Entendendo a Síndrome da Adaptação Geral (SAG)

Um dos primeiros estudos sobre estresse foi realizado em 1936, pelo pesquisador canadense Hans Selye. Ele submeteu cobaias a estímulos estressores e observou um padrão específico na resposta comportamental e física dos animais. Selye descreveu os sintomas do estresse como a Síndrome Geral de Adaptação, composto de três fases sucessivas: alerta, resistência e exaustão, de acordo com Rocha (2000).


Fase de alerta

Ocorre quando o indivíduo entra em contato com o agente estressor e o seu corpo perde o seu equilíbrio. Têm-se os seguintes sintomas, conforme Rocha (2000):

1. Mãos e/ou pés frios;
2. Boca seca;
3. Dor no estômago;
4. Aumento de sudorese;
5. Tensão e dor muscular, por exemplo, na região dos ombros;
6. Aperto na manidíbula/ranger os dentes ou roer unhas/ponta da caneta;
7. Diarréia passageira;
8. Insônia;
9. Taquicardia;
10. Respiração ofegante;
11. Hipertensão súbita e passageira;
12. Mudança de apetite;
13. Agitação;
14. Entusiasmo súbito.

Fase da resistência 

O corpo tenta voltar ao seu equilíbrio, por isso o organismo pode se adaptar ao problema ou eliminá-lo. Têm-se os seguintes sintomas, ainda de acordo com Rocha (2000):

1. Problemas com a memória;
2. Mal-estar generalizado;
3. Formigamento nas extremidades;
4. Sensação de desgaste físico constante;
5. Mudança de apetite;
6. Aparecimento de problemas dermatológicos;
7. Hipertensão arterial;
8. Cansaço constante;
9. Gastrite prolongada;
10. Tontura;
11. Sensibilidade emotiva excessiva;
12. Obsessão com o agente estressor;
13. Irritabilidade excessiva;
14. Desejo sexual diminuído.

Fase da Exaustão

Pode haver diversos comprometimentos físicos em forma de doença. Conforme Rocha (2000), os sintomas são:

1. Diarréias freqüentes;
2. Dificuldades sexuais;
3. Formigamentos nas extremidades;
4. Insônia;
5. Tiques nervosos;
6. Hipertensão arterial confirmada;
7. Problemas dermatológicos prolongados;
8. Mudança extrema de apetite;
9. Taquicardia;
10. Tontura freqüente;
11. Úlcera;
12. Impossibilidade de trabalhar;
13. Pesadelos;
14. Apatia;
15. Cansaço excessivo;
16. Irritabilidade;
17. Angústia;
18. Hipersensibilidade emotiva;
19. Perda do senso de humor.

Após a fase de exaustão pode ser observado o surgimento de diversas doenças sérias, como úlcera, hipertensão arterial, artrites e lesões miocárdicas. “As pesquisas de Salye foram decisivas para propor as primeiras explicações inerentes ao processo de estresse e seus conceitos, ainda hoje, representam apoio teórico para a maioria das pesquisas desenvolvidas nesta área” (GUIMARÃES, 2000).

Entendendo o termo homeostase

Para Calais, Andrade e Lipp (2003), Cannon foi um dos fisiologistas e o responsável pela criação do termo homeostase, que, por sua vez, significa manter o organismo em um estado de equilíbrio interno.
A partir desse conceito, o estresse começou a ser entendido com o a ruptura da homeostase e, sob essa perspectiva, de acordo com Calais, Andrade e Lipp (2003), o estresse não ocorre apenas frente a estímulos aversivos, mas pode também ser entendido como uma reação intensa do organismo diante de um evento bom ou mau que altere a vida do sujeito.
Essa reação normalmente ocorre diante da necessidade de o ser humano se adaptar em momentos de mudança, determinando, assim, a Síndrome da Adaptação Geral. O determinante para a aparição dos sintomas de estresse, de acordo com Lipp (2002), é a capacidade do organismo de enfrentar as exigências da situação, que pode ser negativa ou positiva, e tem como consequência um prejuízo na qualidade de vida, tal como a perda da habilidade de se concentrar e a capacidade de raciocínio lógico.

A ansiedade na SAG

Na Síndrome da Adaptação Geral (SAG) podem ocorrer períodos de grande ansiedade, agitação, variação do estado de humor e exuberância energética seguidos de abatimento, prostração, desânimo e depressão. Nos casos brandos: ansiedade, variação de humor, irritabilidade, distúrbios da memória, inapetência etc.
Com o agravamento da síndrome: instabilidade emocional, distúrbios afetivos, auto-estima baixa, síndrome de pânico, aumento de peso, distensão abdominal, flatulência, inchaços, impotência sexual, ejaculação precoce, desinteresse ou exaltação sexual anormal, gastrites, úlceras pépticas, azia, prisão de ventre, dores de cabeça, elevação ou rebaixamento da pressão arterial, alopécia (queda temporária, parcial ou geral, dos pêlos ou cabelos) e dermatose (doença de pele).
O estresse, seja ele de natureza física, psicológica ou social, é composto de um conjunto de reações fisiológicas que se exageradas em intensidade ou duração podem levar a um desequilíbrio no organismo. Por isso, a reação ao estresse é uma atitude biológica necessária para a adaptação às situações novas.

Gostou do artigo? Inscreva-se no nosso blog, conheça os cursos da área e continue nos acompanhando.

Receba novidades dos seus temas favoritos

Se aprofunde mais no assunto!
Conheça os cursos na área da Saúde.

Mais artigos sobre o tema