Funcionamento intestinal do recém-nascido

A constipação raramente acontece nos recém-nascidos (RN) que se alimentam no seio materno. Estes evacuam varias vezes durante o dia nas primeiras semanas.
Os RN que se alimentam de fórmulas lactes evacuam apenas uma vez por dia, e a consistência tende a ser mais firme. Alguns bebês, devido a formula, defecam a cada três dias, o que não é um problema desde que as fezes não esteja dura demais.

No início, as fezes dos RN nascidos possuem a aparência bem escura, grudentas. Estas fezes iniciais são chamadas de meconiais, posteriormente estas se tornam esverdeadas com muco, e depois se tornam amareladas e pastosas.
Consideramos que a criança está com prisão de ventre quando demora dois ou três dias para evacuar, e a aparência das fezes são duras e ressecadas.

Algumas crianças podem apresentar junto às fezes sangramento. Se isto acontecer procure a orientação do seu pediatra.
É muito importante a mãe conhecer os sintomas e entender o ritmo intestinal de seu bebê. Alguns bebês reclamam e fazem força para defecar, mas isto não é sintoma de constipação.

Para os bebês que já comem outros alimentos é normal encontrar: irritabilidade, dor de barriga, abdome duro ao toque e dor de barriga que melhora depois de fazer cocô.
A prisão de ventre pode estar associada à ingestão insuficiente de líquido ou a própria criança começa a segurar as fezes, associando-a com algo doloroso. O médico com certeza saberá identificar a causa e lhe ensinar como proceder em ambos os casos, não tome medidas tentando aliviar o desconforto de seu bebê sem orientações.

No caso de bebês que tomam fórmula de leite em pó, o pediatra pode trocar a marca ou o tipo do leite para observar se o problema resolve. Para bebês que já comem alimentos sólidos, o pediatra pode recomendar mamão papaia ou recomendam deixar a ameixa de molho num copo d’água durante a noite e depois dar a água ao bebê.

Existem algumas medidas que podem ser tomadas pelas mães para auxiliar no funcionamento intestinal do bebê:

• Realizar movimentos com as pernas do bebê, como se estivesse pedalando. O movimento estimula o intestino e ajuda a eliminar as fezes.

• Se a criança já come outros alimentos, evite: arroz, banana, maçã, etc.
Tenha em mente que tudo é uma fase de adaptação. Se seu bebê já come outros alimentos o organismo esta aprendendo a lidar com a nova comida. Com o tempo o intestino retornará ao ritmo adequado.

É importante lembrar que a transição alimentar nos bebês é um processo de suma importância, e mesmo que cause alterações nas rotinas intestinais, não deve ser negligenciada, respeitando a evolução de alimentação conforme as idades e mantendo a amamentação durante todo o período indicado, dando assim o aporte nutreico ao bebê e podendo realizar refeições menores ou mais espaçadas nessas fases de transição.

Gostou do conteúdo e ficou interessado em saber mais? Siga acompanhando nosso portal e fique por dentro de todas nossas publicações. Aproveite também para conhecer nossos cursos e ampliar seus conhecimentos.

Receba novidades dos seus temas favoritos

Se aprofunde mais no assunto!
Conheça os cursos na área da Biologia.

Mais artigos sobre o tema