Teoria das Inteligências Múltiplas

O presente trabalho refere-se a uma pesquisa sobre a Teoria das Inteligências Múltiplas do cientista Howard Gardner que foi um grande avanço na transformação da educação no final do século XX.. Gardner derruba o conceito de QI e apresenta vários tipos de inteligência e suas características e esclarece que já se nasce com as “inteligências” que precisam ser “acordadas” por Estímulos Significativos, mas não se nasce com

Competências e essa é adquirida com o tempo, que é a habilidade e aptidão. O desenvolvimento de cada inteligência será determinado tanto por fatores genéticos e neurobiológicos quanto por conta de fatores ambientais.

Tem como objetivo de entender as inteligências humanas, identificá-las em cada indivíduo especificando as características e o desenvolvimento desde criança até um preparo educacional em que a inteligência mais desenvolvida leva a habilidade profissional de maior destaque.

Primeiro se compreendeu que as inteligências de maior prestígio no sistema educacional eram a verbal e a lógica. Gardner percebeu que havia mais cinco tipos de inteligência e com isso ele derruba o sistema de QI com aplicação de sua “Teoria” com eficácia nas escolas de todo mundo. Com o tempo vem surgindo mais dois tipos de inteligências.

Em sua pesquisa é apresentada em crianças e adultos com diferentes tipos de habilidades e desenvolvimento, sendo elas normais ou com qualquer tipo de anomalia cerebral ou física. A influência que o meio ambiente pode causar ao indivíduo no desenvolvimento das inteligências.

O conteúdo escolar é explorado de acordo com as inteligências dos alunos individualmente. A metodologia aplicada desenvolvera em alto grau no aluno através de Práticas Pedagógicas Interdisciplinar diferenciadas dentro da

Teoria de Gardner explorando as Inteligências Múltiplas dos alunos. A observação dos alunos em sala de aula e aplicação dos questionários em anexo, poderá identificar a maior habilidade intelectual de cada aluno complementando parte da teoria com Práticas Pedagógicas, resultando com diferenciação um interesse muito maior pelos alunos na educação.

A utilização da Grafologia para interpretar a personalidade do indivíduo través da escrita. Alguns exemplos de profissionais conhecidos mundialmente destacando suas habilidades. Concluí-se que a pesquisa foi desenvolvida com conteúdo interdisciplinar tendo como objetivo através da Teoria de Gardner a construção de perspectivas teóricas sobre interatividade, processo de aprendizagem e Práticas Pedagógicas.
Teoria das Inteligências Múltiplas de Howard Gardner
O cientista norte americano Howard Gardner formado em psicologia e neurologia, trouxe no início da década de 1980 a Teoria das Inteligências Múltiplas que foi de grande avanço na transformação da educação.
As pesquisas práticas feitas com crianças, chamaram atenção de Gardner nas manifestações de várias inteligências em que todos nós temos, sendo especificas e localizadas em áreas distintas do cérebro.

Nesse momento iniciou a compreensão de que às inteligências de maior prestígio em nosso sistema educacional é a verbal e a lógica – matemática. Essas duas inteligências se subdividem em outras, onde umas aparecem mais desenvolvidas que outras, tudo isso depende da pessoa e dos seus estímulos, mas que todos nós possuímos.
Cada uma destas inteligências tem sua forma própria de pensamento ou de processamento de informações, além do sistema simbólico que estabelece o contato entre aspectos básicos da cognição e a variedade de papéis e funções culturais; Ele também sugere que alguns talentos só se desenvolvem porque são valorizados pelo ambiente.

Sendo que cada cultura valoriza certos talentos, no qual são dominados por vários indivíduos e depois passados para a geração seguinte.
Para Gardner a inteligência ou o domínio é uma sequência de estágios; sendo que os indivíduos normais possuem os estágios mais básicos em todas as inteligências, enquanto que os estágios mais sofisticados dependem de maior trabalho ou aprendizado.
Estágios das Inteligências Múltiplas
A partir dos dois aos cinco anos de idade, ocorrem as simbolizações básicas do segundo estágio. É nesse momento que as inteligências se revelam através dos sistemas simbólicos. Aqui a criança demonstra suas habilidades em cada inteligência através da compreensão e uso de símbolos: a música através de sons, a linguagem através de conversas ou história, a inteligência espacial através de desenhos etc .
Depois de ter adquirido a competência no uso das simbolizações básicas, a criança entra no terceiro estágio para níveis mais altos de destreza em domínios valorizados em sua cultura. Após o progresso na compreensão dos sistemas simbólicos, elas aprendem o sistema de segunda ordem, ou seja, a grafia dos sistemas (a escrita, os símbolos matemáticos, a música escrita e etc).

