O que é Ginástica Localizada?

Especialistas na área de educação física e comportamento físico consideram a ginástica localizada como um método de condicionamento físico que visa a desenvolver a resistência localizada de um músculo ou de um grupo muscular, para tonificá-lo sem hipertrofia, deixando o corpo mais firme (hipertonia) e resistente à fadiga.

Então, o objetivo da ginástica localizada é aumentar a resistência muscular e servir de base para outras atividades físicas como a musculação e exercícios aeróbicos em geral. Pois, permite apenas um ganho pequeno de massa muscular e não um aumento acentuado, proporcionado pela musculação devido ao peso utilizado nas atividades serem limitados.

Consiste em exercícios físicos individuais ou coletivos, de caráter utilitário, pedagógico ou terapêutico voltados para o fortalecimento corporal e integral, para o lazer ou reabilitação.

Volta à Calma: Última Parte da Ginástica Localizada

A parte final de uma sessão de ginástica localizada é composta de um relaxamento e / ou exercícios de alongamento.

Essa parte final deve conter de 5 a 10 minutos e é muito importante, pois promove ao executante benefícios como:

• Volta à calma após a prática de uma atividade física extenuante;

• Adequado relaxamento muscular;

• Adequado alongamento, evitando assim as indesejáveis dores musculares no dia seguinte.

Da mesma forma que a parte principal, na parte final de uma sessão de ginástica localizada, também devemos levar em conta o conteúdo e o objetivo dos exercícios de alongamento, flexibilidade e relaxamento.

Na realidade, um misto desses conteúdos é muito apropriado nesse caso, variando no tempo de cada atividade desenvolvida.

Qual o objetivo deste tipo de exercício?


Durante a parte final de uma sessão de ginástica localizada, alguns objetivos devem ser alcançados:

• Diminuição da frequência cardíaca e respiratória.

• Redução ao máximo do grau de excitação proporcionado pela atividade.

Para que isso ocorra, alguns fatores devem ser observados, como a utilização de uma música lenta, sempre ressaltando a respiração e a concentração.

Entendendo estratégias de flexibilidade

Além disso, priorizar as estratégias estáticas de flexibilidade como o método passivo, ativo e 3S (Scientific Stretching for Sports). Visar principalmente, ao alongamento dos grupos musculares normalmente encurtados, como a musculatura peitoral, a região lombar, o quadríceps e a região posterior da coxa.

No caso do método passivo, você poderá utilizar um auxílio externo para alongar, como toalha, corda ou até outra pessoa.

Já no método ativo, não há qualquer presença de uma força externa, pois você irá realizar o alongamento de forma independente e sem acessórios.

Evitar as comuns “insistências”, ou seja, durante um alongamento o executante ultrapassar os limites. Isso não deve acontecer, pois além de possuírem uma maior probabilidade de desencadear lesões, estas estratégias produzem uma sensação de dor muscular tardia muito maior, devido a microrrupturas no tecido dos músculos. Também evitar trabalhos de flexibilidade para as musculaturas que foram muito exigidas e fatigadas na sessão de treino.

Gostou do artigo? Inscreva-se no artigo, conheça os cursos da área e continue nos acompanhando.

Receba novidades dos seus temas favoritos

Se aprofunde mais no assunto!
Conheça os cursos na área de Conhecimentos Gerais.

Mais artigos sobre o tema