Adrenalina: Indicações e Contraindicações

No artigo de hoje queremos falar sobre as indicações e contraindicações da adrenalina e como ela pode ser boa ou não para o seu corpo. Continue com a gente.

O que é adrenalina?

A Adrenalina, também conhecida como Epinefrina, é um hormônio liberado na corrente sanguínea que tem a função de atuar sobre o sistema cardiovascular e manter o corpo em alerta para situações de fortes emoções ou estresse como luta, fuga, excitação ou medo.

Esta substância é produzida naturalmente pela glândulas suprarrenais, ou adrenais, localizadas acima dos rins, que produzem também outros hormônios com o Cortisol, Aldosterona, Androgênios, Noradrenalina e Dopamina, muito importantes para o metabolismo do organismo e composição da circulação sanguínea.

Por que ela é importante?

Como forma de estimular o corpo, para que consiga reagir de forma mais rápida às situações de perigo, alguns dos principais efeitos da Adrenalina são:

  1. Aumentar os batimentos cardíacos;
  2. Acelerar o fluxo de sangue para os músculos;
  3. Ativar o cérebro, deixando-o mais alerta, com reações mais rápidas e estimulando a memória;
  4. Aumentar a pressão arterial;
  5. Acelerar a frequência da respiração;
  6. Abrir os brônquios pulmonares;
  7. Dilatar as pupilas, facilitando a visão para ambientes escuros;
  8. Estimular a produção de energia extra, pela transformação do glicogênio e gordura em açúcares;
  9. Diminuir a digestão e a produção de secreções pelo trato digestivo, para poupar energia;
  10. Aumentar da produção de suor.

Em qual momento o corpo produz adrenalina?

A produção de adrenalina é estimulada sempre que existe alguma das seguintes situações:

  • Medo de algo, para que o corpo esteja preparado para lutar ou fugir;
  • Prática de esportes, principalmente os radicais, como escalada ou saltos;
  • Antes de momentos importantes, como a realização de uma prova ou entrevista;
  • Momentos de fortes emoções, como excitação, ansiedade ou raiva;
  • Quando há diminuição do açúcar no sangue, para estimular a transformação de gorduras e glicogênio em glicose.

A adrenalina injetável

A Adrenalina injetável (comercialmente conhecida como Epinefrina) é um fármaco adrenérgico. Estimulante cardíaco, vasopressor, antiasmático que pode ser administrado de forma intramuscular ou subcutânea. Sendo o agente farmacológico mais ativo durante as manobras de ressuscitação cardiopulmonar.
A Epinefrina é indicada em casos de:
– Parada cardíaca;
– Choque anafilático;
– Asma brônquica;
Contudo este é um medicamento contraindicado nas seguintes situações:
– Pacientes com arritmia;
– Pacientes em choque;
– Pacientes com glaucoma;
– Pacientes durante trabalho de parto;
– Recém-nascidos ou crianças prematuras;
– Hipersensibilidade a simpatomiméticos;
– Acompanhante em anestesias locais – como, nos dedos dos pés ou das mãos, nariz, orelhas e genitais;
Deve ser administrada com o auxílio de bombas de infusão. O uso prolongado ou frequente deste medicamento causa tolerâncias que podem deixar de existir se o paciente passar alguns dias sem a medicação, reparando a resposta à droga. Entre as reações que a Epinefrina pode causar estão: Ansiedade, vertigem, hipertensão, hemorragia cerebral, arritmias entre outras.

Gostou do artigo? Inscreva-se no nosso blog, conheça os cursos da área e continue nos acompanhando.

Receba novidades dos seus temas favoritos

Se aprofunde mais no assunto!
Conheça os cursos na área da Saúde.

Mais artigos sobre o tema