Nesta fase o desenvolvimento da criança vai depender do grupo cultural. Se a cultura valoriza mais a música, então terá maior número de indivíduos com uma produção musical de alto nível.
E então na adolescência e na fase adulta as inteligências se revelam através das ocupações vocacionais ou não-vocacionais. É nesta fase que o indivíduo adota um campo específico e focalizado e se realiza em papéis que são significativos em sua cultura.

Teoria de Gardner Derruba a História do QI
O QI (Quociente de Inteligência) era o padrão avaliativo de inteligência mais aceito chamados de testes de QI, criados no início do século XX, pelo psicólogo francês Alfred Binet (1857 – 1911) a pedido, do ministro da Educação de seu país (FERRARI 2008).
Basicamente o QI media a capacidade de dominar o raciocínio que hoje se conhece como Lógico-Matemático e Linguístico e durante muito tempo foi tomado como padrão conferindo o desempenho escolar esperado das crianças se correspondia à idade delas.
Binet acreditou que o aprendizado dos símbolos e raciocínios matemáticos envolve maior dificuldade do que o de palavras, por isso seria um bom parâmetro para destacar alunos mais e menos inteligentes.

A evolução da teoria de Gardner

Com o passar dos anos Gardner percebeu que um teste de QI, não poderia retratar uma questão tão complexa quanto à inteligência humana. Professor da Universidade Harvard, Gardner é considerado um dos “demolidores” do conceito de Quociente de inteligência (QI).

Suas teorias, entretanto, têm pequena aceitação entre neurobiólogos. Resenha publicada na revista educacional, Psychologist menciona a insuficiência de comprovação empírica. A possibilidade de medir a inteligência pela aplicação de testes simples parece ser um critério para avaliação das hipóteses.
Gardner diz que a Inteligência Múltipla marca a diferença nas pessoas. As inteligências são independentes, mas estão interligadas. Os potenciais de cada um, todos podem desenvolver todas as inteligências.
A teoria de Gardner é aplicada com eficácia em escolas de todo mundo. Em uma entrevista, ele declarava-se mais interessado em estimular virtudes e talentos humanos do que em medi-los. Ele diz: “Não deveria valer apenas a nota tirada na prova de matemática, mas o respeito pelo outro e o tipo de ser humano que nos revelamos”.
Gardner explica que algumas pessoas são mais capazes em certos setores que em outros, esteja na predisposição genética e nas experiências infantis capazes de “estimular” e potencializar um dos computadores mentais de que dispomos.
“A vida humana não é infinita e, portanto, não podemos ser excelentes em tudo”. Um gênio poliédrico como Leonardo da Vinci é exceção, e não regra. E devemos explicar ainda a origem das diferenças nos perfis e talentos.
Outro ponto relevante que Gardner indicou em sua teoria é que, em grau significativo, as inteligências são independentes. Ele pôde comprovar isto, por meio das pesquisas feitas com adultos que tinham algum dano cerebral, onde constatou que faculdades podem ser perdidas, enquanto outras são poupadas.
Tipos de Inteligências e Suas Características
Após 25 anos de estudo Gardner tem como hipótese que o ser humano tem muitos tipos de inteligência e a inteligência tem a capacidade de resolver problemas. Gardner diz que a Inteligência Múltipla marca a diferença nas pessoas. As inteligências são independentes, mas estão interligadas. Os potenciais de cada um, todos podem desenvolver todas as inteligências.
Os primeiros tipos de Inteligências descobertos são: 1-Inteligência Lógica Linguística, 2-Inteligência Lógica Matemática. Depois ele percebeu que havia outras cinco Inteligências Múltiplas. 3-Inteligência Espacial, 4-Inteligência Musical, 5-Inteligência Corporal Cinestésica, 6-Inteligência Intrapessoal, 7-Inteligência Interpessoal.
As sete inteligências “Clássicas” citadas acima são apresentadas no livro “Estrutura da Mente” de Gardner. Depois o autor passou a considerar outras inteligências como: 8-Inteligência Naturalista. Ele continuou a perceber mais outra Inteligência, a nona Inteligência, 9-Meia-Inteligência Espiritualista (meia por ele não ter certeza referente à fé e cura das doenças).
Inteligência Lógica Linguística ou Verbal
Manifesta o uso da linguagem (seja escrita, falada ou através de outro meio) é a capacidade de seguir regras gramaticais, é a habilidade de aprender idiomas, usar a linguagem para transmitir informações, estimular, convencer ou agradar.

