Limpeza, Desinfecção e Esterilização

Antes de dar início a processos de desinfecção ou esterilização deve-se remover, através da aplicação de água, sabão ou desincrustaste, toda matéria orgânica residual do artigo a ser processado (urina, fezes, secreções, etc.), a esse processo denomina-se limpeza.

Limpeza 

A limpeza dos artigos pode ser manual ou com máquinas (de lavar ou de ultrassom) que utilizam água e sabão, e produtos enzimáticos e/ou químicos.
Depois de realizada a limpeza os artigos, devem ser enxaguados de maneira abundante em água corrente e secos com pano limpo ou compressa. Caso o artigo necessite esterilização, deve então ser acondicionado de maneira adequada a seguir para esse processo.
Os desencrustantes são substâncias capazes de remover qualquer substância orgânica de artigos hospitalares. Eles são capazes de dissolver soluções como sangue e outros restos orgânicos, porém, não possuem qualquer ação desinfetante e não são germicidas.

Desinfecção


É o método capaz de eliminar a maioria dos organismos causadores de doenças, com exceção dos esporos. É classificada em vários níveis e possui alguns fatores que influenciam na eficácia da sua operação.


Fatores que Interferem na Eficácia da Desinfecção

– Limpeza prévia mal executada
– Tempo de exposição ao germicida insuficiente
– Solução germicida com ação ineficaz
– Temperatura e pH do processo

Quanto aos níveis, a desinfecção é classificada em:

– Baixo Nível: Na desinfecção de baixo nível são destruídas bactérias em forma vegetativa, alguns vírus e fungos. É eficaz, porém sobrevivem a este método esporos bacterianos, o vírus da hepatite B (HBV), vírus lentos e o bacilo da tuberculose. As soluções utilizadas neste nível são o álcool etílico, n-propílico e isopropílico, o hipoclorito de sódio e o quaternário de amônia;
– Alto Nível: nesse nível de desinfecção são destruídas bactérias, fungos e alguns esporos. Sobrevivem apenas alguns esporos bacterianos e os vírus lentos. As soluções adotadas são o hipoclorito de sódio, glutaraldeído, solução de peróxido de hidrogênio, cloro e compostos clorados, ácido peracético, ortophtalaldeído, água superoxidada.
– Mista: é o tipo de desinfecção utilizada por alguns equipamentos como máquinas de lavar roupa e louças (aquecidas com temperaturas que varia de 60° a 90°C).
– Médio Nível: promove desinfecção contra os mesmos tipos que a desinfecção de baixo nível, porém, é eficaz também contra o bacilo da tuberculose, a maioria dos vírus e fungos. Sobrevivem a esse método, os esporos e os vírus lentos. As soluções utilizadas são p álcool etílico (70%) e isopropílico (92%), hipoclorito de sódio, fenólicos e iodóforos.
– Não-Definido: engloba métodos como passar a ferro (aplicar calor seco), água fervente por 30 minutos, pastilhas de formaldeído. O nível irá depender da concentração dos germicidas e da temperatura aplicada.

Esterilização


É o método que destrói todos os organismos patogênicos (bactérias, fungos, esporos e vírus) mediante a aplicação de agentes físicos, químicos e físico-químicos. Na escolha do método de esterilização é avaliado o material a ser submetido ao processo, considerando sua natureza e a resistência do mesmo a calor, vapor ou ambos.

Esterilizantes físicos: autoclaves, estufas, pasteurizadoras, radiação ultravioleta, raios Gama, flambagem;
Esterilizantes químicos: aldeídos (glutaraldeído, formaldeído), ácido peracético (utilizado no reprocessamento de dialisadores);
Esterilizantes físico-químicos: esterilizadoras a óxido de etileno, e plasma de peróxido de hidrogênio.

Quer saber mais sobre o assunto? Confira o curso de Biossegurança Hospitalar. Conheça também nosso portfólio de cursos na área Enfermagem.

Receba novidades dos seus temas favoritos

Se aprofunde mais no assunto!
Conheça os cursos na área de Conhecimentos Gerais.

Mais artigos sobre o tema