A contribuição do estágio supervisionado para o curso de pedagogia

Izabel Lúcia dos Santos Oliveira  [1]

A pedagogia é uma área de conhecimento, uma ciência que tem como objetivos trabalhar em ação coletiva, considerando diferentes dimensões da sociedade, para promover a construção da identidade dos envolvidos no processo ensino-aprendizagem. Daí a importância de refletir criticamente, sobre os conteúdos estudados no Curso de Pedagogia, se eles podem realmente auxiliar na prática pedagógica, bem como na transformação da sociedade pelo papel relevante que o sistema educacional tem no contexto social, econômico e cultural, e passa a considerar o professor como agente das mudanças conjunturais.


É neste contexto que a Pedagogia se apresenta como “um campo de conhecimentos que investiga a natureza das finalidades da educação numa determinada sociedade” (LIBÂNEO, 2005, p.24), e assim estando atrelada com a formação dos indivíduos e suas intenções, visando prepará-los para a vida social e assim cumprir seu papel para a melhoria da educação em sociedade.


Neste sentido, a Pedagogia é concebida como um campo do conhecimento que se ocupa do estudo da educação, do ato educativo, da prática educativa, como parte da atividade humana, e diz respeito a uma reflexão sistemática sobre o fenômeno educativo (LIBÂNEO, 2005), que permeia toda a prática docente do profissional da educação.
É necessário salientar, ainda, que a Pedagogia não pode ser reduzida ao ensino e nem somente as metodologias, é importante entendê-la como processo social sendo um conjunto de diversas aprendizagens e práticas que permeiam a sociedade, devendo ser observada e valorizada, por passar por diferentes âmbitos da materialidade profissional e de por seus fenômenos educativos.


Portanto, a Pedagogia está ligada a vários ramos de estudos próprios e estudada nas disciplinas curriculares do Curso de Pedagogia, por exemplo, a Didática e a Teoria da Educação, que podem ajudar o futuro professor, a elaborar, articular, montar e aprender; isto é capacitar o pedagogo para atuar em vários campos educativos atendendo assim demandas sócio-educativas formais e informais decorrentes de novas realidades (LIBÂNEO, 2005).

A utilização de novas abordagens educativas

A partir desta perspectiva o pedagogo deve utilizar novas abordagens educativas coerentes e coesas, a fim de garantir a aprendizagem em novas tecnologias, bem como mudanças de ritmo de vida profissional, e ainda estar ciente dos acontecimentos globais e desenvolvimento sustentável que contribuem na preservação ambiental e socioeconômica entre outros.


Assim, pode ponderar que a formação do pedagogo é ampla dando suporte teórico e prática para atuação e participar em vários setores na escola, podendo operar na gestão escolar, supervisão e coordenação pedagógica no âmbito escolar, na pesquisa educacional, na definição de políticas públicas educacionais, em movimentos sociais, empresas, nos serviços de psicopedagogia e orientação educacional, nos programas sociais e em outros setores educacionais, culturais e sociais. (LIBÂNEO, 2005).


Desse modo, entende-se que a função do pedagogo é muito rica no que diz respeito à aquisição dos conhecimentos, saberes e atuação profissional cogitado no interior das universidades mediante a matriz curricular do curso. E o Estágio Supervisionado é um componente curricular essencial para realizar o confronto da teoria ensinada na universidade com a prática vivenciada no cotidiano das escolas através do Estágio Supervisionado.

Visto que é neste momento que o futuro professor e pedagogo irá refletir sobre a realidade escolar e consequentemente analisar as ligações existentes entre a escola e as teorias pedagógicas estudadas no processo de formação acadêmica no Curso de Pedagogia.

O estágio supervisionado

Elucida-se que o Estágio Supervisionado integra as inúmeras disciplinas que compõe o currículo acadêmico, com caráter formador, crítico-analítico, que se constroem pontes de conhecimentos elaborados durante o curso, pois propicia a complementação do ensino-aprendizagem a serem planejados, acompanhados e avaliados, seguindo os instrumentos curriculares, calendários escolares, e outros. (PIMENTA, 2004)

No decorrer do Estágio Supervisionado, podem-se elaborar novas experiências, enfrentar desafios e descobrir a realidade do que é ser um professor e de como lidar com situações adversas no âmbito da materialidade profissional, e a partir disso conseguir analisar e reformular principais aspectos, entendimentos e alcançar a superação, já que o estágio possibilita uma aproximação da realidade da sala de aula e da escola, sendo que esta leva a uma reflexão teórica sobre a prática, sobre tudo o que observamos e vivenciamos durante ela, propiciando ao aluno a oportunidade de aproximar-se da realidade a qual atua ou, futuramente, atuará. (CABRAL; ANGELO, 2010, p.2).