Também com a facilidade de outras linguísticas como: a poesia, o raciocínio abstrato, as metáforas e o pensamento simbólico. Há nesta inteligência uma extrema sensibilidade à estrutura, som, significado, funções e beleza da palavra na linguagem.
Inteligência bem desenvolvida presente nos oradores, políticos, poetas, dramaturgos, jornalistas, advogados, comediantes, escritores e outros que fazem da palavra e das sentenças verdadeiras peças com as quais constroem a clareza no que dizem ou escrevem. A localização responsável no cérebro é a área de Wernicke, área de Broca, região têmporo-paríeto-ocipital (hemisfério esquerdo).
Inteligência Lógica Matemática
Capacidade de discernir padrões lógicos ou numéricos e a sensibilidade de trabalhar com longas cadeias de raciocínio e formas geométricas. É o que chamamos de raciocínio científico, indutivo e dedutivo. Elabora perguntas que ninguém fez conceber problemas e levá-los adiante.
Juntamente com a linguagem, é a principal base para os testes de Q.I. Possui uma natureza não verbal, de modo que a solução de um problema pode ser dada antes de ser articulado. Inteligência bem desenvolvida presente nos cientistas, engenheiros, projetistas, matemáticos, programadores de computador, contabilistas, banqueiros, economistas, advogados etc. A localização responsável no cérebro é região têmporo-paríeto-ocipita.
Inteligência Espacial
É quando tem a capacidade mental de formar imagens e operá-las. A imagem pode ser visual ou tátil. A imagem tátil é construída geralmente por um cego ao tatear objetos. Também a percepção com relativa exatidão do mundo no plano visuoespacial e realizar transformações. Compreensão do espaço e à orientação integral dos limites físicos do espaço e, provavelmente, do tempo.
Uma pessoa com lesão nessa área desse hemisfério vai impedir que ela consiga interpretar os ponteiros de um relógio, encontrar sua posição em um mapa ou então orientar-se dentro de espaço fechado.

Inteligência bem desenvolvida presente nos arquitetos, motoristas de táxi, marinheiros, decoradores, cirurgiões plásticos, artistas gráficos, artes visuais, escultores, criadores de mapas (mais presentes em navegantes e engenheiros). Área responsável no cérebro é região têmporo-paríeto-ocipital.
Inteligência Musical ou Sonora
Associa-se a capacidade de perceber, discriminar, transformar e expressar formas musicais ou dos sons de um modo geral. Inclui sensibilidade ao ritmo, tom ou melodia, e timbre de uma peça musical. Marcantes exemplos desta inteligência são gênios como Mozart, Schubert, Chopin e outros.

Cada uma destas inteligências tem sua forma própria de pensamento ou de processamento de informações, além de sistema simbólico que estabelecem o contato entre aspectos básicos da cognição e a variedade de papéis e funções culturais.

Ele também sugere que alguns talentos só se desenvolvem porque são valorizados pelo ambiente. Sendo que cada cultura valoriza certos talentos, no qual são dominados por vários indivíduos e depois passados para a geração seguinte.

Depois de ter adquirido a competência no uso das simbolizações básicas, a criança entra no terceiro estágio para níveis mais altos de destreza em domínios valorizados em sua cultura. Após o progresso na compreensão dos sistemas de segunda ordem, ou seja, a grafia dos sistemas (a escrita, os símbolos matemáticos, a música escrita etc). Nesta fase o desenvolvimento da criança vai depender do grupo cultural. Se a cultura valoriza mais a música, então terá maior número de indivíduos com uma produção musical de alto nível.

As Inteligências Múltiplas de Gardner e a Grafologia

Esta compreensão se dá através da Teoria de Gardner na utilização da Inteligência Linguística escrita de cada indivíduo. O processo avaliativo percebe o grau de conhecimento, aptidões, habilidade, fidelidade, motivação, criatividade, objetividade, motivação criatividade, objetividade, autoconfiança, iniciativa capacidade de negociar, capacidade de buscar resultados e etc. Também se é possível observar os traços negativos em uma escrita.

Através da grafologia se podem descobrir aptidões Vocacionais e Profissionais por meio de Análise Grafológica. A Grafologia é um estudo que identifica a inteligência do indivíduo mais desenvolvida para a orientação profissional.

Os compositores e executantes de instrumentos musicais têm laços superiores plenos, escrita com formas arredondadas, sinuosa, desligada, desordenada, saltitante, mostrando a alta sensibilidade, imaginação, emotividade, a intuição e a criatividade e capacidade de transformar e expressar formas musicais.

