Estado de Choque: Primeiros socorros

Quando passamos por alguma situação grande de risco, pressão ou perigo, entramos em estado de Choque que é o conjunto de manifestações resultantes de um desequilíbrio entre o volume de sangue circulante e a capacidade do sistema vascular.

Situações causadoras do Estado de Choque


– Choque elétrico;

– Hemorragia aguda;

– Queimadura extensa;

– Envenenamento;

– Fraturas;

– Emoções violentas;

– Infecções graves;


Tipos de Estado de Choque:

Choque Cardiogênico – Incapacidade do coração em bombear sangue para o resto do corpo. Infarto do miocárdio e arritmia são as causas mais comuns.

Choque Neurogênico – Dilatação dos vasos sanguíneos em função de uma lesão medular. Geralmente provocado por traumatismos na coluna cervical.

Choque Séptico – Ocorre devido à incapacidade do organismo em reagir a uma infecção provocada por bactérias ou vírus que penetram na corrente sanguínea, liberando grande volume de toxinas.

Choque Hipovolêmico – Diminuição do volume sanguíneo causado por perdas sanguíneas (hemorragias interna e externa), perdas de plasma (queimaduras e peritonites) e perdas de fluídos e eletrólitos (vômitos e diarreias).

Choque anafilático – Decorrente de severa reação alérgica.


Sinais e Sintomas de um Choque térmico:

1) Pele fria e úmida;

2) Transpiração abundante na testa e na palma das mãos;

3) Palidez;

4) Sensação de frio, chegando às vezes a ter tremores;

5) Náusea e vômitos;

6) Respiração curta, rápida e irregular;

7) Perturbação visual com dilatação da pupila, perda do brilho dos olhos;

8) Queda gradual da Pressão Arterial;

9) Pulso fraco e rápido;

10) Enchimento capilar lento;

11) Inconsciência total ou parcial.


Medidas a serem tomadas:

1) Realize uma rápida inspeção na vítima;

2) Combata, evite ou contorne a causa do estado de choque, se possível;

3) Mantenha a vítima deitada e em repouso;

4) Controle toda e qualquer hemorragia externa;

5) Verifique se as vias aéreas estão permeáveis, retire da boca, se necessário, secreção, dentadura ou qualquer outro objeto;

6) Inicie a respiração de socorro boca-a-boca, em caso de parada respiratória;

7) Execute a compressão cardíaca externa associada à respiração de socorro boca-a-boca, se a vítima apresentar ausência de pulso e dilatação das pupilas (midríase);

8) Afrouxe a vestimenta da vítima;

9) Vire a cabeça da vítima para o lado, caso ocorra vômito;

10) Eleve os membros inferiores cerca de 30 cm, exceto nos casos de choque cardiogênicos (infarto agudo do miocárdio, arritmias e cardiopatias) pela dificuldade de trabalho do coração;

11) Procure aquecer a vítima;

12) Remova IMEDIATAMENTE a vítima para o hospital mais próximo.

Gostou do artigo? Inscreva-se no nosso blog, conheça os nossos cursos e continue nos acompanhando.

Receba novidades dos seus temas favoritos

Se aprofunde mais no assunto!
Conheça os cursos na área da Saúde.

Mais artigos sobre o tema