A cinemática do trauma

A cinemática do trauma

A cinemática do trauma é caracterizada como o processo de avaliação da cena de um acidente para determinar quais lesões podem ter ocorrido das resultantes forças que agem sobre um corpo. Esta avaliação é fundamental, pois determinará a sua avaliação que o corpo sofreu com as forças que atuam em um acidente.


A energia exercida sobre um veículo irá refletir na pessoa envolvida nos acidentes, mesmo com os veículos atuais sendo capazes de absorverem grande parte da força exercida. Um exemplo é quando um caminhão bate de frente com um carro pequeno, logo, percebemos que os principais danos são gerados nas pessoas que estão no carro pequeno, ou em cruzamento uma motocicleta bate na parte da frente de um automóvel, projetando o motociclista para longe.

É fundamental observarmos a cinemática que todo acidente envolve, pois é nesta avaliação que as características fornecidas do evento traumático irão oferecer as devidas pistas para a identificação de 90% das lesões sofridas pelas vítimas.


Uma das principais finalidades de se reconhecer a cinemática do trauma é observar a existência de lesões ocultas, principalmente naquelas pessoas aparentemente sem lesões visíveis, como as hemorragias internas.


Trauma

O trauma se caracteriza pela absorção excessiva de forças por um corpo físico, resultando em lesões que podem ser visíveis ou não, pode ser locais (Numa região do corpo) ou sistêmicas (Várias regiões do corpo) este comumente é denominado politrauma.


Fatores que influenciam as lesões:


Conhecer a força envolvida em um acidente é primordial para a devida prestação de socorro. Nos acidentes de trânsitos podemos nos deparar principalmente com as forças mecânicas, elétricas, térmicas e químicas. Outro fator importante é a velocidade que estas forças irão atuar.


Velocidade de transmissão da força para o corpo:


– Lenta – Contusões e ou esmagamentos.


– Rápida – Avulsões, amputações, lacerações ou explosões.


Outro fator a observarmos é a superfície da área sobre a qual a força energética é aplicada, pois conforme a área atingida, as lesões poderão ser locais ou sistêmicas, como já vimos.



Cavitação

Outro ponto importante a ressaltar, é a propriedade elástica dos tecidos humanos. A capacidade elástica dos tecidos quando as forças atuam sobre eles podem fazer com que se rompam e ou desloquem. Esta elasticidade faz com que os tecidos mudam sua posição original, resultando em uma cavidade. E este processo é chamado de cavitação.


A cavitação pode ser temporária, que é aquela formada no momento do impacto, e dependendo da elasticidade do tecido não ser visível e ainda o tecido poderá voltar espontaneamente à posição original.


E temos também a cavitação definitiva, que pode causar compressão ou laceração dos tecidos após o estiramento. Devido à magnitude da laceração não retornando à posição original espontaneamente.

Assim podemos concluir que é de suma importância a análise da cinemática do trauma para o correto diagnóstico e tratamento do paciente.

Gostou do conteúdo e ficou interessado em saber mais? Siga acompanhando nosso portal e fique por dentro de todas nossas publicações. Aproveite também para conhecer nossos cursos e ampliar seus conhecimentos.

Receba novidades dos seus temas favoritos

Se aprofunde mais no assunto!
Conheça os cursos na área da Saúde.

Mais artigos sobre o tema