Estão relacionados com as inteligências espacial, lógico-matemática, linguística e cinestésica – corporal.

Como Trabalhar Pedagogicamente o Aluno Com a Inteligência Mais Desenvolvida

Depois de ter montado o mapa e ter descoberto as ações do aluno de maior desenvolvimento, são adaptados os trabalhos pedagógicos dentro dessa linha para seu maior desenvolvimento escolar e mais tarde consequentemente profissional.

Uma lesão nesse hemisfério, o lesionado não consegue perceber combinações rítmicas ou até mesmo entonações de voz. Inteligência bem desenvolvida presente nos músicos, compositores, violinistas, maestros entre outros. A área responsável no cérebro é Lobo temporal (hemisfério direito).

Inteligência Cinestésica ou Corporal
Está relacionado ao conhecimento do corpo e ao movimento físico, traduzindo-se na capacidade de expressar ideias e sentimentos, facilidade no uso das mãos para produzir ou transformar coisas. A prática de esporte e a dança são linguagens corporais com habilidades que expressam emoções.
Os hemisférios representam a soma de pontos sensitivos do corpo como, por exemplo, as mãos, os pés, criando e dando movimentos harmônicos. Inteligência bem desenvolvida presente nos artistas, atores, escultores, mecânicos, mímicos entre outros (mais presente nos atletas ou dançarinos). A área responsável no cérebro é Giro pós-central, córtex pré-motor.
Inteligência Intrapessoal
É a capacidade de conhecer a própria identidade, o seu interior, com autorreflexão sensivelmente as realidades espirituais, intuição avançada com conhecimento intensificando as respostas. Está ligada também à autoestima e à compreensão plena do “eu”, assim como à capacidade de discernir e discriminar as próprias emoções.
Danos em algumas áreas poderá causar irritabilidade ou euforia. Em regiões mais altas causará indiferença, desatenção, lentidão, apatia e depressão. Inteligência bem desenvolvida presente nos Filósofos, conselheiros espirituais, Teólogos, psicólogos e pesquisadores. (expressa pelo autoconhecimento). A área responsável no cérebro é lobos frontais.
Inteligência Naturalista
É a capacidade de reconhecer e classificar as numerosas espécies – a flora e a fauna – do meio ambiente do indivíduo. É a atração pelo mundo natural, a sensibilidade aos fenômenos naturais. Exemplos típicos desta inteligência são os biólogos, botânicos e os ecologistas (referente à relação da pessoa com a natureza).
O Desenvolvimento das Inteligências
Na teoria de Gardner, todos os indivíduos possuem como parte de sua bagagem genética, certas habilidades básicas em todas as inteligências. A linha de desenvolvimento de cada inteligência, será determinada tanto por fatores genéticos e neurobiológicos quanto por condições ambientais.

O mapa vai possibilitar que o professor conheça melhor o aluno, além do mapa as demonstrações e atitudes aparentes do dia a dia do aluno também fazem parte do processo em que o professor venha conhecer melhor o aluno, basta observar através do conhecimento das Inteligências Múltiplas.
O aluno que é louco por esportes, que pratica ginástica, musculação e quer estar sempre com o corpo “sarado”, bonito e bem estruturado. A qualidade de vida para manter o corpo bem lineado é de grande preocupação e por isso procura comer coisas bem saudáveis. Gostam de viver ao ar livre e por isso curtem mais uma montanha ou praia do que uma balada.
Esse aluno tem a Inteligência Cinestésica – corporal mais desenvolvida. Para trabalhar pedagogicamente esse aluno pode se adaptar em qualquer disciplina de jogos, disputas, gincanas, teatro, dança e tudo que dá movimento ao corpo.

São pessoas que não ficam muito tempo paradas. Por exemplo, na disciplina de História ou Português pode utilizar o teatro. Na disciplina de Ciências, Biologia pode se usar a dança ou a gincana para trabalhar o tema da aula. Um outro exemplo, como no caso de um aluno que está sempre assobiando, ou cantando, ou batendo na mesa ou outro lugar produzindo um som acompanhando uma música, ouvindo um rádio, MP3 ou CD.

