Articulações do cotovelo

A articulação do cotovelo é uma articulação sinovial encontrada no membro superior entre o braço e o antebraço. É o ponto de articulação de três ossos: o úmero do braço e o rádio e a ulna do antebraço.
A articulação do cotovelo é classificada estruturalmente como uma articulação sinovial. Também é classificado estruturalmente como uma articulação composta, pois há duas articulações na composição geral do cotovelo. As articulações sinoviais, também chamadas de diartroses, são articulações móveis livres. As superfícies articulares dos ossos nessas articulações são separadas umas das outras por uma camada de cartilagem hialina. O movimento suave nessas articulações é proporcionado por um líquido sinovial altamente viscoso, que atua como lubrificante.
Uma cápsula fibrosa envolve a articulação e é revestida internamente por uma membrana sinovial. As articulações sinoviais podem ser categorizadas com base na função. A articulação do cotovelo é funcionalmente uma articulação em dobradiça, permitindo o movimento em apenas um plano (uniaxial).

Articulação úmero-ulnar ou troclear


A articulação úmero-ulnar é sinovial do tipo gínglimo (ou em dobradiça) e atua de forma preponderante na articulação do cotovelo, permitindo, no entanto, ligeiros ajustes laterais e mediais durante o movimento do rádio na pronação e supinação. Sua estabilidade não é afetada com a retirada cirúrgica da cabeça do rádio.


Articulação úmero-radial


A articulação úmero-radial é uma juntura sinovial trocoide que acompanha a ulna nos movimentos de dobradiça do cotovelo e neste movimento, a face superior côncava da cabeça do rádio desliza-se sobre o capítulo do úmero na pronação e supinação, girando como pivô contra o capitulo.


Articulação rádio-ulnar proximal


A articulação rádio-ulnar proximal, é uma articulação sinovial que compreende movimentos de rotação do rádio sobre a incisura radial da ulna nos movimentos de supinação e pronação.


Amplitude articular do cotovelo


Flexão do cotovelo


Diminuição do ângulo entre o antebraço e o braço, com a aproximação da superfície anterior dos mesmos, partindo da posição anatômica. Os principais músculos envolvidos são o bíceps braquial, o braquiorradial e o braquial. O movimento teste ocorre no plano sagital. Ao realizar este teste, evitar a flexão do ombro e observar a posição do antebraço, se não estiver na posição anatômica. Amplitude articular: 0 – 145°.


Extensão do cotovelo


Movimento que reduz uma flexão prévia. Trata-se, portanto, de uma extensão relativa, sendo sua amplitude igual à da flexão. O principal músculo responsável pela extensão do cotovelo é o tríceps. O movimento teste ocorre no plano sagital. Ao realizar este teste, evitar a flexão do ombro e observar a posição do antebraço, se não estiver na posição anatômica. Amplitude articular: 145°- 0/-5°.


Supinação do cotovelo


Movimento de rotação lateral do punho em relação ao cotovelo. O teste ocorre no plano transverso. Deve-se manter o cotovelo próximo da parte lateral do tronco; evitar a flexão lateral do tronco para o mesmo lado da mensuração; evitar a adução e a rotação lateral da articulação do ombro. Amplitude articular: 0°- 90°.


Pronação do cotovelo


Movimento de rotação medial do punho em relação ao cotovelo. Os músculos envolvidos são os pronadores, redondo e quadrado. Ao realizar este teste, manter o cotovelo próximo da parte lateral do tronco; evitar a abdução e a rotação do ombro e a flexão lateral do tronco para o lado oposto. Amplitude articular: 0° – 90°.

Quer saber mais sobre o assunto? Siga nos acompanhando e conheça nossos cursos.

Receba novidades dos seus temas favoritos

Se aprofunde mais no assunto!
Conheça os cursos na área da Saúde.

Mais artigos sobre o tema