Fisiologia Neuromuscular

As células nervosas se comunicam entre si e com outras células do organismo, como células musculares e secretoras. Assim como existem sinapses entre neurônios, existem sinapses entre neurônios e as fibras musculares. Essas junções são chamadas de sinapses neuromusculares e tem a finalidade de transmitir impulsos nervosos ao músculo.

A porção pré-sináptica é formada pela porção terminal do neurônio motor cujo axônio vai do SNC até a célula muscular. Nesta porção terminal do neurônio, encontramos inúmeras vesículas que contém uma substância química (neurotransmissor) que no caso do sistema muscular é a acetilcolina.

A função da sinapse neuromuscular é transmitir uma mensagem de potencial de ação de forma unidirecional (neurônio – músculo) a uma célula muscular esquelética com frequência e duração estabelecidas pelo SNC.

A fenda sináptica, localizada entre a porção pré-sináptica localizada no neurônio e a porção pós-sináptica localizada no músculo (muscular), tem um espaço de 20 a 30 mm de largura, é neste espaço que são liberados os neurotransmissores que vão ligar-se a receptores para acetilcolina no terminal pós-sináptico.
A chegada de um potencial de ação do axônio em uma fenda sináptica neuromuscular faz com que as vesículas sinápticas fundam-se com a membrana, se abram e liberem acetilcolina. Este neurotransmissor liga-se a receptores na membrana pós-sináptica, promovendo a abertura de canais de sódio. A entrada de sódio desencadeia o potencial de ação. A acetilcolina liberada, rapidamente é destruída por uma enzima chamada acetilcolinesterase.

Existem três tipos de músculos em um organismo: esquelético, cardíaco e liso. A musculatura esquelética corresponde a aproximadamente 40% do corpo animal, já a lisa e a cardíaca, juntas, equivalem a cerca de 10%. Todo movimento do corpo é resultado da contração de um músculo esquelético que é composto de uma parte central contrátil e duas extremidades com tendões que se fixam em ossos diferentes entre os quais encontra-se uma articulação.

O processo de contração do músculo pode ocorrer sem encurtamentos das fibras (contração isométrica) e com o encurtamento das fibras (contração isotônica). Se você segurar um peso na mão com o braço estendido verá que seu músculo contrai, porém não aumenta em volume, isso é uma contração isométrica.

Se você levanta esse peso em direção a seu ombro verá que há um aumento de volume em seu bíceps, isso ocorre porque há um encurtamento das fibras musculares e é chamada de contração isotônica. Mas o que ocorre com as fibras musculares durante esse processo de contração?
Existem diversos níveis de organização em um músculo esquelético. A massa muscular é constituída de células denominadas fibras musculares. Cada fibra muscular contém, milhares de miofibrilas disposta paralelamente como um punhado de espaguete, por sua vez, cada miofibrila é formada por uma série de sarcômeros que se repetem e são a unidade contrátil da fibra muscular.

Os sarcômeros têm um disco em cada extremidade, chamados de disco Z. O sarcômero apresenta quatro tipos de grandes moléculas proteicas que são responsáveis pela contração muscular. A actina, que se estende ao centro do sarcômero e está ligada ao disco Z. Cada filamento de actina é composto por dois fios da proteína actina e dois da proteína tropomiosina, torcidos em hélice. Ao longo da molécula de tropomiosina encontram-se moléculas globulares denominadas troponina que possuem afinidade aos íons cálcio.

Suspensos entre os filamentos de actina, encontram-se filamentos espessos de miosina, também constituída de hélices, que interagem com a actina para encurtar o sarcômero.
Paralelos as miofibrilas estão inúmeros retículos endoplasmáticos denominados, nas células musculares, retículo sarcoplasmático. Estas estruturas tem a finalidade de seqüestrar íons cálcio no músculo relaxado.
Perpendicularmente ao eixo longitudinal das fibras musculares estão os túbulos transversos que atravessam o diâmetro da célula muscular de um lado a outro do sarcolema, como se perfurasse uma salsicha. Estes túbulos contém líquido extracelular e são importantes na condução do potencial de ação.

Gostou do conteúdo e ficou interessado em saber mais? Siga acompanhando nosso portal e fique por dentro de todas nossas publicações. Aproveite também para conhecer nossos cursos e ampliar seus conhecimentos.

Receba novidades dos seus temas favoritos

Se aprofunde mais no assunto!
Conheça os cursos na área da Biologia.

Mais artigos sobre o tema