Tempos Cirúrgicos: Quais são?

De modo geral, as intervenções cirúrgicas são realizadas em quatro fases ou tempos básicos e fundamentais: diérese, hemostasia, exérese e síntese.

São procedimentos consecutivos realizados desde o início até o término da cirurgia. De um modo geral as intervenções cirúrgicas são realizadas em quatro tempos básicos, de acordo com a etapa do procedimento a ser realizada pelo cirurgião que citamos acima.

Agora vamos apresentar cada um dos tipos citados acima, são eles:

O que é a Diérese?

É o rompimento da continuidade dos tecidos, ou planos anatômicos, para atingir uma região ou órgão. Pode ser classificada em mecânica ou física.

Ou seja, a diérese é o ato de separar os tecidos com fins operatórios onde podemos encontrar dois tipos, sendo a Incisão que é o ato de separar os tecidos com corte e a Divulsão que é ato de separar os tecidos sem corte. Existem também a punção, secção, curetagem e dilatação. Abaixo, explicamos mais sobre elas.

A diérese mecânica possui alguns tipos, dentre eles:

– Punção: realizada através da introdução de uma agulha ou trocarte nos tecidos, sem, contudo, seccioná-los, com várias finalidades como drenagem de coleção líquida das cavidades ou do interior dos órgãos, colheita de fragmentos de tecidos e de líquidos para exame diagnóstico, injeção de contraste e medicamentos.

– Secção: consiste na segmentação dos tecidos com o uso de material cortante, como tesouras, serras, lâminas ou bisturi elétrico.

– Divulsão: realizada através do afastamento dos tecidos nos planos anatômicos com tesouras de bordas rombas, tentacânulas ou afastadores.

– Curetagem: consiste na raspagem de superfície de um órgão com auxílio de cureta.

– Dilatação: realizada com a finalidade de aumentar a luz de um órgão tubular.

Já a diérese física pode ser classificada em:

– Térmica: realizada com o uso de calor, cuja fonte é a energia elétrica, por intermédio do bisturi elétrico.

– Crioterapia: consiste no resfriamento intenso e repentino da área em que vai ser realizada a intervenção cirúrgica. Normalmente é utilizado o nitrogênio liquefeito por ser uma substância criogênica potente.

– Raio laser: o aparelho de raio laser consiste em um bisturi que emprega um feixe de radiação infravermelha de alta intensidade. Os sistemas laser pode ser obtido com materiais em estado sólido, líquido e gasoso. Existem vários sistemas laser, mas o mais utilizado na cirurgia é o laser de dióxido de carbono (CO2).

Quer saber mais sobre o assunto? Confira os cursos de Enfermagem em Centro Cirúrgico e Instrumentador Cirúrgico, e utilize o certificado dos cursos para complementar suas atividades acadêmicas.

Receba novidades dos seus temas favoritos

Se aprofunde mais no assunto!
Conheça os cursos na área da Saúde.

Mais artigos sobre o tema