Lesões esportivas: agudas e crônicas

A Medicina Esportiva é uma área que estuda, investiga e discute sobre as lesões, sejam estas agudas ou crônicas, que acometem atletas de diversas modalidades a fim de preveni-las e tratá-las de forma mais eficiente possível. O corpo humano em movimento está submetido constantemente a forças externas e produzidas pelos próprios músculos.

Para garantir a proteção do aparelho locomotor contra lesões, aumentar sua resistência e melhorar o rendimento dos movimentos é preciso preparar o corpo, além de conhecer suas características e a dos movimentos realizados. As estruturas que participam dos movimentos realizados são: tecido ósseo, cartilagens, fibrocartilagens, tendões, ligamentos e tecido muscular.
Elas sofrem constantemente solicitações mecânicas, que são forças aplicadas a essas estruturas, como: compressão, tração, flexão, deslizamento e torção. Não cabe aqui entrar em detalhes muito técnicos, pois o objetivo é apenas que tenham uma idéia do que ocorre em nosso organismo durante determinados movimentos. Há uma compressão, por exemplo, quando pegamos algo muito pesado nos braços. Esse peso se reflete na coluna vertebral, comprimindo os discos intervertebrais.

Em sentido contrário temos a tração ou tensão, que neste caso, estende os discos intervertebrais, como em um movimento de pendurar na barra, por exemplo. A força da gravidade nos puxa para baixo, mas nossos braços presos na barra tendem a tracionar os discos para cima em sentido oposto.

Esse tipo de solicitação mecânica é comum quando se alonga utilizando o espaldar. A flexão é a associação de uma força de compressão com a de tração em que a solicitação mecânica “dobra” as estruturas envolvidas.

Já o deslizamento é característico de situações de movimento articular, como um osso que se desloca em contato com outro, quando flexionamos o joelho ou o cotovelo, por exemplo. No caso da torção o que se observa é uma aproximação entre as estruturas envolvidas, como quando realizamos uma rotação da coluna. De forma geral as modalidades esportivas exigem todas essas solicitações mecânicas, porém, cada uma se faz mais presente em um determinado esporte.

Por isso, em cada modalidade há a prevalência de um tipo de lesão específica sobre o aparelho locomotor. Isto ocorre porque a probabilidade de lesão depende do tamanho, da frequência e das características da carga que está sendo aplicada nas estruturas do corpo, e isso varia de esporte para esporte. Outras variáveis também influenciam no surgimento de lesões, como a estrutura do aparelho locomotor, que envolve a resistência muscular e óssea e também de cartilagens e tendões.

As lesões podem ser de dois tipos: agudas ou crônicas:

– As lesões agudas são caracterizadas pela alta magnitude da carga aplicada. A força sobre determinada estrutura do corpo é tão grande que em um único evento já promove a lesão. Uma queda de um local alto, por exemplo, pode ocasionar a quebra de um braço ou perna; ou em um jogo de futebol em que um atleta dá uma entrada violenta no tornozelo do adversário provocando uma torção. Esse tipo é também chamada de lesão traumática.

– As lesões crônicas são também conhecidas por lesões por esforço repetitivo. Nesse tipo, a causa não é a magnitude da carga, mas sim a quantidade de vezes que ela é aplicada sobre determinada estrutura promovendo o surgimento de microtraumas que se acumulados podem transforma-se em uma lesão.

Essas forças acumuladas são chamadas de sobrecargas e em princípio não são maléficas, pelo contrário, aplicadas de forma adequada estimulam a adaptação e resistência do tecido envolvido. O tempo de recuperação é de fundamental importância para que as sobrecargas impostar tragam benefícios e não risco de lesão. Quanto maior a carga aplicada maior deverá ser o tempo de recuperação. Por isso, por exemplo, que em treinos de musculação não é recomendado que se treine todos os músculos todos os dias da semana.

Outro exemplo é em relação ao treinamento de corrida, a quilometragem de treino da semana deve ser ajustada ao nível de condicionamento da pessoa. O acúmulo dessas sobrecargas sem descanso é um dos principais fatores que causam lesão. Fatores externos, como local de treino, desvios posturais e instabilidade articular também influenciam no surgimento de lesões.
Por isso, é importante conhecer o próprio corpo e seus limites, dar tempo de descanso, repor sempre as energias com boa alimentação e sempre que possível ter o acompanhamento de um profissional para que você realize os exercícios na quantidade certa e com os movimentos corretos, sempre procurando melhorar cada vez mais a eficiência dos treinos.

Gostou do conteúdo e ficou interessado em saber mais? Siga acompanhando nosso portal e fique por dentro de todas nossas publicações. Aproveite também para conhecer nossos cursos e ampliar seus conhecimentos.

Receba novidades dos seus temas favoritos

Se aprofunde mais no assunto!
Conheça os cursos na área da Saúde.

Mais artigos sobre o tema