A Composição da equipe de saúde da família

O trabalho de equipes da Saúde da Família é o elemento-chave para a busca permanente de comunicação e troca de experiências e conhecimentos entre os integrantes da equipe e desses com o saber popular do Agente Comunitário de Saúde.

Segundo a Política de Atenção Básica (PAB), para a implantação da Estratégia de Saúde da Família, há necessidade de formação da equipe de saúde da família, que deverá estar composta por multiprofissionais responsáveis, no máximo, de 4.000 habitantes, sendo a média recomendada de 3.000 habitantes, com jornada de trabalho de 40 horas semanais para todos os seus integrantes e composta obrigatoriamente por uma equipe mínima.

Onde as equipes atuam?

A atuação das equipes ocorre principalmente nas unidades básicas de saúde, nas residências e na mobilização da comunidade, caracterizando-se: como porta de entrada de um sistema hierarquizado e regionalizado de saúde; por ter território definido, com uma população delimitada, sob a sua responsabilidade; por intervir sobre os fatores de risco aos quais está exposta a comunidade; por prestar assistência integral, permanente e de qualidade; por realizar atividades de educação e promoção da saúde.

A inclusão destes profissionais está prevista em lei e depende apenas da vontade política local e do entendimento destes governantes com relação à necessidade destes profissionais para a melhoria das ações em saúde desenvolvidas pela ESF.

Modalidades de atendimento


Segundo o Ministério da Saúde poderão ser incorporados à equipe mínima de saúde da família profissionais de saúde bucal, chamados de Equipe de Saúde Bucal (ESB), dividindo-se em duas modalidades, conforme necessidade local:

Modalidade 1

Existência de equipe multiprofissional com composição básica de cirurgião dentista e auxiliar de consultório dentário (figura 6). O trabalho deverá ser integrado a uma ou duas equipes de Saúde da Família, com responsabilidade sanitária pela mesma população e território que as equipes de Saúde da Família às quais está vinculada, com jornada de trabalho de 40 horas semanais para todos os seus componentes.

Modalidade 2

Também deverá ser composta de equipe multiprofissional, com a diferença desta totalizar quatro (4) profissionais de saúde bucal. Com trabalho integrado ao mesmo número de equipes de Saúde da Família que a da modalidade 1, assim como a quantidade de jornada de trabalho.

As equipes são compostas, no mínimo, por um médico de família, preferencialmente generalista, um enfermeiro, um auxiliar de enfermagem e seis (6) agentes comunitários de saúde, o número de agentes deverá ser suficiente para cobrir 100% da população cadastrada, com um máximo de 750 pessoas por agente comunitário e de 12 agentes por equipe de Saúde da Família.

Quando ampliada, conta ainda com: um dentista, um auxiliar de consultório dentário e um técnico em higiene dental. E, ainda: por estabelecer vínculos de compromisso e de corresponsabilidade com a população; por estimular a organização das comunidades para exercer o controle social das ações e serviços de saúde; por utilizar sistemas de informação para o monitoramento e a tomada de decisões; por atuar de forma intersetorial, por meio de parcerias estabelecidas com diferentes segmentos sociais e institucionais, de forma a intervir em situações que transcendem a especificidade do setor saúde e que têm efeitos determinantes sobre as condições de vida e saúde dos indivíduos-famílias-comunidade (BRASIL, 2001).

Gostou do artigo? Inscreva-se no blog, conheça os cursos da área e continue nos acompanhando.  

Receba novidades dos seus temas favoritos

Se aprofunde mais no assunto!
Conheça os cursos na área da Saúde.

Mais artigos sobre o tema