Capnografia (co2): Saiba mais aqui

Os capnógrafos analisam e registram a pressão parcial de CO2 durante o ciclo respiratório por um sensor aplicado nas vias áreas do paciente ou pela aspiração de uma amostra de ar nas vias aéreas processada por um sensor.
A capnografia é utilizada como parâmetro indicativo de acidose respiratória incipiente e como ferramenta no auxílio ao desmame do respirador. Uma capnografia com valor zero significa que o paciente não está respirando, ou algumas vezes pode também representar uma desconexão do equipamento ou mau funcionamento.

O valor normal do capnografo é de 35 a 45 mmHg. Uma diminuição da capnografia indica hipotermia, choque hipovolêmico, diminuição da atividade muscular, hipotireoidismo, anestesia geral, hiperventilação alveolar ou até um mau funcionamento do equipamento.
Um aumento da capnografia indica hipertermia ou sepsis, aumento da atividade muscular, hipertireoidismo, hipoventilação alveolar e também pode ser mau funcionamento do equipamento.
Devemos estar atento não apenas aos valores apresentados em monitores, mas sim na clínica do paciente, permitindo distinguir uma alteração clínica de uma “monitorite”.

Entenda mais sobre a curva capnografia

Vamos conhecer uma curva de capnografia normal. No ponto marcado:
A-B = Linha de base, fase inspiratória;
B-C = Começo da expiração;
C-D = Platô da expiração (pico máximo expiratório);
D = Concentração final expiratória, ETCO2;
D-E = Começo da fase inspiratória.

Através da curva do capnografo, podemos identificar e intervir rapidamente nas complicações respiratórias..

1. Uma diminuição de CO2 por um período prolongado pode estar ligado ao:
• Aumento da freqüência respiratória
• Aumento do volume corrente
• Diminuição do metabolismo e diminuição do consumo O2
• Queda da temperatura corporal

Um aumento de CO2 por um tempo prolongado pode estar ligado ao:
• Diminuição da freqüência respiratória
• Diminuição do volume corrente
• Aumento do metabolismo e aumento do consumo O2
• Rápido aumento da temperatura corporal (hipertermia maligna)

Uma elevação da linha basal indica reinalação do CO2:
• Defeito da válvula respiratória
• Tempo respiratório curto
• Fluxo inspiratório inadequado
• Funcionamento inadequado do sistema de absorção do CO2,)

Obstrução do Fluxo por:
• Broncoespamo
• Oclusão da Vias Aéreas Superiores
• Oclusão do Circuito Ventilatório

5. Quando começa a terminar o efeito do relaxante muscular, e o paciente retorna a ventilação espontânea, aparecem umas ranhuras nas ondas da capnografia
6. Há um escape de ar devido à má insuflação ou perfuração do cuff
7. Intubação esofágica

Cuidados de enfermagem

• Alguns equipamentos necessitam de calibração do capnografo, antes da instalação na cânula traqueal do paciente, deve-se proceder conforme o fabricante.
• Realizar higiene do sensor com álcool a 70% a cada troca do equipamento por paciente.
• Evitar obstrução do capilar do capnografo por muco em condensação, com o tempo o valor CO2 diminui.
• Evitar a condensação de vapor de água no circuito do ventilador, para que as leituras não sejam falsamente elevadas.
• Ao encontrar valores alterados comunicar imediatamente ao médico e/ou a enfermeira.

Gostou do conteúdo e ficou interessado em saber mais? Siga acompanhando nosso portal e fique por dentro de todas nossas publicações. Aproveite também para conhecer nossos cursos e ampliar seus conhecimentos.

Receba novidades dos seus temas favoritos

Se aprofunde mais no assunto!
Conheça os cursos na área da Saúde.

Mais artigos sobre o tema