Neutrófilos hipersegmentados: Saiba o que é

A presença de neutrófilos com núcleo hipersegmentado, com mais de cinco segmentos, também chamados de polilobócitos, deve-se a ação de agentes como corticoides, que prejudicam a diapedese destas células fazendo com que elas envelheçam dentro da corrente sanguínea.

Em geral, a presença de neutrófilos hipersegmentados associada a leucocitose refere-se a presença de corticoide endógeno ou, principalmente, administração de corticoide exógeno. E quando os neutrófilos hipersegmentados estão presentes em animais sem leucocitose ou com leucopenia, é possível que já tenha se instalado um esgotamento da medula óssea.

Cromatina sexual

A cromatina sexual, também denominada corpúsculo de Barr, refere-se à presença de uma segmentação a mais no núcleo dos neutrófilos, em forma de baqueta, de tamanho menor do que as outras segmentações. As baquetas se formam nos neutrófilos das fêmeas e não tem relação com hipersegmentação nuclear. Em seres humanos, a pesquisa de corpúsculos de Barr em esfregaços sanguíneos é bastante utilizada em casos de suspeita de individuo intersexo.

Anomalia de Pelger-Hüet

A anomalia de Pelger-Hüet é uma doença de causa congênita, bastante rara, na qual o núcleo dos neutrófilos não se segmenta, permanecendo na forma de bastão, mas aparentemente sem sofrer decréscimos na sua funcionalidade ou na quantidade destas células circulantes.

Alterações tóxicas

Existem quatro tipos diferentes de alterações tóxicas dos neutrófilos. Alguns autores consideram que estas alterações representam níveis diferentes de toxicidade no organismo e consequentemente nas células, por isso serão apresentadas de acordo com esta possível ordem de relevância: basofilia citoplasmática, vacuolização tóxica, granulação tóxica e por fim, corpúsculo de Döhle.

Basofilia citoplasmática

Na basofilia citoplasmática, os neutrófilos apresentam citoplasma na cor azul ou acinzentada, que pode ser homogênea ou não, e que pode se manifestar também nas formas jovens. A basofilia citoplasmática dos neutrófilos dos animais é considerada equivalente às granulações tóxicas presentes nos eritrócitos dos seres humanos.

Vacuolização tóxica

A vacuolização tóxica aparece na forma de vacúolos, como se fossem bolhas, de número e tamanho variados no citoplasma dos neutrófilos. São observadas em casos mais graves de toxemia.

Granulações tóxicas

Estes grânulos que representam toxicidade aparecem de cor castanha ou mais escura, o que não é observado nos neutrófilos inalterados. Eles podem aparecer em infecções graves, neutropenia, queimaduras intensas, viroses, toxemia e também septicemia. Nos neutrófilos dos seres humanos estas alterações já se encontram melhor descritas.

Corpúsculo de Döhle

Os corpúsculos de Döhle são alterações tóxicas que se apresentam na forma de inclusão, pois se tratam de condensações da basofilia do citoplasma, citada antes, e que aparecem na forma de corpúsculo.

Inclusões intra-neutrófilos

As inclusões observadas no interior dos neutrófilos podem ser decorrentes de toxicidade, como observado no corpúsculo de Döhle, mas também podem ser devido a presença de microrganismos inespecíficos ou inclusões virais.

Microrganismos fagocitados

Há alguns hemoparasitos que preferem os neutrófilos para se desenvolver, porém devido a sua principal função, de fagocitose, os neutrófilos ingerem inúmeros agentes, tais como bactérias, protozoários e até mesmo alguns fungos unicelulares.

Inclusões virais

Assim, como nos eritrócitos, as inclusões virais geralmente aparecem róseas ou azuladas e são de tamanho variável. No caso da cinomose, as inclusões são chamadas corpúsculos de Sinegaglia-Lentz.

Gostou do conteúdo e ficou interessado em saber mais? Siga acompanhando nosso portal e fique por dentro de todas nossas publicações. Aproveite também para conhecer nossos cursos e ampliar seus conhecimentos.

Receba novidades dos seus temas favoritos

Se aprofunde mais no assunto!
Conheça os cursos na área da Biologia.

Mais artigos sobre o tema