Bulhas Cardíacas: O que são?

O coração é dividido em quatro cavidades, duas direitas e duas esquerdas. O coração direito recebe o sangue pouco oxigenado vindo da circulação sistêmica pelas veias cavas superior e inferior, e o bombeia através da artéria pulmonar para os pulmões, onde será oxigenado. O sangue retorna, então, para o átrio esquerdo através das veias pulmonares, dirige-se ao ventrículo esquerdo, e, por meio da artéria aorta, volta à circulação sistêmica. Portanto, átrios são responsáveis por receber o sangue, enquanto os ventrículos, em bombeá-lo para os demais tecidos e órgãos do corpo.

Existem quatro valvas cardíacas, duas atrioventriculares (AV), tricúspide e mitral, e duas semilunares (SL), pulmonar e aórtica. Entre o átrio direito e ventrículo direito está a valva tricúspide e entre átrio esquerdo e ventrículo esquerdo está a valva mitral. As AV evitam o refluxo de sangue dos ventrículos para os átrios durante a sístole ventricular e as SL evitam o refluxo de sangue da aorta e das artérias pulmonares durante a diástole ventricular.

Para que seu funcionamento ocorra corretamente e ritmicamente, o coração apresentaseu ciclo cardíaco, que é iniciado através de um potencial de ação no nodo sinusal, situado na parede lateral superior do átrio direito, que se difunde rapidamente até o feixe atrioventricular, e a partir dele para os ventrículos. O ciclo é composto por três eventos básicos: contrações, relaxamento e o enchimento.

O ritmo e a frequência cardíaca são melhor avaliados durante a ausculta cardíaca:

– Batimentos ou movimentos: são batimentos visíveis ou palpáveis;

– Frêmito cardiovascular: é a sensação tátil determinada por vibrações produzidas no coração ou nos vasos, e corresponde aos sopros;

Durante a ausculta cardíaca, toda região do precórdio e as regiões vizinhas, como região axilar esquerda e pescoço, devem ser auscultados. Dessa ausculta podem ser ouvidas três bulhas cardíacas:

A primeira bulha (B1) é um som de curta duração, originado do fechamento das valvas atrioventriculares (AV). Normalmente, a valva mitral fecha-se antes da valva tricúspide, com um intervalo muito pequeno, não sendo perceptível, de forma que gera um mesmo som, tipicamente representado por “tum”. Em algumas pessoas esses intervalos são um pouco maiores, podendo-se perceber os dois componentes de B1 gerando um som representado por “trum”, que é uma variante do normal. Esse desdobramento pode ser patológico quando o intervalo entre o fechamento das valvas émuito grande e gera sons muito separados, sendo o principal exemplo o bloqueio de ramo direito do feixe de Hiss, que somente é auscultado no foco tricúspide, pois é o único foco que é possível ouvir o fechamento da valva tricúspide.

A segunda bulha (B2) é um som de curta duração, resultando do fechamento das valvas semilunares seguida de um grande silencio correspondente ao enchimento ventricular. Além disso, é um som seco e único tipicamente caracterizado por um “tá”. É chamado de único, pois apesar da valva aórtica fechar-se antes da pulmonar não é possível captar esse intervalo. Porém, pode ser perceptível em algumas pessoas sem doença cardíaca, fenômeno chamado de desdobramento fisiológico de B2.

A terceira bulha (B3) são estalidos que ocorrem no ciclo cardíaco e podem denotar alterações patológicas no sistema cardiovascular. Em algumas pessoas, a complacência cardíaca, ou seja, quando o ventrículo está distendido durante o enchimento ventricular, pode estar diminuída causando uma rápida desaceleração de sangue no ventrículo, gerando uma quarta bulha. Em outras situações, o ventrículo possui diminuição na sua capacidade de ejetar completamente o sangue que está no seu interior restando um pequeno volume. Dessa forma, durante o enchimento ventricular o encontro do volume residual com o volume ejetado pelo átriogera uma desaceleração e consequentemente um terceiro estalido ou B3.

A B3 é a bulha acessória da insuficiência cardíaca apresentando especificidade e sensibilidade de 99% e 24%, respectivamente. No idoso B3 é sempre patológica e indica acometimento do ventrículo esquerdo.A B3 pode ser fisiológica, como em crianças e adultos jovens devido a maior proximidade da parede torácica com o coração e pela diferença de pressão nas cavidades esquerdas gerando um fluxo sanguíneo mais veloz. Além disso, é melhor audível em decúbito lateral esquerdo e se permanece audível no paciente em posição ortostática e sentada é sugestivo de cardiopatia.

Gostou do nosso conteúdo e ficou interessado em saber mais? Continue acompanhando o conteúdo do portal e venha conhecer os nossos cursos voltados para a área da saúde.

Receba novidades dos seus temas favoritos

Se aprofunde mais no assunto!
Conheça os cursos na área da Saúde.

Mais artigos sobre o tema