico do LEC, continuando o processo até que a concentração retorne ao normal.

O Feedback Negativo



Na fisiologia celular, este sistema de controle do corpo é sempre negativo em relação ao estímulo inicial. A maior parte dos sistemas de controle do corpo atua por meio de Feedback negativo. Ex: controle da concentração de gás carbônico no LEC.

O Feedback Positivo



O estímulo inicial produz mais estimulação do mesmo tipo.

Ex:

– Coagulação do sangue: o rompimento de um vaso sanguíneo dá início à formação do coágulo, que por sua vez ativa diversas enzimas – “fatores de coagulação”- que atuam sobre outras enzimas, ativando o crescimento do coágulo, ativando mais enzimas… Esse processo continua até que a ruptura vascular seja ocluída.

– Contrações uterinas: aumento das contrações – cabeça do feto força a passagem pela cérvix – estiramento da cérvix – sinais enviados de volta ao corpo uterino – contrações uterinas mais fortes… Até a expulsão do feto.

– Geração de sinais neurais: estímulo – vazamento de íons sódio p/ dentro da fibra – os íons que entram causam alteração do potencial de membrana – abertura de + canais de sódio – alteração do potencial de membrana… O processo continua até que o sinal neural curse toda a extensão da fibra nervosa.

OBS: O Feedback positivo causa, por vezes, ciclos viciosos e morte.

Ex:

– Diminuição do volume sanguíneo (perda de sangue) – diminuição da pressão arterial; diminuição do fluxo sanguíneo p/ o coração – enfraquecimento cardíaco; diminuição do bombeamento cardíaco; diminuição do fluxo sanguíneo coronário (arterial); enfraquecimento cardíaco… Esse ciclo se repete até a morte.

Gostou desse conteúdo sobre fisiologia celular e geral? Inscreva-se no nosso blog, conheça os nossos cursos e continue nos a acompanhando!

Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram

Receba novidades dos seus temas favoritos

Se aprofunde mais no assunto! Conheça os cursos na área da Biologia.

Mais artigos sobre o tema