O Projeto Pedagógico para desempenhar todas as disciplinas e principalmente aquela que ele tem mais dificuldade é com a música. Pode se adaptar a aula como a letra de uma música. Utiliza-se o ritmo da música como fundo musical e a aula cantada.
Imagina se a maior dificuldade desse aluno é em matemática, utilizam-se trechos de músicas e adapta com os números das equações, problemas e etc. Todos os tipos de inteligência têm importantes funções de trabalhar pedagogicamente, ajudando o desenvolvimento da que está mais atrás.
Desenvolvimento dos Conteúdos Escolares Explorando as Inteligências Múltiplas
Inteligência Musical ou Sonora
É a inteligência que mais se desenvolve precocemente no indivíduo e por isso deve ser estimulada em todos os níveis escolares nas disciplinas curriculares. Alguns exemplos de prática para seu desenvolvimento como estimular os alunos a transformar textos, mensagens ou ideias em paródias adaptando-se os conteúdos dos sinais nas músicas populares. Adaptar apresentação “sonora” de acordo com um tema ou evento.
Apresentações com “fundo” musical para relatos de temas, trechos ou passagens literárias ou explorando outros conteúdos da Geografia, História, Ciências, Física, Química, Biologia e Literatura. Um concurso de “trovas” ou mesmo de textos em “rappers” pode animar a pesquisa e desenvolver projetos que explorem linguagens diferentes para um mesmo tema.

Inteligência Cinestésica – Corporal
Alguns hábitos exagerados na infância e na adolescência como televisão, jogos eletrônicos podem levar pouco desenvolvimento nessa inteligência por afastar de todas as práticas de exercícios corporais ao ar livre nas praias, campos e quadras de esporte.

É necessário unir a mente ao corpo com atividades principalmente na sala de aula, onde quase não acontece. Alguns exemplos em sala de aula: Os alunos fazem simulação através da linguagem corporal demonstrando a atividade do tema da aula. Teatralização ou representações gestuais para transposição da linguagem textual ou numérica para a linguagem corporal.

O professor deve ajudar os alunos na construção de suas sequências de movimentos associados aos conteúdos a aprender. Alunos fazem “dança” contextualizada e temas curriculares diversos. Atividades como gincanas ou mesmo caça ao tesouro, lances esportivos, jogos no chão e etc. Todas as atividades estão ligadas ao tema da disciplina.
Inteligência Visio – Espacial
A inteligência Espacial inicia-se no bebê, acentuando dos dois aos cinco anos de idade, chegando ao pico dos nove aos dez anos, continuando extremamente vigoroso até a velhice. Algumas atividades propostas aos alunos em todas as disciplinas escolares desde a Educação Infantil e o Ensino Superior.
As atividades propostas pelos professores para o desenvolvimento da inteligência espacial dos alunos são: fazer as construções de textos ou equações numéricas em desenhos arquitetônicos usando palavras ou números com forma e tipos de letras e cores diferentes.

Recriação para um texto com novos tamanhos e novas formas. Utilização de escolas gráficas e numéricas e seu uso em diversas situações. Desenvolver os alunos através de gincanas com associações entre o tema estudado com pinturas, desenhos, gráficos, fotos e esculturas.

Inteligência Naturalista
Inteligência Naturalista é quando o indivíduo tem uma ligação forte com os animais, as plantas, compreende os hábitos de espécies e ecossistemas mesmo que não domine cientificamente esses conceitos.

A Inteligência Biológica ou Ecológica se manifesta acentuadamente dos dois ou três anos de idade através do encantamento com animais ou vegetais, podendo se acentuar em idades posteriores e conservando-se intensa e ativa pela vida inteira.
Algumas propostas para seu desenvolvimento interdisciplinar na integração curricular ou não. Passeio no campo ou uma excursão é uma excelente oportunidade de observação e de recriação da paisagem. Fazer descoberta de pista relevante de passeio dentro da linguagem natural e o conteúdo que se ministra.
O professor pode criar vários métodos para desenvolver mais esse tipo de inteligência através de trabalhos de Taxonomia, Projetos e vários tipos de pesquisa dos animais, vegetais, climas, mar, rios, serras e etc.
Inteligência Linguística ou Verbal
Inteligência Linguística são pessoas que tem toda facilidade na comunicação escrita e ou falar em público com o dom da palavra. Algumas atividades propostas de qualquer “tema” e “disciplina”, tendo que se adaptar ao ano do Ensino.
Reportagens de jornais ou televisão estimulam os alunos a desenvolverem suas opiniões. Apresentações teatrais, Jornais Falados, Entrevistas. São muitos métodos pedagógicos que se pode aplicar a inteligência.
Inteligências Pessoais
As Inteligências Pessoais se dividem em duas, a “INTRAPESSOAL” e a “INTERPESSOAL”. A INTRA é o autoconhecimento, auto-estima e automotivação. A INTER é uma inteligência voltada para a coletividade, é o reconhecimento do outro, da empatia, da comunicação e das relações interpessoais. Podemos ter dentre as duas, uma mais alta que a outra.
A manifestação desta inteligência é desde a vida intra – uterina, sendo que nos três primeiros anos de vida a formação das fronteiras do “eu” do “outro” se mostre crítica. Aos dez anos a criança ganha alguma autonomia sobre valores e moralidade.