Desta forma, o Estágio Supervisionado antecede a profissão de professor, e possibilita compreender a carreira docente e decidir sobre ela voltando-se para uma visão ampla do que é ser docente, aprendendo e ao mesmo tempo se descobrindo como futuro professor, pois o estágio é o lócus onde a identidade profissional do aluno é gerada, construída e referida; volta-se para o desenvolvimento de uma ação vivenciada, reflexiva e crítica e, por isso deve ser planejada gradativa e sistematicamente (BURIOLLA, 1999, p13).


Nesta configuração, entende-se que o Estágio Supervisionado deve ser planejado de forma gradativa e sistematizado, e precisar ser compreendido e analisado, num processo de ação reflexiva e critica na formação do acadêmico e lhe dê condições de vivenciar a prática profissional e possibilita conhecerem a realidade, aprendendo o que está sendo realizado, onde e como; o que não está e o porquê? (PIMENTA, 2009).


Assim, o Estágio Supervisionado pode ser considerado como uma atividade em que o aluno revela sua criatividade, independência e caráter. (…) O estágio Curricular Supervisionado é, durante os estudos, a disciplina que conduz à descoberta de meios importantes para o preparo do trabalho a ser executado em qualquer profissão. (BIANCHI, 2005, p.1).

A importância do estágio supervisionado

Pondera-se que o Estágio Supervisionado é um momento de reconhecimento profissional e de autoconhecimento da profissão docente, em que se podem aplicar valores e sentimentos, visando à ação educativa e o processo pedagógico metódico e intencional, proporcionando o aprendizado e produção de conhecimento, de forma organizada e criativa.

Percebe-se assim, que se deve discutir o Estágio Supervisionado e o que surge de sua prática pedagógica, vindo a surgir preocupações a respeito do estágio nos Cursos de Licenciaturas em Pedagogia, e podendo ser criadas e instituídas leis e resoluções visando sua regulamentação legal, a partir daí os Estágios Curriculares Supervisionados passaram a ser regidos pelas Legislações listadas a seguir:

  1. Lei n°. 9.394/96, de 20/12/96 – Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional;
  2. Resolução CNE/CP n°1, de 15 de maio de 2006

Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Graduação em Pedagogia, licenciatura.

  1. Resolução CNE/CP n°2, de 19/02/2002 (D.O.U. 04/03/02) – institui a duração e a carga horária do curso de licenciatura, de graduação plena de formação de professores da Educação Básica em nível superior. (BRASIL, 1999)

As leis e resoluções do sistema educacional brasileiro mencionam a necessidade de se haver um olhar amplo e um amparo para a formação de licenciados, que contribui para o campo de trabalho e fornece informações que se articulam com a aprendizagem, socialização e a construção de conhecimento. Sendo necessário que se compreenda e desenvolvam-se competências e habilidades para o domínio da legislação educacional e utilize em campo profissional.


Assim sendo, deve-se compreender que Estágio Supervisionado é um componente curricular obrigatório no Curso de Pedagogia, que norteia os saberes teóricos e práticos, que deve subsidiar a formação docente com práticas pedagógicas educativas conforme o contexto social, cultural, econômico, educativo e real da sociedade, já que a prática pedagógica é compreendida como trabalho por ter potencial de ensinar, de gerar conhecimento, não necessariamente inédito, o que lhe confere valor social.


Ela constitui um espaço social que articula a ação com o pensamento, a teoria com a prática e viabiliza a relação do profissional em educação com o mundo físico, social e político, apresentando-se, portanto, como ponto de partida e de chegada de um estudo educacional crítico e reflexivo e como um dos possíveis caminhos de aproximação do processo educativo real (ARNONI, 2001, p.26).


