Sociologia: Instituições Sociais

O conceito de instituição social é amplamente utilizado pela Sociologia e analisada por variadas escolas sociológicas. Entende-se por instituição social o conjunto de regras e procedimentos padronizados, reconhecidos, sancionados e aceitos pela sociedade, e que possui um enorme valor social. Nada mais são do que os modos de pensar, de agir e de

sentir que o indivíduo encontra estabilidade.

Além do conceito acima, vale apresentarmos que instituições sociais são organizações da sociedade que existem para que haja a organização e a coesão social. São elas que passam as regras e normas da sociedade para os cidadãos e forma-os enquanto cidadãos pertencentes a determinado grupo social.


As principais instituições sociais são:


1) Família;
2) Instituições de ensino;
3) Instituição religiosa;
4) Instituição jurídica;
5) Instituição econômica;
6) Instituição política;

O papel das instituições sociais

De forma geral, as instituições sociais buscam tornar a convivência social mais harmônica e menos agressiva pois convivem baseado nas mesmas normas e regras, portanto, as instituições sociais atuam como mediadoras no processo de socialização do ser humano, fazendo com que haja um respeito a certos preceitos sociais.

As Instituições sociais na visão de Émile Durkheim

Émile Durkheim é um sociólogo historiador que foi um defensor do papel das instituições sociais na composição da sociedade.

Entre os movimentos defendidos por ele, o capitalismo também fazia parte, pois, na visão dele, a sociedade como um todo coeso que necessita das instituições para a sua composição e dos comportamentos similares. Para Durkheim, existem duas formas de coesão social:

Solidariedade mecânica

É característica das sociedades pré-capitalistas, cuja organização é feita com base em pontos de coesão mais próximos e nas quais não há grande distância entre seus membros. Tudo funciona como um grande mecanismo.

Solidariedade orgânica

É aquela em que há uma formação de um organismo social, com vários órgãos diferentes que possuem entre si uma coesão interna. Esse tipo de coesão é típico das sociedades capitalistas, que dividem a formação social em grupos diferentes.

A família como grupo social


A Família faz parte do primeiro grupo social que pertencemos, é o tipo de grupo social que tem a composição em variados aspectos que se variam de acordo com o tempo e o espaço. Estas variações podem estar relacionadas quanto ao tipo de família e autoridade ou quanto à forma de casamento, por exemplo.

Ela é o primeiro grupo a ser colocado como exemplo, porém são inúmeras as instituições sociais que podemos citar tais como a Igreja, Estado, Nação e Governo.

Em suma, as instituições sociais são o conjugado de relações entre partes de um grupo, entre conglomerados ou entre pessoas e conglomerados. Qualquer sociedade não tem condições de resistir se não apresentar certo aparelhamento e relacionamento entre seus grupos.

Para que uma sociedade exista, são indispensáveis interações conscientes entre os indivíduos da mesma. Se não acontece o aparelhamento (organização), o homem não obtém a sua alimentação, por exemplo. Ou seja, não poderia alcançar com perfeição todos os seus potenciais.

Gostou do artigo? Confira nosso portfólio de cursos na área de Educação e Pedagogia e utilize o certificado dos cursos para complementar suas atividades acadêmicas.

Receba novidades dos seus temas favoritos

Se aprofunde mais no assunto!
Conheça os cursos na área de Conhecimentos Gerais.

Mais artigos sobre o tema