As sugestões desses projetos são de acordo com o problema da criança podem ser: Círculos de debates e dramatização de caso interessante. Contextualização de notícias da televisão ou de jornais para assuntos cotidianos, explanando com sentimentos e emoções. Estimular alunos a criar diários emocionais dando a opção de ser ou não secretos. Aqui o professor pode conhecer o profundo problema do aluno.

Envolver os alunos em campanhas filantrópicas ou cívicas diversas. Como os assuntos ambientais fazem a integração do aluno e despertam sua sociabilidade. Assim são muitos outros projetos que podem ser desenvolvidos.
Inteligência Lógica – Matemática
Ela se manifesta na sensibilidade e capacidade de discernir padrões numéricos ou lógicos e de lidar com longas cadeias de raciocínio. A partir da adolescência e início da idade adulta, são esses momentos de maior potência, podendo ser estimulada desde a infância.

Vamos citar algumas práticas para desenvolver essa inteligência em qualquer disciplina do currículo escolar:

Desenvolver diversas linhas do tempo desde as que envolvam a vida pessoal do aluno até projeção de teorias, fatos e hipóteses em seu desenvolvimento temporal. Explorar os temas utilizando “médias estatísticas” em sua contextualização com a matéria ensinada.

Utilização dos gráficos de todas as formas, como pizza, barras, lineares e muitos outros. O aluno deve aprender a observar à natureza nos temas descritos, nas paisagens relatadas a presença de padrões de simetria e de forma geométrica.

• Para os alunos da Educação Infantil existe uma quantidade enorme de atividades lúdicas (diferentes tipos de jogos com conta, clipes, cartões, bolinhas e outros) que envolvem experiências com números, sinais, letras, figuras de animais, figuras de plantas, assim dessa forma explorando com intensidade esse campo da aptidão humana.
Múltiplas Competências e Inteligências Múltiplas
“Competência” é a qualidade de quem é capaz de apreciar e resolver certos assuntos, segundo o dicionário Aurélio. Observando o desempenho de um aluno seria possível afirmar que competência é habilidade e aptidão.

Inteligências e Competências, ambas têm saberes, informações, habilidades operatórias, podendo enfrentar uma série de situações ou problemas com eficácia. Diante desse conceito, se pode afirmar que um aluno que tem competência, enfrenta os desafios do tempo que vive, usando os saberes que adquiriu e empregando a todo o momento de sua ação as habilidades antes aprendidas em sala de aula.
Nascemos com nossas inteligências que precisam ser “acordadas” por estímulos significativos, mas não nascemos, entretanto com qualquer competência. As “Inteligências” têm a capacidade de resolver problemas ou criar produtos valorizados no meio social. Tem capacidade de compreender, de se adaptar e contextualizar, são “ferramentas” sistemas neurais que diferenciam uma pessoa da outra.

A importância de desenvolver inteligências

O potencial das Inteligências biopsicológicas, mesmo que seja importante o ambiente em que vive, não se pode esquecer que uma parte dela, devemos a nossa história biológica, a nosso passado evolutivo. Para despertar e ampliar as inteligências, é preciso construir competências e isso em uma escola depende exclusivamente da ação do professor em sala de aula.
O ponto provável de Intercessão entre Inteligências Múltiplas e Competências Múltiplas é que as inteligências: (linguística, lógica-matemática, sonora, cinestésico-corporal, espacial, naturalista intrapessoal, interpessoal existencial, essas inteligências são usadas para múltiplos fins e as competências fazem a lapidação das inteligências.

O estímulo das Múltiplas Inteligências em sala de aula produz a construção de diversas competências que se manifestam no dia a dia.
As inteligências em sala de aula ao se transformarem em informações serão trabalhadas de forma diferente, integrando de uma contextualização com a vida e com espaço que o aluno se insere identificando um significado.

Para se trabalhar inteligências e competências têm que antes trabalhar internamente os capítulos do programa para que os alunos percebam onde seus temas se refletem em seu cotidiano, até onde a geração permite o conhecimento de situações-problemas.
As “Competências pretendidas a serem desenvolvidas nos alunos”, têm como ponto importante de como vai ser trabalhada as competências em sala de aula adaptando ao nível de escolaridade docente e em todas as disciplinas e práticas educativas.