Vale salientar que através do Estágio Supervisionado pode-se conhecer os fundamentos e as práticas como se desenvolve o processos de ensino e aprendizagem, que se caracteriza pelo ato de aprender a ensinar e de adquirir conhecimento, seguindo as leis e resoluções nacionais que regem este processo, de forma consciente e organizado oferecendo a oportunidade de executar tarefas relacionadas às suas áreas de interesse no espaço escolar (IMBERNÓN, ), que valoriza e direciona o estagiário e apontar diferentes caminhos para que alcance suas competências e desenvolvimento na construção pessoal e social.


Segundo Pimenta (2004), a sociedade exige uma educação que possibilite a preparação do cidadão social, técnica e cientificamente, e para o professor cabe à mediação entre sociedade e os conhecimentos escolares trabalhados com os alunos, visando uma educação de qualidade com profissionais competentes que respondam as necessidades da sociedade contemporânea. E neste processo o professor é o mediador do conhecimento que será compartilhado aos seus alunos, para isso deve estar preparado para novas práticas educativas e do ensino.

O Estágio Supervisionado e os Saberes Docentes

As discussões existentes na área da formação do professor, e aqui em especial do pedagogo, perpassam pelo eixo central da formação inicial de professores, e o componente curricular do Estágio Supervisionado também é foco desta discussão por constituí-se como um dos eixos articulares que agregar os saberes teóricos e práticos dos profissionais da educação.


Neste contexto, o estágio assume um papel de grande relevância, não podendo ser concebido como uma ação desvinculada co contexto da formação, ou seja, uma ação orientada excepcionalmente em saberes teóricos dissociados da área educacional. Porém, deve entendê-lo como uma área exclusiva dos cursos de formação de professores, que contribui na construção de novos caminhos e os saberes teóricos e práticos de acordo com vivências concretas do cotidiano do campo educacional. (TARDIF, 2002)


Assim, a formação de professores necessita de constante reflexão baseadas em diversas teorias que se encontram ligadas aos saberes dos aspectos políticos, econômicos e sociais das Políticas Públicas para Educação e das disciplinas do currículo do curso de formação de professor. (IMBERNÓN, 2005)


Tais pressupostos contribuem no processo de formação do futuro professor, que após sua formação passará assumir um papel de mediador do conhecimento e do saber, através do ato de educar ao construir conhecimentos e valorizar os saberes prévios seus e dos seus alunos. Para isso, é importante entender que os saberes e as experiências anteriores auxiliam o professor em suas ações educativas e compreendendo os anseios e dificuldades de seus alunos. (PIMENTA, 2009)


É valido esclarecer que é na formação inicial de professores que estes adquirirem os conhecimentos na universidade chamados de saber curricular que é organizado e selecionado segundo as instituições de ensino e das disciplinas curriculares, e que irão favorecer a atuação do acadêmico em Estágio Supervisionado, que contribuíram na prática pedagógica dos futuros professores. (IMBERNÓN, 2005)


E neste contexto, destaca-se as considerações de Tardif (2002) no que se refere aos saberes os quais chama de saberes docentes classificando-os em saberes da formação profissional, saberes pedagógicos, saberes disciplinares, saberes curriculares e saberes experienciais. É necessário enfatizar que esses saberes encontram-se interagindo uns com os outros em uma verdadeira sintonia que constituem os saberes da docência.


Pensa-se então, que os saberes estão presentes no Estágio Supervisionado por estarem nas instituições de ensino através das disciplinas curriculares e que são transmitidos mediante a formação do professor garantido uma prática pedagógica com sucesso, em sala de aula. E isso implica dizer que contribui no momento do estágio e que auxilia no desenvolvimento e fundamenta a ação docente do estagiário. (TARDIF, 2002)


Por fim, é valido considerar que os saberes amplamente discutidos e ressignificados no momento do Estágio Supervisionado dão ênfase ao conhecimento e ao aprendizado do futuro profissional da educação, e especificamente ao pedagogo, que se efetiva a partir da realidade escolar.


Portanto, é no momento da realização do estágio que o estagiário se utiliza desses saberes para contribuir nas aulas, colaborando para a ação e a reflexão docente e oportunizando que o professor titular reflita sua prática pedagógica.

O Estágio Supervisionado na Interação teoria e prática e a Pesquisa Educacional no processo Formativo

No contexto da formação do profissional da educação é imprescindível discutir o significado do Estágio Supervisionado no espaço de formação universitário por permitir a assimilação dos saberes teóricos mediante ações visíveis de experiência em situações diárias no ambiente escolar, que geram os saberes práticos.


