O que é química orgânica?

A química orgânica é a parte da química que estuda os compostos do carbono. O carbono é a parte central, uma vez que possui características particulares que o fazem compor milhares de substâncias importantes para a vida, como por exemplo: o DNA, as proteínas, os lipídeos e os carboidratos.
Além de produtos desenvolvidos em laboratório que facilitam o dia a dia das pessoas, como os diversos polímeros existentes dos quais seria difícil descartá-los do cotidiano.

Importância da química orgânica

Compostos de carbono são os principais constituintes de fármacos sejam estes de origem animal, vegetal ou sintética. Estudos envolvendo os princípios da química orgânica e bioquímica são desenvolvidos por milhares de cientistas, gerando grandes avanços farmacêuticos seja na busca da cura para diversas doenças, como o câncer, Alzheimer, seja na busca da juventude com os revolucionários produtos estéticos. A química também tem desempenhado papel importante na ciência forense e na agricultura.
Químicos cooperam com os físicos e matemáticos para entender como as moléculas se comportam e com os biólogos a compreender como as moléculas determinam os processos da vida.
Há também aqueles que utilizam essa ciência de forma destruidora na fabricação de pesticidas, inseticidas, dioxinas, entre outros que causam sérios danos à saúde.
Desde a antiguidade, já se usavam os benefícios da química orgânica por meio de corantes extraídos de plantas e animais (moluscos), dos remédios, maquiagens e óleos. Porém, como ciência, ela tem aproximadamente 200 anos. A Química orgânica começou como uma tentativa de entender a química da vida.

Quem foi Bergman?

Em 1770, o químico sueco Torbern Bergman foi o primeiro a expor a diferença entre as substâncias orgânicas das inorgânicas. 1 Jons Jakob Berzelius, em 1807, aprimorou a ideia de Bergman e definiu que compostos derivados de organismos vivos são aqueles que contêm uma força vital – a essência da vida. Estes ele chamou de “Orgânicos”.

Compostos derivados de minerais, aqueles que não possuem força vital – “Inorgânicos”. Dessa forma, estabeleceu-se a teoria da Força Vital, na qual apenas organismos vivos produziriam os compostos orgânicos. Sendo que estes não poderiam ser sintetizados em laboratório e sim os inorgânicos.
Entretanto, em 1816, Michel Chevreul descobriu que o sabão poderia ser separado em vários compostos orgânicos puros, os ácidos graxos, sem a interferência de uma fonte de força vital.

A teoria da força vital enfraqueceu-se quando Friedrich Wohler, em 1828, sintetizou a ureia em laboratório partindo de um composto inorgânico – cianato de amônio.
O fim da teoria da força vital se consolidou com Berthellot que sintetizou grande quantidade de compostos orgânicos, entre os quais o etanol, o ácido fórmico, o metanol, o acetileno e o benzeno.

Gostou do conteúdo e ficou interessado em saber mais? Siga acompanhando nosso portal e fique por dentro de todas nossas publicações. Aproveite também para conhecer nossos cursos e ampliar seus conhecimentos.

Receba novidades dos seus temas favoritos

Se aprofunde mais no assunto!
Conheça os cursos na área de Conhecimentos Gerais.

Mais artigos sobre o tema