As etapas do processo empreendedor

Observa-se que a decisão de se tornar empreendedor pode ocorrer aparentemente por acaso. Para Dornelas (2005), essa decisão ocorre devido a fatores externos, ambientais e sociais, a aptidões pessoais ou a um somatório de todos esses fatores, que são críticos para o surgimento e o crescimento de uma nova empresa.
Para Dornelas (2005), o processo empreendedor tem início quando um evento gerador desses fatores possibilita o início de um novo negócio.

Compreende-se que o talento empreendedor seja resultado de:
• Percepção,
• Direção,
• Dedicação, e
• Muito trabalho.

Onde existe o talento empreendedor, há a oportunidade de crescer, diversificar e desenvolver novos negócios. Porém, talento sem ideias consiste em uma semente sem água. Quando o talento é somado à tecnologia e as pessoas têm boas ideias viáveis, o processo empreendedor está na iminência de ocorrer.
Por fim, existe a necessidade de se ter um combustível essencial para que finalmente o negócio saia do papel: o capital.

A importância de conhecer o seu mercado

O empreendedor de sucesso deve conseguir convergir Know-how, ou seja, conhecimento e a habilidade de reunir talento, tecnologia e o capital que fazem a empresa se desenvolver da maneira planejada e apropriada.

Dornelas (2005) apresenta as fases do processo empreendedor, que consistiria em:

• Identificar e avaliar a oportunidade;
• Desenvolver o plano de negócios;
• Determinar e captar os recursos necessários;
• Gerenciar a empresa criada.

Embora tais fases sejam apresentadas de forma sequencial, nada exige que uma delas tenha de ser concluída para que se operacionalize outra.

A seguir, aprimoram-se cada uma dessas fases:

Identificar e avaliar a oportunidade:


– Criação e abrangência da oportunidade;
– valores percebidos e reais da oportunidade;
– riscos e retornos da oportunidade;
– oportunidade versus habilidades e metas pessoais;
– situação dos competidores.


Essa seria a fase mais difícil. O conhecimento, a percepção, o feeling, do empreendedor, tornam-se fundamentos essenciais desse processo. Enquanto muitos dizem que isso ocorre por sorte, tantos outros afirmam que sorte é o encontro da competência com a oportunidade.

Desenvolver o plano de negócios:


– Sumário Executivo;
– O conceito do negócio;
– Equipe de Gestão;
– Mercado e Competidores;
– Marketing e Vendas;
– Estrutura e Operação;
– Análise estratégica;
– Plano Financeiro;
– Anexos

Essa talvez a fase que mais exija trabalho para os empreendedores de primeira viagem. Ela envolve conceitos que devem ser entendidos e expressos de forma escrita, em poucas páginas, dando forma a um documento que sintetiza toda a essência da empresa, sua estratégia de negócio, seu mercado e competidores, como vai gerar receitas, dentre outros.

Determinar e captar os recursos necessários:

– Recursos pessoais;
– Recursos de Amigos e parentes;
– Capitais de Risco;
– Bancos;
– Governo;
– Incubadoras.


Determinar os recursos necessários é consequência do que foi feito e planejado no plano de negócios. Já a captação de recursos pode ser feita de diferentes formas e por meio de várias fontes distintas.

Gerenciar a empresa criada:


– Estilo de Gestão;
– Fatores críticos de sucesso;
– Identificar problemas atuais e potenciais;
– Implementar um sistema de controle;
– Profissionalizar a gestão;
– Entrar em novos mercados.

Gerenciar a empresa parece ser a parte mais fácil, pois as outras já foram feitas. Mas não é bem assim. Cada fase do processo empreendedor tem seus desafios e aprendizados. Muitas vezes, o empreendedor identifica uma excelente oportunidade, elabora um bom plano de negócios e vende a sua ideia para investidores que acreditam nela e concordam em financiar o novo empreendimento.
Quando é hora de colocar as ações em prática, começam a surgir os problemas. Os clientes não aceitam tão bem o produto, surge um concorrente forte, um funcionário-chave pede demissão, uma máquina quebra e não existe outra para repor, enfim, problemas vão existir e necessitarão serem solucionados.
É aí que o estilo de festão do empreendedor fará a diferença. Esse, deve reconhecer suas limitações e saber, antes de qualquer coisa, recrutar uma excelente equipe de profissionais para ajudá-lo a gerenciar a empresa, implementando ações que visem a minimizar os problemas, e identificando o que é prioridade e o que é crítico para o sucesso do empreendimento.

Gostou desse artigo? Inscreva-se no nosso blog, conheça os nossos cursos e continue nos acompanhando!

Receba novidades dos seus temas favoritos

Se aprofunde mais no assunto!
Conheça os cursos na área de Administração e Negócios.

Mais artigos sobre o tema