O Papel da Escola na Sociedade

A escola tem uma função a cumprir socialmente e essa função só se realiza na ação individual dos profissionais que ali atuam. A escola, historicamente, é o lugar, por excelência, da mediação do conhecimento sistemático, científico elaborado ao longo dos tempos pelo conjunto de sujeitos sociais.

Qual é o objetivo da escola na sociedade?

A função da escola então é realizar a mediação entre o conhecimento prévio dos alunos e o conhecimento formal, sistematizado, possibilitando formas de acesso ao conhecimento científico. Logo a definição de objetivos, a seleção de conteúdo, a proposta metodológica e o processo avaliativo devem ser alicerçados na reflexão filosófica como já foi citado anteriormente.
Dessa reflexão e seleção é que se configurará a prática educativa mediada pela ação pedagógica do professor com os alunos, ou seja, é a ação que faz com que o currículo escolar se efetive. Assim a escola deve manter uma lógica, uma coerência entre os documentos que manifestam a ação refletida do conjunto de pessoas que ali atuam.

Entendendo o processo educativo

Luckesi (1992, p.119), explica que o ato de planejar não pode relegar nenhum procedimento de análise, uma vez que esse ato deve ser ao mesmo tempo político, social, científico e técnico. […] político-social, na medida em que está comprometido com as finalidades sociais e políticas; científico, na medida em que não se pode planejar sem um conhecimento da realidade; técnico, na medida em que o planejamento exige uma definição de meios eficientes para obter os resultados.

Para se atingir o grau de reflexão necessária na totalidade do processo educativo da escola, os sujeitos envolvidos devem ter um nível de conhecimento que possibilite essa compreensão.

As formações iniciais, a graduação, nem sempre exploram esse conhecimento subsidiando o acadêmico para esse debate e vivência. Logo a escola deve proporcionar momentos de formação continuada almejando qualificar o trabalho ali desenvolvido.
Assim o gestor escolar precisa oferecer condições para que haja estudos em grupo, promoção de palestras, aquisição de acervo bibliográficos e periódicos que auxiliem a coordenação pedagógica na organização da formação continuada. Esse é um dos papéis fundamentais da coordenação pedagógica na escola.
Planejar o processo educativo é planejar o indefinido, porque a educação não é um processo, cujos resultados podem ser totalmente pré-definidos, determinados ou pré-escolhidos, como se fossem produtos decorrentes de uma ação puramente mecânica e impensável.
Devemos, pois, planejar a ação educativa para o homem, não lhe impondo diretrizes que o alheiam. Permitindo, com isso, que a educação ajude o homem a ser criador de sua história. (MENEGOLLA; SANT’ANNA, 2002, p. 23).

O papel do professor e da gestão pedagógica

O professor, a coordenação pedagógica e a gestão escolar para serem “criadores de história” precisam se respaldar nos conhecimentos elaborados, conhecer a política educacional e as legislações nacionais e do sistema de ensino que a escola está inserida, dominar a estrutura organizacional da escola, qualificar a participação nos diferentes momentos de discussão sabendo argumentar, dialogar, trabalhar em grupo, dentre outros aspectos que fazem com que os sujeitos do processo de organização pedagógica e administrativa da escola exerçam autonomia e atribuam identidade ao grupo.
A análise das condições para se efetivar o planejamento fundado na reflexão filosófica e capaz de promover uma educação crítica, nos leva a questionar: como o planejamento está organizado na escola?
A organização do planejamento, geralmente, é feita na escola por ano/série de aprendizagem. A coordenação pedagógica estabelece o horário do planejamento de acordo com a carga horária dos professores, como, por exemplo, reunir os professores da educação infantil, pré-escola, professores do 1º ano do ensino fundamental, do 2º ano e assim por diante.
Há os momentos em que a coordenação pode reunir os professores em sequência, ou seja, os que atuam na pré-escola com os que atuam no 1º ano. Esse tipo de organização garante a sequência dos conteúdos e a troca de informação sobre o rendimento dos alunos, a partir da aprendizagem, além de possibilitar a previsão e a prioridade das ações.

Entendendo a Lei sobre o calendário escolar

O momento de planejamento dos professores é garantido por lei e são dispostos no calendário escolar. O artigo 67, da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, nº 9394/96, expressa,
“Os sistemas de ensino promoverão a valorização dos profissionais da educação, assegurando-lhes, inclusive nos termos dos estatutos e dos planos de carreira do magistério público: […] V – período reservado a estudos, planejamento e avaliação, incluído na carga de trabalho; […].”
Há sistemas de ensino ou escolas que organizam a semana de planejamento em conjunto, geralmente no início de cada período letivo, início de cada semestre, por exemplo. São momentos em que se realizam debates sobre a organização pedagógica e administrativa da escola.
Ocasiões em que os profissionais que atuam na escola podem conhecer os documentos que norteiam o seu trabalho, como o projeto pedagógico, currículo escolar e o regimento escolar. A partir disso, os profissionais, nos diferentes segmentos que atuam, passam a ter condições de planejar atendendo as necessidades da escola.

Gostou do artigo? Inscreva-se no nosso blog, conheça os cursos da área e continue nos acompanhando.

Receba novidades dos seus temas favoritos

Se aprofunde no assunto!
Conheça os cursos na área da Educação.

Mais artigos sobre o tema

Educação

O saque no volei

O Voleibol, também conhecido como Vôlei, é um dos esportes coletivos mais difundidos e praticados no Brasil. Faz parte da grade curricular da Educação Física

ler artigo »