Em muitas décadas, várias experiências foram em sala de aula usadas pelo Ministério da Educação e da Cultura para instrumentalizar o ENEM e outros sistemas de avaliação da aprendizagem. .
Os alunos podem dominar plenamente a leitura escrita, lidando com seus símbolos e signos, beneficiando-se das ofertas de oportunidades da educação por toda vida. Hoje as crianças não vão ficar só ouvindo, esses espaços devem representar o lugar de maior importância da humanidade tendo como ferramenta o aprender a ler e falar e usar a linguagem, palavras, imagens e números.
O mais importante é os alunos saberem interpretar o texto e comunicar o que sabem, o quanto os alunos sabem não importa. Os professores têm que estar alertos para perceberem e aprimorarem as mensagens.

O professor de grande capacidade é aquele que se preocupa em ensinar a ler, e compreender um texto e a expressar com clareza em qualquer que seja a disciplina (Geografia, História, Matemática e outras).
As Competências que se Pretendem os Professores
Para transformar as competências desenvolvendo e estimulando os alunos, é importante que em primeiro lugar o professor enfrente a classe, em sua sala de aula.

• Dirigir e organizar situações de aprendizagem, definir os objetivos fazendo uma boa seleção dos conteúdos a serem ensinados. Trabalhando a partir das representações dos alunos e através dos erros, obstáculos da aprendizagem. Desenvolver dispositivos e sequências didáticas, envolvendo os alunos em atividades de pesquisa, em projetos de conhecimento.

• Administrar a progressão das aprendizagens, conceber e administrar situações problema ajustadas ao nível e às possibilidades dos alunos. Ter uma visão ampla dos objetivos do ensino. Integrar as atividades de aprendizagem com as teorias. Observar os alunos de acordo com a formação para uma avaliação. Estar sempre avaliando as competências para tomar decisões nas transformações.

• Fazer evoluir os diferentes dispositivos, visar trabalhando a heterogeneidade da classe ampliando sua gestão, buscando o desenvolvimento na cooperação entre alunos. Organizar em cada sala de aula uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI), fornecendo apoio integral.

• Levar ao aluno a compreensão de um mundo reestruturado através da aprendizagem, desvendar o aluno provocando o desejo de aprender, mas ensinando com entusiasmo. Apresentar ao aluno a relação entre aprendizagem e o saber, buscando o desenvolver e organizando as etapas, incentivar o aluno ao desafiante jogo de transformação e antecipar a alegria em sua conquista.

Fazer com que o aluno se sinta importante como agente de um processo organizando um Conselho e não apenas receptores de conteúdos e habilidade. Colocando sempre diferentes estratégias com atividades opcionais.
• Aprender e ensinar a trabalhar juntos e com equipes os Projetos Pedagógicos elaborados em equipes. Entender através de referências como funciona a “dinâmica dos grupos”, praticar essas tarefas em encontros com equipe docente ensinando os alunos a trabalhar e a conduzir reuniões. Confiar na equipe para controlar as crises de relacionamento interpessoais e analisar um conjunto de situações complexas.
• Dominando as novas tecnologias, estimular a comunicação à distância e a pesquisa usando a Internet. Explorar as potencialidades didáticas dos CD”ROMS e outros programas. Usar e ensinar os alunos editores de texto.
• Administrar sua formação continuada e permanente e superar os conflitos éticos da profissão, o sentido de responsabilidade e justiça da profissão deve ser desenvolvido conscientemente. A disciplina e à comunicação em aula, são regras de conduta de criação participativa. Lutar contra todas as formas de preconceito e discriminações, prevenindo dentro da escola todo tipo de violência.
Como Transformar Informações em Conhecimento
“Aprendizagem Significativa” é construída uma única conexão entre a informação do momento que se associa á informação já existente em nosso conhecimento. A duração memorial é bem longa e eficaz. “Aprendizagem Mecânica” é a repetição da informação incessantemente até que o cérebro registre. A duração memorial é relativamente eficiente, mais bastante limitada.

“Aprendizagem Organizada” é quando solicita sua ação sobre o conhecimento atravessando diferentes habilidades operatórias, essa é a maneira mais completa de organizar aprendizagem no cérebro.

