Teoria neoclássica da Administração

menina usando o notebook

A teoria neoclássica da administração trata-se de um conjunto de teorias que surgiram na década de 1950 e que sugerem uma retomada das abordagens clássica e científica da administração que tem como principal referência Peter Drucker, mas também inclui um grupo amplo de autores como Willian Newman, Ernest Dale, Ralph Davis, Louis Allen e George Terry.

Principais conceitos abordados na teoria neoclássica, destacam-se:

1. Ênfase na prática da administração

• Busca de resultados concretos;
• Formulação de conceitos de forma prática e utilizável;
• Foco na ação administrativa;
• Influência da cultura anglo-saxônica.

2. Reafirmação relativa das proposições clássicas

• Reação às ciências do comportamento;
• Retomada do legado da abordagem clássica;
• Ampliação e flexibilidade à teoria clássica.

3. Ênfase nos princípios gerais de gestão

• Estabelecimento de normas de comportamento administrativo;
• Retomada dos princípios gerais de planejar, organizar, dirigir e controlar;
• Crença de que os problemas de gestão são sempre os mesmos, independentemente do tipo e tamanho da organização.

4. Ênfase nos objetivos e resultados

• Premissa de que toda organização existe para atingir objetivos e alcançar resultados;
• O desempenho da organização deve ser avaliado com base nos objetivos e resultados.

5. Ecletismo nos conceitos

• Apesar de sustentar-se em conceitos da teoria clássica, os conteúdos de teorias mais recentes são absorvidos pelos autores neoclássicos.

O Nascimento da teoria Neoclássica

A conhecida teoria neoclássica surgiu com o crescimento exagerado das organizações. Uma das respostas que procurou dar foi a respeito do dilema centralização versus descentralização. Boa parte do trabalho dos neoclássicos está voltada para fatores que levam à decisão de descentralização, bem como às vantagens e desvantagens que a descentralização proporciona.

Quem foi Peter Drucker?

Chamado Peter Ferdinand Drucker atuava como um consultor, escritor, acadêmico, era um notável economista e reconhecidamente chamado de “guru da administração” ainda que este apelido não fosse o seu favorito, pois sentia que o título poderia ligar ao charlatanismo.

Drucker foi um dos maiores pensadores do campo nos últimos tempos, colaborando com análises presentes e futuras a respeito da gestão de organizações durante os séculos 20 e 21.

Abordando temáticas que agora são ainda mais relevantes como a globalização e os benefícios da descentralização dentro das empresas que, ao promover a autonomia, ganham agilidade em seus processos.

Drucker, o pai da gestão moderna, viveu entre os anos de 1909 e 2005, quando partiu, e deixando influência em personalidades como Bill Gates, fundador da Microsoft. E antes de falecer, ele continuava ministrando aulas de ciências sociais na cidade da California.

A administração na visão de Peter Drucker

Em suas obras, o guru da administração, explica que Administração não é uma ciência, e sim uma prática que precisa ser alimentada por outras disciplinas (Economia, Filosofia, Matemática, História, etc.) para formar saberes úteis no dia a dia.

Contudo, ele reconhecia que, para administrar, não é imprescindível ter conhecimento sobre esse setor, embora a formação qualifique e melhore o trabalho do gestor.

A administração requer atenção e informações básicas referentes à legislação, aspectos jurídicos e a estrutura de uma empresa.

Conhecido como o guru da administração, Peter Drucker

Gostou do artigo? Inscreva-se, conheça os nossos cursos e continue nos acompanhando.

Receba novidades dos seus temas favoritos

Se aprofunde mais no assunto!
Conheça os cursos na área de Administração e Negócios.

Mais artigos sobre o tema