Teoria neoclássica da Administração

menina usando o notebook

A teoria neoclássica da administração trata-se de um conjunto de teorias que surgiram na década de 1950 e que sugerem uma retomada das abordagens clássica e científica da administração que tem como principal referência Peter Drucker, mas também inclui um grupo amplo de autores como Willian Newman, Ernest Dale, Ralph Davis, Louis Allen e George Terry.



Principais conceitos abordados na teoria neoclássica, destacam-se:


1. Ênfase na prática da administração


• Busca de resultados concretos;
• Formulação de conceitos de forma prática e utilizável;
• Foco na ação administrativa;
• Influência da cultura anglo-saxônica.


2. Reafirmação relativa das proposições clássicas


• Reação às ciências do comportamento;
• Retomada do legado da abordagem clássica;
• Ampliação e flexibilidade à teoria clássica.


3. Ênfase nos princípios gerais de gestão


• Estabelecimento de normas de comportamento administrativo;
• Retomada dos princípios gerais de planejar, organizar, dirigir e controlar;
• Crença de que os problemas de gestão são sempre os mesmos, independentemente do tipo e tamanho da organização.


4. Ênfase nos objetivos e resultados


• Premissa de que toda organização existe para atingir objetivos e alcançar resultados;
• O desempenho da organização deve ser avaliado com base nos objetivos e resultados.


5. Ecletismo nos conceitos


• Apesar de sustentar-se em conceitos da teoria clássica, os conteúdos de teorias mais recentes são absorvidos pelos autores neoclássicos.

O Nascimento da teoria Neoclássica

A conhecida teoria neoclássica surgiu com o crescimento exagerado das organizações. Uma das respostas que procurou dar foi a respeito do dilema centralização versus descentralização. Boa parte do trabalho dos neoclássicos está voltada para fatores que levam à decisão de descentralização, bem como às vantagens e desvantagens que a descentralização proporciona.

Quem foi Peter Drucker?

Chamado Peter Ferdinand Drucker atuava como um consultor, escritor, acadêmico, era um notável economista e reconhecidamente chamado de “guru da administração” ainda que este apelido não fosse o seu favorito, pois sentia que o título poderia ligar ao charlatanismo.

Drucker foi um dos maiores pensadores do campo nos últimos tempos, colaborando com análises presentes e futuras a respeito da gestão de organizações durante os séculos 20 e 21.

Abordando temáticas que agora são ainda mais relevantes como a globalização e os benefícios da descentralização dentro das empresas que, ao promover a autonomia, ganham agilidade em seus processos.

Drucker, o pai da gestão moderna, viveu entre os anos de 1909 e 2005, quando partiu, e deixando influência em personalidades como Bill Gates, fundador da Microsoft. E antes de falecer, ele continuava ministrando aulas de ciências sociais na cidade da California.

A administração na visão de Peter Drucker

Em suas obras, o guru da administração, explica que Administração não é uma ciência, e sim uma prática que precisa ser alimentada por outras disciplinas (Economia, Filosofia, Matemática, História, etc.) para formar saberes úteis no dia a dia.

Contudo, ele reconhecia que, para administrar, não é imprescindível ter conhecimento sobre esse setor, embora a formação qualifique e melhore o trabalho do gestor.

A administração requer atenção e informações básicas referentes à legislação, aspectos jurídicos e a estrutura de uma empresa.

Conhecido como o guru da administração, Peter Drucker

Gostou do artigo? Inscreva-se, conheça os nossos cursos e continue nos acompanhando.

Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram

Receba novidades dos seus temas favoritos

Se aprofunde mais no assunto! Conheça os cursos na área de Administração e Negócios.

Mais artigos sobre o tema