Para se tornar o conhecimento muito mais acessível, é necessário que haja diferentes ações para estimular o cérebro e isso acontece quando por exemplo o professor solicita que comparem o texto, analisem, sintetizem, descrevam e classifiquem esse texto. Se o texto for apenas lido, mesmo que os alunos repitam, estimula-se apenas uma ação cerebral e o conhecimento é muito menos acessível.
É necessário que o professor se proponha a levar o aluno a construir como agente de sua própria aprendizagem. Que o professor seja um facilitador organizando o trabalho do aluno explicando, propondo habilidades diferentes. O professor não pode apenas dar a matéria, explorando oralmente o saber como propriedade pessoal.
Profissões Desenvolvidas Através de Gardner
Gardner afirma que são raros os casos de pessoas que não possuem nenhuma habilidade intelectual, que se pode desenvolver uma ou duas habilidades. Ele estudou também o desenvolvimento de diferentes habilidades em crianças normais, crianças superdotadas, adultos com lesões cerebrais, excepcionais (crianças autistas).

Diante dessa pesquisa Gardner comprovou que os adultos com lesões cerebrais e crianças autistas não perdem a intensidade de sua produção intelectual, mas perdem algumas habilidades. Estudou utilizando vários aspectos: como o desenvolvimento normal e o desenvolvimento do indivíduo talentoso, garotos prodígios, crianças autistas, crianças com desvio de aprendizados e análises da perda das capacidades de cognição em pessoas com lesões cerebrais.
Para Gardner, cada indivíduo nasce com um vasto potencial de talentos ainda não moldados pela cultura, o que só começa a ocorrer por volta dos cinco anos. A educação que as pessoas recebem e as oportunidades que encontram é o desenvolvimento de suas capacidades inatas.

A educação comete grandes erros em não levar em conta os vários potenciais de cada um. As escolas têm alguns hábitos que costumam sufocar essas aptidões desde a entrada da criança na escola.
Entendendo de forma geral

Baseada em toda trajetória do curso de biologia, estavam claros os diferentes métodos pedagógicos que acompanham as teorias educacionais de Gardner e outros que não acompanham esses métodos trazendo consequências para os alunos na lentidão de aprender, ou insatisfação e indiferença em aprender ou até mesmo em não aprender.
A Teoria das Inteligências Múltiplas descrita por Gardner derrubou o conceito de QI, corrigindo as várias falhas na educação que tem pouca aprendizagem, por falta de métodos evoluídos e que esta teoria vem estar de acordo com os novos desafios da humanidade.

Esta pesquisa tem demonstrado a necessidade de mudanças na educação, tendo como objetivo de transformar todas as aulas com Práticas Pedagógicas Interdisciplinares dominando um novo conceito educacional dentro das novas descobertas e da evolução de hoje.

Todo ser humano tem a capacidade de desenvolver uma ou mais habilidades intelectuais, as inteligências são ímpar em cada indivíduo, levando a todos o direito do mesmo resultado em aprender. Se um aluno aprende mais que o outro, a pesquisa mostra que o aluno que aprendeu menos foi por falta de um desenvolvimento adequado que cada um deve ter individualmente através da escola dentro da Teoria das Inteligências Múltiplas.

O profissional de licenciatura, hoje ele precisa estar sempre se atualizando na educação através de cursos, colocando em prática a nova pedagogia, para que todos os alunos saiam da escola com a mesma base e com maior alto nível educacional. A dedicação do professor, o amor e o entusiasmo pela profissão, também são sem dúvida um dos fatores principais. A evolução do mundo depende de uma nova educação, e hoje aprender é com muita diversão e seriedade.
A Teoria de Gardner tem provado que suas pesquisas são de grande apoio na evolução da educação e da compreensão da humanidade. Os vários tipos de inteligência que cada indivíduo possui e que todos têm é muito bem esclarecido por Gardner, que se precisa apenas despertá-los com os Estímulos Significativos e com uma Aprendizagem Organizada, para que o aluno leve isso por um longo tempo ou até mesmo para toda vida, não continuar a trabalhar com uma aprendizagem mecânica que leva pouco tempo na memória o que se aprendeu.

Ela vem sendo praticada nas escolas de todo mundo e tendo uma repercussão muito positiva na necessidade de mudar o sistema, para acompanhar a transformação do mundo. Todos esses resultados, apresentam com uma real compreensão maior da derrubada do QI.
Gostou do artigo? Inscreva-se no nosso blog, conheça os cursos da área e continue nos acompanhando.

Receba novidades dos seus temas favoritos

Se aprofunde no assunto!
Conheça os cursos na área da Educação.

Mais artigos sobre o tema

Educação

O saque no volei

O Voleibol, também conhecido como Vôlei, é um dos esportes coletivos mais difundidos e praticados no Brasil. Faz parte da grade curricular da Educação Física

ler artigo »