Química de hormônios: Entenda a composição

A coordenação do metabolismo nos mamíferos é realizada pelo sistema neuroendócrino, a base do controle dos outros sistemas, estando, portanto, estreitamente ligado aos processos metabólicos de nutrição, crescimento e reprodução.

As células individuais de um determinado tecido sentem uma mudança nas condições do organismo e respondem secretando um mensageiro químico, que passa para outra célula no mesmo tecido ou em um tecido diferente, onde o mensageiro dança nesta segunda célula.

No sistema nervoso, a comunicação opera através de neurotransmissores tais como noradrenalina, acetilcolina ou serotonina, enquanto no sistema endócrino atuam mensageiros químicos denominados hormônios (do grego “excitar”), os quais são transportados pelo sangue até seu local de ação (órgão-alvo).

O sistema nervoso e o endócrino estão inter-relacionados, pois o sistema nervoso pode controlar a função endócrina ao tempo que alguns hormônios controlam funções nervosas.

As diferenças da constituição química do hormônio

Existem diferenças quanto à constituição química de cada hormônio dependendo de sua origem. Alguns hormônios são derivados do colesterol e são chamados de hormônios esteroides.

Estes são os hormônios produzidos no córtex da glândula adrenal (cortisol e aldosterona), nos ovários (estrogênio e progesterona), nos testículos (testosterona) e na placenta (estrogênio e progesterona).

Outros hormônios são derivados do aminoácido tirosina como a tiroxina, triiodotironina e as catecolaminas (noradrenalina e adrenalina ou epinefrina e norepinefrina). Estas classes de hormônios acima citados são lipofílicos.

Todos os demais hormônios são proteicos. Esta é a principal classe de hormônios e incluem hormônio de crescimento, insulina, ocitocina, vasopressina, glucagon, etc. Por serem proteicos esses hormônios são hidrofílicos.

Existem algumas diferenças básicas entre os hormônios esteroides e proteicos.

Os hormônios proteicos são produzidos e ficam armazenados nas glândulas até que haja necessidade de sua liberação na corrente sanguínea e são transportados dissolvidos no plasma até o tecido alvo.

Já os esteroides (lipofílicos) são sintetizados e liberados em seguida – não são armazenados. Seu transporte no sangue se dá em associação com proteínas transportadoras que em alguns casos são especificas, isto é, algumas proteínas tem alta especificidade com determinados hormônios. Ex.: proteína transcortina tem afinidade ao cortisol.

Para se produzir uma resposta biológica o hormônio deve estar na forma livre, isto é, não ligado a proteínas. Existe uma relação entre hormônio (lipofílico) livre e ligado no plasma.

Cerca de 1% dos hormônios estão na forma livre, em alguns casos esse percentual pode se elevado, como o cortisol que tem cerca de 10% na forma livre. Na medida em que os hormônios ligam-se á receptores de membrana nas células outras moléculas são liberadas pelas proteínas de transporte.

Gostou do artigo? Inscreva-se no nosso blog, conheça os cursos da área e continue nos acompanhando.  

Receba novidades dos seus temas favoritos

Se aprofunde mais no assunto!
Conheça os cursos na área de Conhecimentos Gerais.

Mais artigos sobre o tema