Biomecânica da Coluna Lombar

A função primária da coluna vertebral é mecânica: proporcionar ao corpo certa rigidez longitudinal, permitindo movimento entre suas partes. Secundariamente, constitui uma base firme para sustentação de estruturas anatômicas como costelas e músculos abdominais, permitindo a manutenção de cavidades corporais com forma e tamanho relativamente constantes, além de envolver a medula espinhal (Vasconcelos, 2004).

O movimento entre duas vértebras envolve sempre três articulações: o disco intervertebral, na frente, e as duas articulações facetárias atrás. Esses movimentos são muito limitados, mas a soma da pequena mobilidade de cada segmento faz com que a coluna como um todo possa mover-se amplamente em todas as direções (Abreu, 2009).

Movimentos Articulares da Coluna Lombar

A coluna lombar em sua amplitude movimento normal realiza movimentos de (Hoppenfeld, 1987):

• Flexão lombar;
• Extensão lombar;
• Inclinação lateral à direita;
• Inclinação lateral à esquerda.

O movimento de flexão da coluna lombar ocorre no plano sagital. O músculo retoabdominal é o flexor primário do tronco, auxiliado pelos músculos oblíquo interno e externo do abdômen. Durante esse movimento a vértebra superior desliza anteriormente e o núcleo pulposo do disco intervertebral se desloca posteriormente, tensionando as fibras posteriores do anel fibroso. A amplitude articular de movimento normal vai de 0° a 90° (Hoppenfeld, 1987).

Movimento de Flexão da Coluna Verbal

O movimento de extensão da coluna lombar ocorre no plano sagital. Os extensores do tronco são os músculos eretores da espinha, que incluem o iliocostal torácico, o longuíssimo dorsal, o espinhal torácico e o iliocostal lombar. Durante esse movimento a vértebra superior desliza posteriormente e o núcleo pulposo do disco intervertebral se desloca anteriormente, tensionando as fibras anteriores do anel fibroso. A amplitude articular de movimento normal vai de 0° a 35° (Hoppenfeld, 1987).

Movimento de Extensão da Coluna Lombar

O movimento de Inclinação lateral direita e esquerda da coluna lombar (figura 24) ocorre no plano frontal. Os músculos principais desse movimento são os oblíquos, interno e externo do abdome e o quadrado lombar do lado do movimento. Durante esse movimento a vértebra superior se inclina para o lado da concavidade, o núcleo pulposo se desloca levemente para o lado da convexidade. A amplitude articular de movimento normal vai de 0° a 40° (Hoppenfeld, 1987).

– Movimento e Inclinação Lateral Direita e Esquerda Os principais movimentos, amplitudes articulares normais e músculos envolvidos na biomecânica da coluna lombar.

• Flexão: A vértebra superior desliza anteriormente e o núcleo pulposo se desloca posteriormente, amplitude articular de 0° a 90°. Músculos envolvidos: Reto abdominal (principal), Oblíquo interno e externo do abdômen (acessórios).

• Extensão: A vértebra superior desliza posteriormente e o núcleo pulposo se desloca anteriormente, amplitude articular de 0° a 35°. Músculos envolvidos: Eretos da espinha (iliocostal torácico, longuíssimo dorsal, espinhal torácico e lombar).

• Inclinação lateral: A vértebra superior se inclina para o lado da concavidade, o núcleo pulposo se desloca para o lado de convexidade, amplitude articular de 0 a 40°. Músculos envolvidos: Oblíquo interno e eterno do abdome, quadrado do lado do movimento.

Biomecânica da Postura Reta

A postura ereta (em pé) é um posicionamento altamente fatigante, adotado pelos indivíduos em grande parte de sua jornada diária de vida. Se a coluna lombar permanece numa posição estática ereta por um longo período, os músculos do tronco começam a sofrer fadiga, a altura do disco intravertebral é reduzida e há uma tendência natural da coluna lombar no sentido da extensão (Hamill e Kuntzen, 1999).

Esse posicionamento impõe sobre os discos intervertebrais lombares uma carga de aproximadamente 60% do peso corporal do indivíduo (figura 26). Na posição ereta, grande parte do peso do corpo incide sobre a junção lombossacra, sendo essa sobrecarga tanto maior quanto mais obeso for o indivíduo.

Muitas vezes, o indivíduo de pé exerce uma força com a musculatura dos membros superiores que pode levar ao aumento da pressão intra-abdominal e ao aumento de lesões intradiscais (Valiati, 2009).

Biomecânica da Postura Sentada

A postura sentada requer menor gasto de energia e impõe menor carga sobre o membro inferior em comparação com a posição em pé. Porém, eleva para 70% a carga de peso do indivíduo sobre a coluna. Sentar sem suporte é como ficar em pé, já que ocorre maior atividade na região torácica e pouca atividade nos músculos abdominais e psoas (Hamill e Kuntzen, 1999).

A posição sentada produz uma retificação acentuada da lordose lombar e provoca uma tensão nos ligamentos da porção posterior, bem como das fibras posteriores dos discos intervertebrais. Desse modo, o disco, a nível lombar, é deslocado e submetido à deformação. Já na porção anterior, os discos se encontram esmagados e essa compressão pode desencadear efeitos nocivos (Maffat e Vickery, 2002).

Gostou do artigo? Inscreva-se no blog e continue nos acompanhando.  

Receba novidades dos seus temas favoritos

Se aprofunde mais no assunto!
Conheça os cursos na área da Saúde.

Mais artigos sobre o tema