Administração de medicamentos através da Via Parenteral

A via parenteral faz parte do grupo de formas de administração de medicamentos, além dela, também é possível através das vias:

• Intradérmica (ID)
• Subcutânea (SC)
• Intramuscular (IM)
• Endovenosa (EV)

Embora mais raramente e reservadas aos médicos, utilizam-se também as vias intra-arterial, intraóssea, intratecal, intraperitoneal, intrapleural e intracardíaca.

A diferença com a via enteral


Há uma fundamental diferença entre a via enteral, em que o medicamento é introduzido no aparelho digestivo e a via parenteral. Nessa, as substâncias são aplicadas diretamente nos tecidos por injeção, com emprego de seringas, agulhas, cateteres.
Du gás (1988) descreve a via parenteral como administração das medicações por injeção. Injeções intramusculares, intradérmicas, subcutâneas e endovenosas.

As características necessárias para ser administrado o medicamento


Para que as drogas sejam administradas por essa via, é necessário que:

• Elas estejam em forma líquida (pode ser em veículo aquoso ou oleoso, em estado solúvel ou suspensão e ser cristalina ou coloidal).
• As soluções devem ser absolutamente estéreis, isentas de substâncias pirogênicas.
• O material utilizado na aplicação deve ser estéril e descartável, de preferência.
• A introdução de líquidos deve ser lenta, a fim de evitar rutura de capilares, dando origem a microembolias locais ou generalizadas.

Geralmente, as medicações são administradas visando a um efeito local ou sistêmico. Efeito sistêmico refere-se às ações das medicações sobre todo organismo, enquanto o efeito local é aquele que se faz sobre uma área específica, como uma pomada sobre determinada área da pele.
Às vezes, as medicações administradas por seu efeito local apresentam ações sistêmicas; por exemplo, uma reação colateral como febre pode resultar da aplicação tópica de uma pomada em uma incisão.

Esta via, assim como as outras, possui as suas peculiaridades, vantagens e desvantagens.

Vantagens da via Parenteral


• Absorção mais rápida e completa;
• Maior precisão em determinar a dose desejada.
• Obtenção de resultados mais seguros;
• Possibilidade de administrar determinadas drogas que são destruídas pelos sucos digestivos.

Desvantagens


• Dor, geralmente causada pela picada da agulha ou pela irritação da droga;
• Em casos de engano pode provocar lesão considerável;
• Em função do rompimento da pele, pode ocorrer o risco de adquirir infecção;
• Uma vez administrada à droga, impossível retirá-la.

Gostou do artigo? Inscreva-se no nosso blog, conheça os cursos da área e continue nos acompanhando.

Receba novidades dos seus temas favoritos

Se aprofunde mais no assunto!
Conheça os cursos na área da Saúde.

Mais artigos sobre o tema