Gírias utilizadas no mundo das drogas

Por diversas razões e algumas como curiosidade ou até mesmo desconhecimento, existe a procura por termos que envolvem o universo das drogas ilícitas.

Drogas essas, que não possuem a sua utilização legalizada no brasil. Droga ilícita é um termo de caráter essencialmente moral e sem definição jurídica, é usado vulgarmente para referir de modo um tanto impreciso toda e qualquer substância química ou composto químico natural ou artificial que tenha efeito psicoativo e que seja proibida por lei.

Diferença entre drogas ilícitas e Licitas

Droga lícita é uma droga cuja produção e uso são permitidos por lei da região onde são consumidas, sendo liberada para comercialização e consumo das pessoas.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) a incidência de problemas de saúde consequente do uso indiscriminado das drogas lícitas é maior do que o das drogas ilícitas como maconha, cocaína etc. Entre as drogas lícitas estão o álcool, o cigarro e até mesmo os medicamentos.

Para compreender mais sobre os termos utilizados, abaixo, elencamos algumas gírias que são as mais populares. Confira quais são e o que querem dizer.


– Ácido – LSD (ácido lisérgico)
– Acochar – apertar o cigarro de maconha
– Apagar – entregar-se, entorpecer
– Arpão – seringa de injeção.

B

– Babila – cartão onde se põe o pó para aspirar
– Baga – tôco de cigarro de maconha
– Bagana – o mesmo que baga; tôco de cigarro
– Bagulho – maconha
– Bandeira – bobeira
– Banho – plena exaltação
– Barrufo – trago de cigarro de maconha
– Beata – o mesmo que baga ou bagana
– Bhang – maconha
– Boca – local de venda ou reuniões
– Boca de asfalto – local de venda na rua, em esquina ou praça pública
– Boca de fumo – local de venda, sob teto
– Bode – aquele que “apaga”, entorpece
– Bolinha – anfetaminas, excitantes geralmente ingeridos com guaraná ou coca-cola.
– Bad trip – viagem ruim, com sofrimentos

C

– Cachimbo da paz – cigarro de maconha fumado por grupo
– Cafungar – aspirar o pó (cocaína)
– Caminho – fração de pó na babila
– Cana – prisão, cadeia, presídio, xadrez
– Careta – o que não usa drogas
– Castigar – usar drogas, tóxicos
– Cemitério – local de emergência onde se depositam ou escondem as bagas, em caso de perseguição
– Charo – cigarro de maconha
– Cheirinho da loló – drogas aspiradas, éter, lenço embebido em éter
– Cheiro – cocaína, heroína
– Cherubim – o mesmo que cheirinho da loló
– Chincheiro – vendedor auxiliar, atravessador, intermediário
– Chinfra – turma de viciados
– Chocar – modalidade de tráfico: enterrar a maconha na areia da praia para evitar o flagrante policial, em local previamente marcado.
– Coisa – maconha
– Curtição – efeito forte, degustação do efeito.
– Cabeça feita – fuma antes de ir a um lugar
– Chapado – sob o efeito da maconha
– Caretaço – livre de qualquer efeito da maconha
– Cemitério de pontas – caixinha ou recipientes plásticos usados para guardar as pontas


D

– Da política – o que acompanha a turma no vício
– Desarvoração – alucinação
– Desarvorado – alucinado
– Desembelotar – desembaraçar
– Devagar – não muito viciado, fuma pouco
– Dólar – cigarro grosso de maconha.
– Dançou – usuário que foi flagrado fumando
– Dichavar o fumo – soltar a maconha compactada em tijolos ou seus pedaços e separar as Partes que lhe dão gosto ruim


E

– Embandeirar – jactar-se de ser viciado
– Erva – maconha
– Esquadrilha da fumaça – turma de maconheiros
– Estar na sua – ausentar-se mentalmente, entorpecer.

F

– Fajuto – tolo, idiota, fingido
– Fariseu – o que não fuma
– Fininho – cigarro fino de maconha
– Fumo – maconha
– Furo – revelar-se como alucinado (deu o furo).

G

– Gelado – o que está afastado do vício
– Gerere – maconha
– Grilado – preocupado, atemorizado
– Grilo – preocupação, temor.

J

– Jogada – participação em atos delituosos.

L

– Ligado – o que está sob ação dotóxico
– Loque – bobo, otário.
– Larica – fome química

M

– Manga-rosa – maconha de boa qualidade
– Marica – aparelho próprio para fumar, podendo ser papelão enrolado ou mesmo caixa de fósforos, onde se põe, as bagas
– Marijuana – maconha
– Mocó – local onde se estoca a droga.

– Matar a lara – matar a fome química
– Maricas – cachimbos artesanais
– Mocós – esconderijos de droga
– Marofa – fumaça da maconha
– Mocosar – esconder


N

– Nego – viciado esperto, safo.
– Nóia – preocupação

O

– Ouriço – viciado nervoso, impaciente, “ouriçado”.

P

– Paiol – local de estocagem da droga (mocó)
– Pico – (picada) – picada de seringa, injeção
– Pirado – chagado ao auge da alucinação
– Pitéus – pequenas muito jovens levadas ao vício
– Pó – qualquer tóxico de absorção nasal
– Puxar – fumar maconha.
– Pifão – bebedeira
– Palas – sinais característicos das drogas
– Pontas – parte final da maconha não fumada
– Pilador – socador para pressionar a maconha já enrolada dentro da seda

Q

– Quadrado – o que não entra na jogada, fora de moda.
– Queimar um – fumar

R

– Refrescar – fazer pausa no vício, sem o abandonar
– Ritual – preparação de sessão de intoxicação
– Rebite – anfetamina.
– Rolê – volta

– Rolar – preparar um cigarro

S

– Sauna – fumar maconha, em grupo, em recinto fechado às vezes até dentro de um carro.
– Sussu – sossego
– Sujeira – situação perigosa

T

– Transa – transação, comércio entre traficantes.
– Tapas – tragadas

V

– Vapor – vendedor, fumaça da sauna
– Viagem, vinte e cinco – alucinação pelo LSD.

Agora que você conhece as gírias mais conhecidas e quer saber mais sobre o assunto.  Confira o curso de Drogas de Abuso (Lícitas e Ilícitas), e utilize o certificado dos cursos para complementar suas atividades acadêmicas.

Receba novidades dos seus temas favoritos

Se aprofunde mais no assunto!
Conheça os cursos na área de Conhecimentos Gerais.

Mais artigos sobre o tema