Esse entendimento gera uma ação refletida por parte de professores universitários e estagiários, resultando em uma ampliação da compreensão do papel do Estágio Supervisionado, por possibilitar a construção de novos saberes, por meio da pesquisa educacional. (PIMENTA, 2009)


Logo, o Estágio Supervisionado é um momento de aprendizagem e de pesquisas em ensino, em que se questiona, constrói e prepara o acadêmico para ser um futuro professor. E dentro da ótica da pesquisa pode-se perceber que o conhecimento tem que ser adquirido e analisado teoricamente, pensando nisso, o pesquisar nos reporta a ampliar e entender o que é a pesquisa e a sua importância no processo de formação de professores. (DEMO, 2004)


Outro ponto essencial na prática da pesquisa em educação, diz respeito à interação do ensino-aprendizado da prática e das temáticas abordadas em sala de aula, não podendo desvincular da realidade deste contexto que propiciam novos temas de pesquisa.
E essa situação deve ser levada em conta pelos estagiários ao desenvolverem suas atividades educacionais que perpassam pelo conhecimento teórico que fundamenta a ação da pesquisa, isto é, não se pode realizar nenhuma prática sem conhecer a teoria. (FAZENDA, 2007)


Assim, é evidente a importância da pesquisa na formação do profissional da educação e para o campo educacional, no que concerne ao processo de ensino e aprendizado do campo estágio, pois ensinar exige pesquisa; não há ensino sem pesquisa e pesquisa sem ensino. Esses que-fazeres se encontram um no corpo do outro. Enquanto ensino continuo buscando, reprocurando. Ensino porque busco, porque indaguei, porque indago e me indago. Pesquiso para constatar, constatando, intervenho, intervindo educo e me educo. Pesquiso para conhecer o que ainda não conheço e comunicar ou anunciar a novidade. (FREIRE, 1996, p.29).


Portanto, é preciso ter a compreensão dos fundamentos teóricos e práticos da pesquisa, pois ao iniciar o Estágio Supervisionado é preciso que o estagiário tenha o conhecimento sobre a pesquisa para intervir na educação de forma estruturada e planejada, e assim podendo realizar a pesquisa nas ações pedagógicas que possam contribuir de forma significativa no processo de ensino e para a construção de novos saberes para o desenvolvimento da sociedade.


Ressalta-se que no processo de formação do professor e do pedagogo a teoria e prática para os futuros professores estão atreladas a ação da pesquisa, pois a relação do estagiário com a pesquisa deve considerar o embasamento prático e teórico para realizar suas ações, possibilitando uma capacidade de amadurecimento de se perceber e superar-se, pois é inerente à prática e função docente. (DEMO, 2004)


E assim, a ação docente do futuro professor e do pedagogo deve ser contextualizada nos cursos de formação, com uma reflexão sobre suas ações, e que as aulas têm a sua prática a partir de uma fundamentação teórica, e que esta teoria se manifesta na prática e não desvinculadas, pois de acordo com Pimenta (2004, p.37) a prática pela prática e o emprego de técnicas sem a devida reflexão podem reforçar a ilusão de que há uma prática sem teoria ou de uma teoria desvinculada da prática. Tanto que, frequentemente, os alunos afirmam que ‘‘na minha prática a teoria é outra”. Neste contexto, o estágio nos proporciona uma reflexão sobre o exercício profissional, formação dos futuros professores e a didática aplicada.


Pensando desta forma, a prática pedagógica deve ser a forma de chegar ao direcionamento das intervenções e os estagiários devem estar sempre conscientes de suas ações pedagógicas alinhando teoria e prática, com uma prática reflexiva. Visando e constituindo-se de caminhos a serem trilhados para a construção de uma prática pedagógica consciente, cuidadosa, apurada em seus sentidos na formação de professores. E ainda estabelecendo a pesquisa como sendo um momento de descoberta e aquisição de valores em campo de estágio. (PIMENTA, 2009)


Enfim, pode-se concluir que o Estágio Supervisionado que transcorre por todo período de formação do profissional da educação, busca coibir uma provável dicotomia entre conhecimento teórico e prático mediante ao processo de pesquisa, ou seja, é a junção da teoria com a prática para que os profissionais possam estar habilitados em exercer a pesquisa e suas funções no cenário educacional. (PIMENTA, 2009)
Logo, o estágio passa ter um papel e uma ação fundamental no processo de formação docente, pois deve permitir o intercâmbio entre as instituições formadoras e a comunidade escolar, e assim situando no contexto social o curso de formação de professores, tendo a pesquisa um dos pressupostos desta formação.

