Os intestinos: Delgado e grosso

O estômago é continuado pelo intestino delgado e este pelo intestino grosso, sendo que estas denominações são devidas ao calibre que apresentam.

Intestino delgado

Representa o principal local de absorção dos nutrientes a partir dos alimentos ingeridos. Este órgão é subdividido em três segmentos, duodeno, jejuno e íleo.

Estende-se do piloro (estômago) até a junção ileocecal, onde o íleo une-se ao ceco (primeira porção do intestino grosso).

O duodeno inicia-se no óstio pilórico e termina em uma brusca ondulação, a flexura duodenojejunal.

É um órgão fixo a parede posterior do abdome e posterior ao peritônio parietal, ou seja, retroperitonizado e apresenta a forma de um U aberto para a esquerda (um U “tombado”), onde abraça a cabeça do pâncreas.

Há duas estruturas que caem dentro do duodeno, ou melhor, desembocam, que são, os ductos colédocos desembocam na papila duodenal maior trazendo a bile do fígado e o ducto pancreático desembocam também na papila duodenal maior trazendo a secreção pancreática do pâncreas.

A segunda porção (jejuno) não apresenta limite nítido na sua continuação com o íleo (terceira porção), então pode ser descrito em conjunto com este.

A porção jejunoíleo apresentam numerosas alças intestinais, são estruturas móveis do delgado, ou seja, são peritonizados por estar presa a parede posterior abdominal por uma prega peritoneal ampla, denominada mesentério (meso).

Este órgão inicia na flexura duodenojejunal e terminam no início do intestino grosso, onde se abrem pelo óstio ileocecal na junção íleocecocólica. Apresentam na mucosa, numerosas pregas circulares que irão aumentar a superfície interna da víscera.

Intestino Grosso

Representa a porção terminal do canal alimentar sendo mais calibroso e curto que o delgado. Estende-se do íleo ao ânus.

É o local de absorção de água dos resíduos indigeríveis do quimo líquido pastoso (bolo alimentar transformado), convertendo-o em fezes semissólidas (chamado de quilo), que são temporariamente armazenadas e acumuladas até que haja a defecação.

Assim, o intestino grosso tem como função, absorção de água e eletrólitos, eliminação de resíduos e manutenção da continência fecal.

O intestino grosso se deferência do delgado por apresentar, bosseladuras ou haustros, que são dilatações ou saculações da parede do colo limitadas por sulcos transversais (tênias).

As tênias do colo são três formações em fitas, que correspondem à união da musculatura longitudinal em quase toda a extensão do grosso.

Por último os apêndices epiplóicos ou omentais do colo, que são acúmulos de gorduras salientes na víscera, ou seja, são pequenas projeções, adiposas.

O intestino grosso é subdividido da seguinte maneira, ceco (cécum), cólon (colo) ascendente, colo transverso, colo descendente, colo sigmoide, reto e canal anal.

O cécum ou ceco é a primeira porção do intestino grosso, em fundo cego. É continuado com o colo ascendente. O limite entre eles se dá por um plano horizontal ao nível da papila íleocecocolica, onde abre o óstio ileocecal.

Existe um prolongamento cilíndrico que se destaca do ceco, denominado apêndice vermiforme, sendo um divertículo intestinal cego (tem a forma de um pequeno saco), que contém massa de tecido linfoide (células de defesa).

O colo ou cólon ascendente é a segunda parte do intestino grosso, continua do ceco em direção cranial, ou seja, segue para cima na margem direita da cavidade abdominal, onde alcança o fígado e vira para a esquerda, na flexura cólica direita ou flexura direita do colo. É retroperitonizado, ou seja, fixado a face direita da parede abdominal posterior.

O colo ou cólon transverso é a terceira parte do intestino grosso, a mais longa e móvel (peritonizada), atravessa o abdome a partir da flexura cólica direita até a flexura cólica esquerda, onde se curva para baixo e dá origem ao cólon descendente.

O colo ou cólon descendente é a quarta porção do intestino grosso. É retroperitonizado, inicia-se na flexura cólica esquerda (fossa ilíaca esquerda) e após um trajeto vertical para baixos continua com o colo sigmoide.

O colo sigmoide é a quinta porção móvel do intestino grosso, considerado o reservatório das fezes. É a continuação do colo descendente em um trajeto sinuoso (sua alça em forma de S) na pelve onde uni ao reto.

O reto é a parte terminal fixa do intestino grosso. É a continuação do colo sigmóide onde sua parte final, estreitada, denominada canal anal, travessa o períneo (conjunto de partes moles que se distribuem inferiormente a pelve óssea) e se abre no ânus exteriormente.

Gostou do conteúdo e ficou interessado em saber mais? Siga acompanhando nosso portal e fique por dentro de todas nossas publicações. Aproveite também para conhecer nossos cursos e ampliar seus conhecimentos.

Receba novidades dos seus temas favoritos

Se aprofunde mais no assunto!
Conheça os cursos na área da Biologia.

Mais artigos sobre o tema