Organização e desenvolvimento do espaço temporal

É a capacidade que o indivíduo tem de situar-se e orientar-se em relação aos objetos, às pessoas e ao seu próprio corpo em um determinado espaço. É saber localizar o que está à direita ou à esquerda; à frente ou atrás; acima ou abaixo de si, ou ainda, um objeto em relação a outro. É ter noção de longe, perto, alto, baixo, longo, curto (ASSUNÇÃO; COELHO,1997, p.91-96).

O que é a orientação espacial?


A orientação espacial é a consciência do corpo com o meio. A criança que inicia o processo da alfabetização sem possuir as noções de posição e orientação espacial, pode apresentar os seguintes problemas em sua aprendizagem.

Algumas dificuldades a notar na hora da aprendizagem

• confundir letras que diferem quanto à orientação espacial (b/d, q/p);

• ter dificuldade em respeitar a ordem das letras na palavra e das palavras na frase (brasa/barsa);

• ser incapaz de locom

• não respeitar a direção horizontal do traçado, na escrita;

• não respeitar os limites da folha;

• apresentar sérias dificuldades para se organizar com seu material escolar;

• esbarrar em objetos e pessoas.

Para entendermos o movimento humano, as noções de corpo, espaço e tempo têm que estar intimamente ligadas. O corpo coordena-se, movimenta-se continuamente dentro de um espaço determinado, em função do tempo, em relação a um sistema de referência.

Desenvolvimento da Percepção Temporal

Trabalhar o tempo com a criança é uma das mais difíceis habilidades, uma vez que a mesma tem enorme dificuldade em distinguir o tempo ficcional (aquele contado nas histórias) e o tempo real em que ela vive. É a noção de tempo que desenvolve na criança os hábitos cotidianos como hora de dormir, de comer, tomar banho, etc.

Orientação temporal Noções de tempo longo, de tempo curto (uma hora, um minuto).
Noções de ritmo regular, de ritmo irregular (aceleração, freada); Noções de cadência rápida, de cadência lenta (diferença entre a corrida e o andar); Da renovação cíclica de certos períodos: os dias da semana, os meses, as estações; Do caráter irreversível do tempo: “já passou… não se pode mais revivê-lo”, “você tem cinco anos… vai indo para os seus seis anos… quatro anos, já passaram!”, noção de envelhecimento (plantas, pessoas).

Atividades


1) Correr no ritmo:
Controle espacial:
Formação: livres no espaço.
Material: apito.
Desenvolvimento: os alunos deverão correr de acordo com o apito do professor (no ritmo).

2)Bater palma:
Controle temporal:
Formação: coluna.
Desenvolvimento: deslocar lançando a bolinha para cima e bater uma palma. Ir e voltar fazendo o mesmo trajeto, não pode deixar a bolinha cair no chão, passar a bolinha para o próximo da coluna e assim sucessivamente.

3) Lançar a bola:
Controle temporal:
Formação: coluna.
Desenvolvimento: em deslocamento, lançar a bola em pé pegar assentado Variação: lançar assentado e pegar em pé.

Desenvolvimento da percepção corporal


Esquema corporal é a consciência do corpo como meio de comunicação consigo mesmo e com o meio. Um bom desenvolvimento do esquema corporal pressupõe uma boa evolução da motricidade, das percepções espaciais e temporais, e da afetividade (RIVED, 2010).
O conhecimento adequado do corpo engloba a imagem corporal e o conceito corporal, que podem ser desenvolvidos com atividades que favoreça:
• o conhecer do corpo como um todo;
• o conhecer do corpo segmentado;
• o controle dos movimentos globais e segmentados;
• o equilibrar estático e dinâmico;
• o expressar corporal harmônico.

Atividades:


1) Meu corpo:
Espaço: Sala ampla ou jardim.
Idade: A partir de 1 ano.
Material: Colchonetes ou tapetes de vinil para colocar sobre o chão ou o gramado.
Objetivos: Relaxar; estimular o sentido do tato e o autoconhecimento corporal; e descobrir o prazer no movimento.
Descrição: Estimule as crianças a deitar em diferentes posições para perceber partes do corpo. Faça perguntas como: o que está encostando no chão? Quem está sentindo a perna? Quem está com o braço todo apoiado?

2) O Jogo das Partes do Corpo:
Desenvolvimento: No Jogo das Partes do Corpo, as crianças, a um sinal do professor se movimentam, andando ou correndo pelo espaço da aula. De repente, o professor fala uma parte do corpo, momento em que cada criança, sem parar de se movimentar, procura encostar a parte do corpo mencionada na parte correspondente do corpo de um colega.

Assim, se o professor disser “mão”, o aluno encosta sua mão na mão de algum colega e continua o movimento de deslocamento combinado (por exemplo, andar). Devem ser feitas poucas solicitações, pois estamos indicando essa brincadeira para crianças bem novas.

3) Dois a dois contornar o corpo do colega, depois colocar (olhos, nariz, boca)
Esquema corporal:
Material: giz.

4)Contornar o pé:
Esquema corporal>
Material: giz.

5) Contornar a mão:
Esquema corporal.
Material: giz.

6) Contornar:
Esquema corporal.
Material: bola.
Desenvolvimento: individualmente, assentado com as pernas cruzadas e fletidas, rolar a bola em torno do corpo de um lado para o outro.

7) Banho de jornal:
Expressão corporal.
Material: jornal.
Desenvolvimento: distribuir uma folha de jornal para cada aluno, amassar o papel com se fosse um sabonete, fazer o movimento de tirar a roupa, abrir o chuveiro e começar a tomar o banho, esfregando as partes indicadas : o lado de cima da cabeça, a parte de trás da cabeça, as orelhas, o rosto, os ombros, os braços, as mãos, o tronco, as pernas, os pés.

Depois disso vamos secar, vamos desamassar o papel e fazer dele uma toalha e: secar a cabeça, as orelhas, o pescoço, os braços, a tronco – frente e costa, as pernas e os pés.

8) Fazer careta, dançar, maquiar na frente do espelho.

Gostou do artigo? Inscreva-se no nosso blog, conheça os cursos da área e continue nos acompanhando.

Receba novidades dos seus temas favoritos

Se aprofunde no assunto!
Conheça os cursos na área da Educação.

Mais artigos sobre o tema

Educação

O saque no volei

O Voleibol, também conhecido como Vôlei, é um dos esportes coletivos mais difundidos e praticados no Brasil. Faz parte da grade curricular da Educação Física

ler artigo »