Drenos: Quais os tipos e qual o momento de utilizar?

Os drenos são usados em diversos contextos para possibilitar o escapamento de líquido de uma cavidade corporal específica. As indicações para colocação de controle de drenos são específicas de cada tipo de dreno. Atualmente existem diversos modelos e que possuem aplicações, necessidades.

Mas o que são?

O dreno é um tubo cirúrgico que é acoplado a um recipiente e normalmente é utilizado para remover o pus, sangue ou outros fluidos de uma incisão.

Podem ser classificados em:

  • Dreno aberto, ex.: penrose;
  • Dreno de sucção fechada;
  • Dreno de reservatório;
  • Cateteres para drenagem de abscesso.

Agora vamos conhecer mais profundamente cada tipo de dreno que citamos acima e qual o momento ideal de utilização dele.

Dreno de Penrose


É um dreno de borracha, tipo látex, utilizado em cirurgias que implicam em possível acúmulo local de líquidos infectados, ou não, no período pós-operatório. Seu orifício de passagem deve ser amplo e ser posicionado à menor distância da loja a ser drenada, não utilizando o dreno por meio da incisão cirúrgica e, sim, por meio de uma contraincisão.

Para evitar depósitos de fibrina que possam obstruir seu lúmen, o dreno de penrose deve ser observado e mobilizado a cada 12 horas, ou seja, tracionado em cada curativo (exceto quando contraindicado), cortado seu excesso e recolocado o alfinete de segurança estéril, usando luva esterilizada. O orifício de saída deve ser ocluído com gaze estéril, devendo este curativo ser substituído sempre que necessário.

Dreno de Sucção (Portovac)


É composto por um sistema fechado de drenagem pós-operatória, de polietileno, com resistência projetada para uma sucção contínua e suave.

Possui uma bomba de aspiração com capacidade de 500 ml, com um cordão de fixação, uma extensão intermediária em PVC com pinça corta-fluxo e um conector de duas ou três vias, e um cateter de drenagem com agulha de aço cirúrgico (3,2 mm, 4,8 mm ou 6,4 mm) utilizada para perfurar o local de passagem do dreno.

É usado para drenagem de líquido seroso ou sanguinolento, de locais de dissecção ou da área de anastomoses intraperitoneais. Seu objetivo é facilitar a coaptação dos tecidos adjacentes e impedir o acúmulo de soro e a formação de hematoma. Uma das principais complicações são a erosão do dreno em órgãos ou vasos circunvizinhos e a ruptura do cateter ao ser retirado.

Dreno de Abramsom


São tubos de grande calibre e luz múltipla e têm as seguintes finalidades:

– Irrigação e aspiração contínua;
– Usado mais comumente para drenar espaços intra-abdominais que se espera drenar grande volume de líquido.

Dreno de Kerr


É introduzido nas vias biliares extra-hepáticas, sendo utilizado para drenagem externa, descompressão, ou ainda, após anastomose biliar, como prótese modeladora, devendo ser fixado por meio de pontos na parede duodenal lateral ao dreno, tanto quanto na pele, impedindo sua saída espontânea.

Quer saber mais sobre o assunto? Confira o curso de Manipulação de Cateteres, Sondas e Drenos – USP e Cuidados de Enfermagem com Sondas, Drenos e Cateteres, e utilize o certificado dos cursos para complementar suas atividades acadêmicas.

Receba novidades dos seus temas favoritos

Se aprofunde mais no assunto!
Conheça os cursos na área da Saúde.

Mais artigos sobre o tema