Considerações Finais

É sabido que a formação de professores e do pedagogo perpassa também pela formação de identidade profissional, que se efetiva mediante a matriz curricular do curso universitário, e aqui em especial do Curso de Pedagogia oferecido pela Universidade Vale do Acaraú, que trabalha com conhecimentos teóricos e práticos que fundamental essa formação.


Desta forma, durante a vida acadêmica pode-se adquirir novos conhecimentos e aprender com os que já existem, e o Estágio Supervisionado colabora aquisição de novos conhecimentos e para formação docente.


E de acordo com o levantamento bibliográfico e a pesquisa campo realizada constatou-se, neste estudo, através da análise das informações coletadas em ambas as pesquisas, que o estágio contribui significativamente para a formação de professor e em especial dos pedagogos, por proporcionar novas experiências, novos conhecimentos e saberes da profissão mediante os princípios norteadores da pesquisa; além de contribuir com o seu desenvolvimento crítico, cultural e social, por perceber a profissão de forma contextualizada.


Logo, pode-se também constatar que a hipótese desta pesquisa também foi confirma na pesquisa bibliográfica e na de campo na medida em que através do Estágio Supervisionados proporciona o conhecimento do cotidiano escolar, e também a redescoberta deste espaço pelo estagiário, que interage com a complexidade deste ambiente e redimensiona os conhecimentos adquiridos no espaço de formação. E esta é a grandiosa contribuição do estágio que confirma a hipótese deste estudo.


Destaca-se que este processo de formação do professor e do pedagogo deve considerar a relação existente entre teoria e prática é de reciprocidade, onde uma complementa a outra como uma atitude crítica que orienta o desenvolvimento das competências profissionais, configurando-se em todo o processo educacional, partindo do pressuposto de que a construção do conhecimento não ocorre só na prática como também só na teoria, mas na conexão de ambos os saberes mediante o ato de aprender a aprender no exercício da profissão, visando uma ação transformadora. (NÓVOA, 1997)


Além disso, o acadêmico desenvolve seu pensar em relação aos princípios da pesquisa, pois segundo os professores coordenadores do estágio as situações reais levam o estagiário a refletir e buscar fundamentação para responder as suas dúvidas, e os acadêmicos acreditam ser importante em seu amadurecimento profissional.


Por isso, o professor crie novos espaços de formação e deve estimular o estagiário a buscar novos saberes, pois os acadêmicos e professores dizem que os saberes são necessários em estágio, por permitir fundamentar suas ações docentes como futuros professores e pedagogos, e assim desenvolvam as competências relacionadas aos seus instrumentos de trabalho, em articulação com seus fundamentos pedagógicos.
Sendo que, a Universidade e os professores coordenadores devem manter um olhar aguçado e participativo nas questões educacionais e de ensino e aprendizagem; buscando disseminar conhecimentos para que os acadêmicos compreendam realmente sua futura prática pedagógica, e passe a manter a reflexão sobre suas futuras ações.


Partindo desta premissa, pode-se considerar que a prática docente e do pedagogo reflete uma concepção pedagógica, evidenciando as influências da teoria que prevalece no contexto social de forma consciente, mesmo apresentando algumas contradições na ação, que devem ser trabalhadas em sala de aula pelo professor orientador do estágio.
Portanto, o estágio é realmente de suma importância na Matriz Curricular do Curso de Pedagogia, pois a compreensão da realidade educacional e ao ato de reflexão da profissão de professor e contribuindo com ensino de qualidade para a sociedade.

Gostou do artigo? Inscreva-se no nosso blog, conheça os cursos da área e continue nos acompanhando.

Receba novidades dos seus temas favoritos

Se aprofunde no assunto!
Conheça os cursos na área da Educação.

Mais artigos sobre o tema

Educação

O saque no volei

O Voleibol, também conhecido como Vôlei, é um dos esportes coletivos mais difundidos e praticados no Brasil. Faz parte da grade curricular da Educação Física

ler artigo »