Sistema nervoso autônomo

O sistema nervoso pode ser dividido em nível estrutural e funcional, em componentes periféricos e centrais. O sistema nervoso periférico inclui todos os nervos que seguem o seu percurso entre o sistema nervoso central e os locais somáticos e viscerais. O sistema nervoso central formado pelo encéfalo e pela medula espinhal está envolvido na percepção, no estado de vigília, na linguagem e no estado de consciência.

O sistema nervoso periférico dividido no sistema nervoso autônomo, sistema eferente somático (músculo esquelético) e sistema aferente somático e visceral (transmite sinais da periferia para o sistema nervoso central).

O que é Sistema nervoso autônomo?

O sistema nervoso autônomo (SNA) regula as respostas involuntárias do organismo, sendo responsável no controle de diversas funções vitais como: frequência cardíaca, contratilidade cardíaca, tônus da musculatura lisa, regulação da pressão arterial, secreções exócrinas e endócrinas, metabolismo intermediário, peristaltismo, frequência urinária, constrição/dilatação pupilar, salivação e pieloereção. O SNA tem três subdivisões:
• Parassimpático = respostas de “repouso e digestão”;
• Simpático = resposta de “luta ou fuga”;
• Entérico (plexos nervosos intrínsecos do TGI).
As fibras nervosas do SNA interagem com seus órgãos-alvo por meio de uma via de dois neurônios. O primeiro neurônio origina-se no tronco encefálico ou na medula espinhal e é denominado neurônio pré-ganglionar. Esse faz sinapse fora da medula espinhal com um neurônio pós-ganglionar, que inerva o órgão-alvo. Tais localizações anatômicas diferem para o SNA simpático e parassimpático.
Entendendo o sistema nervoso simpático?

O sistema nervoso simpático (adrenérgico) também é conhecido como sistema toracolombar visto que suas fibras pré-ganglionares se originam do primeiro segmento torácico ao segundo ou terceiro segmento lombar da medula espinhal. Os primeiros três gânglios, cujas fibras pós-ganglionares seguem com os nervos cervicais, são chamados, gânglio cervical superior (inervam pupila, glândulas salivares e lacrimais), gânglio cervical médio e inferior (inervam coração e pulmão).
Os gânglios do sistema nervoso parassimpático (colinérgico) localizam-se nos órgãos que inervam ou em sua proximidade. As fibras pré-ganglionares originam-se no tronco encefálico ou nos segmentos sacrais da medula espinhal, dessa forma, o sistema parassimpático é conhecido como sistema craniossacral.
Em alguns casos, as fibras nervosas pré-ganglionares podem seguir um percurso mais longo, como no caso de fibras que surgem do nervo craniano III, como o nervo oculomotor (inerva pupila); as fibras oriundas do nervo craniano VII que estimulam a secreção salivar e lacrimal; o nervo craniano IX (nervo glossofaríngeo) que estimula a parótida e o nervo craniano X – nervo vago que inerva os principais órgãos da região tórax e do abdome (coração, árvore traqueobrônquica, os rins e o sistema TGI). Os nervos que originam da região sacral da medula espinhal inervam o colo, a bexiga e a genitália.

Gostou do artigo? Inscreva-se no nosso blog, conheça os cursos da área e continue nos acompanhando.

Receba novidades dos seus temas favoritos

Se aprofunde mais no assunto!
Conheça os cursos na área da Biologia.

Mais artigos sobre o tema