Parasitologia: Parasitas, hospedeiros e relações entre eles

Parasitologia é a ciência que estuda os parasitas, os seus hospedeiros e as relações entre eles. Englobam os filos Protozoa (protozoários), do reino Protista e Nematoda (nematódes), annelida (anelídeos), Platyhelminthes (platelmintos) e Arthropoda (artrópodes), do reino Animal. Os protozoários são unicelulares, enquanto os nematódeos, anelídeos, platelmintos e artrópodes são organismos multicelulares.

Temos também parasitismo em plantas (holoparasita e hemiparasita) como é o caso do cipó-chumbo. Temos parasitismo em fungos (micose) e em bactérias e até vírus. Como disciplina biológica, o campo da parasitologia não é determinado pelo organismo ou ambiente em questão, mas pelo seu modo de vida. Isto significa que forma uma síntese com outras disciplinas, e traz para si técnicas de campos como biologia celular, bioinformática, bioquímica, biologia molecular, imunologia, genética, evolução e ecologia.

O que são parasitas?


Os parasitas são seres vivos que retiram de outros organismos os recursos necessários para a sua sobrevivência. Eles são considerados agressores, pois prejudicam o organismo hospedeiro através do parasitismo. O parasita pode viver muitos anos em seu hospedeiro sem lhe causar grandes malefícios, ou seja, sem prejudicar suas funções vitais.

Entretanto, alguns deles podem até levar o organismo à morte, neste caso, porém, o parasita sucumbirá junto com seu hospedeiro, uma vez que, era através dele, que ele se beneficiava do alimento proporcionado. Dentre as diferentes espécies de parasitas, existem os parasitas facultativos, que são assim chamados por não necessitarem unicamente de um hospedeiro para sobreviver.

Esta espécie é capaz de sobreviver tanto dentro (na forma parasita) quanto fora (vida livre) de outro organismo vivo. É o caso das larvas de moscas, que podem desenvolver-se tanto em feridas necrosadas (como parasitas) ou em matéria orgânica em estado de decomposição (como larvas de vida livre).

Parasitologia é capaz de se reproduzir disseminando seus ovos, e estes, costumam infectar outros hospedeiros, dos quais eles retirarão seus meios de sobrevivência através do parasitismo. Eles podem ser transmitidos entre os seres humanos através do contato pessoal ou do uso de objetos pessoais. Podem também ser transmitidos através da água, alimentos, mãos sem a devida higienização, poeira, através do solo contaminado por larvas, por hospedeiros intermediários (moluscos) e por muitos outros meios.


Os parasitas podem ser classificados segundo vários critérios:


– Quanto ao número de hospedeiros:


São classificados em monoxenos ou monogenéticos e heteroxenos ou digenéticos.


Monoxenos ou monogenéticos são os parasitas que realizam o seu ciclo evolutivo em um único hospedeiro. Exemplos: o Ascaris lumbricoides (lombriga) e o Enterobius vermicularis (oxiúrio). Heteroxenos ou digenéticos são os parasitas que só completam o seu ciclo evolutivo passando pelo menos em dois hospedeiros. São exemplos o esquistossomo e o tripanossoma.


– Quanto à localização nos hospedeiros

os parasitas podem ser ectoparasitas ou endoparasitas. Ectoparasitas são os que se localizam nas partes externas dos hospedeiros. Exemplos: a sanguessuga, o piolho, a pulga, etc. Endoparasitas são os que se localizam nas partes internas dos hospedeiros. Exemplos: as tênias (solitárias), a lombriga, o esquistossomo, etc.

– Quanto ao número de células, os parasitas podem ser classificados em unicelulares ou pluricelulares. Quando um parasita unicelular se instala no seu hospedeiro, falamos em infecção. Se o parasita é pluricelular, à sua instalação no hospedeiro dá-se o nome de infestação.


– O que são os Holoparasitas e Hemiparasitas?



Os parasitas vegetais podem ser de dois tipos:
 holoparasitas e hemiparasitas.

– Holoparasitas são os vegetais que não realizam a fotossíntese ou a quimiossíntese, são os verdadeiros vegetais parasitas. Parasitam os vegetais superiores, roubando-lhes a seiva elaborada. É o caso do cipó-chumbo, vegetal superior não clorofilado. O cipó-chumbo possui raízes sugadoras ou haustórios que penetram no tronco do hospedeiro, retirando deles a seiva elaborada.


– Hemiparasitas 
são os vegetais que, embora realizando a fotossíntese, retiram do hospedeiro apenas a seiva bruta. Como exemplo temos a erva-de-passarinho, vegetal superior clorofilado, que rouba de seu hospedeiro a seiva bruta. Os vegetais hemiparasitas apresentam, portanto, nutrição autótrofa e heterótrofa.

Gostou do nosso conteúdo sobre Parasitologia? Inscreva-se no nosso blog, conheça os nossos cursos e continue nos acompanhando.

Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram

Receba novidades dos seus temas favoritos

Se aprofunde mais no assunto! Conheça os cursos na área da Biologia.

Mais artigos sobre o tema