A morfologia interna do coração

Quando analisamos as paredes abertas do coração observamos que a cavidade cardíaca apresenta septos.

São eles que dividem o coração em quatro câmaras.

Então vamos entender quais são os septos existentes no coração. Existe o septo atrioventricular, um septo horizontal que divide o coração em porções superiores (átrios) e inferiores (ventrículos).

Já o septo interatrial representa um septo sagital que divide a porção superior do coração em duas câmeras, ou seja, dois átrios (direito e esquerdo).

Entendendo os átrios


Cada átrio possui um apêndice, encontrado na superfície externa do coração e assemelha a uma orelha de um animal e por isso recebe o nome de aurícula (do latim auris, orelha).

Os átrios apresentam como função principal receber o sangue que vem de diversas partes do corpo, funcionando, portanto, como câmaras coletoras. Já os ventrículos são os responsáveis por garantir o bombeamento do sangue para outros locais, sendo, portanto, câmaras bombeadoras.

Tendo em vista o papel de cada câmera do coração, fica fácil compreender por que os ventrículos apresentam paredes mais desenvolvidas, e os átrios, paredes mais delgadas. As paredes espessas proporcionam uma contração com muito mais vigor do que as paredes delgadas, garantindo, assim, que o sangue seja enviado para diversas partes do corpo.

O átrio direito é uma câmera que recebe sangue de diversas partes do corpo, exceto os pulmões. Nele desembocam três veias: veia cava superior, veia cava inferior e seio coronário. O ventrículo direito comunica-se com o átrio direito e dele parte a artéria pulmonar, que leva sangue aos pulmões.


O septo interventricular representa um septo sagital que divide a porção inferior do coração em duas câmeras, ou seja, dois ventrículos (direito e esquerdo).

Voltando aos septos atrioventriculares não podemos esquecer que, eles possuem dois orifícios ou óstios, o óstio atrioventricular esquerdo e óstio atrioventricular direito.

Estas estruturas possibilitam a comunicação do átrio direito com o ventrículo direito e do átrio esquerdo com o ventrículo esquerdo.

Então, para que os óstios possibilitem a comunicação dos átrios com os ventrículos, estes possuem estruturas que permitem a passagem do sangue somente do átrio para o ventrículo, são as valvas átrio ventriculares direitas e esquerdas.

Entendendo as valvas do coração


As valvas são formadas de tecido conjuntivo denso, recoberta por endocárdio. Estas valvas apresentam subdivisões, as quais recebem o nome de válvula ou cúspides.

A valva atrioventricular direita possui três válvulas e é chamada de valva tricúspide. A valva atrioventricular esquerda apresenta duas válvulas e é denominada valva bicúspide ou mitral.

Você sabia? Que durante a contração ventricular, chamada de sístole, a tensão nesta câmara aumenta consideravelmente, podendo haver a eversão da valva para o átrio (torna-se para dentro do átrio) e consequentemente gerar refluxo sanguíneo para esta câmara.

Mas, tal fato não ocorre porque as cordas tendíneas prendem a valva aos músculos papilares. Estes são projeções do miocárdio nas paredes internas dos ventrículos

Gostou do artigo? Inscreva-se no nosso blog, conheça os cursos da área e continue nos acompanhando.

Receba novidades dos seus temas favoritos

Se aprofunde mais no assunto!
Conheça os cursos na área da Biologia.

Mais artigos sobre o tema