Introdução às Teorias de Enfermagem

Uma teoria é constituída por um conjunto de conceitos inter-relacionados que nos permite uma forma sistemática de explicar e prever fatos e/ou eventos. 

A construção de uma teoria tem seu início na observação atenta de fatos e eventos que resultam em ideias. Estas, por sua vez, projetam tentativas, resolução e visão sistemática dos fenômenos.

Com isso, formam-se conceitos que levam a proposições e hipóteses, possibilitando que os experimentos possam comprovar e validar essas hipóteses, levando à formação de uma teoria. 

Muitos foram os enfermeiros que acreditaram e apostaram no processo científico do trabalho da enfermagem, autônomo e independente, afastado do modelo biomédico a que somos levados no processo de formação profissional.

Quais os objetivos do trabalho do enfermeiro?

O enfermeiro, dentro do que lhe compete desenvolver, deve direcionar seu trabalho para alguns objetivos, entre os quais, destacamos:

  • O atendimento das necessidades humanas básicas;
  • A prevenção e correção dos desequilíbrios identificados, a promoção e o equilíbrio do sistema de adaptação do indivíduo;
  • A promoção, manutenção e restauração da saúde por meio de um processo interativo;
  • Promoção e restauração da totalidade;
  • Bem-estar e independência da pessoa pela conservação de sua energia e integridade;
  • Promoção e interação harmônica da pessoa com seu ambiente interno e externo.

As principais teorias da enfermagem

Dentre as diversas teorias de enfermagem conhecidas podemos classificar algumas que devem ser utilizadas como referencial teórico para a enfermagem, quais sejam:

As que são orientadas para a tese das necessidades/problemas:

  • Modelo Ambiental, de Florence Nightingale;
  • Solução de Problemas, de Faye Glenn Abdellah;
  • Definição das Práticas de Enfermagem, de Virginia Henderson;
  • Autocuidado, de Dorothea E. Orem;
  • Necessidades Humanas Básicas, de Wanda de Aguiar Horta.

As que são orientadas para a interação:

  • Processo Interpessoal, de Hildegard E. Peplau.

As que são orientadas para os sistemas:

  • Teoria dos Sistemas, de Betty Neuman;
  • Diversidade e Universalidade do Cuidado Cultural, de Madeleine M. Leininger;
  • Obtenção de Metas, de Imogene King.

As que são orientadas para o campo de energia:

  • Saúde como expansão da consciência, de Margaret Newman.

Enfim, são muitas as teorias de enfermagem e aqui seguem apenas algumas das que acreditamos serem aplicáveis à enfermagem, mas que, se exploradas adequadamente pelo enfermeiro, poderão ser importantes referencial teórico ao alcance dos resultados esperados no desenvolvimento do processo.

Dessas teorias acima relacionadas, somente a de Horta não chegou a ser devidamente testada e validada, devido ao tempo que não lhe foi dada, em vida, para isso ocorrer. 

Mas, se não chega à classificação e reconhecimento como teoria, pode ser considerada como um modelo de processo de enfermagem dos mais adequados ao processo de trabalho da enfermagem, em qualquer área de atuação, e vem sendo utilizada como referencial teórico em muitos países, entre os quais, os próprios EUA.

Como as teorias ajudaram a construir outros conceitos

Algumas teorias de enfermagem serviram de referencial teórico para outras teorias subsequentes, formando a base e influenciando os teóricos. 

É o caso de Florence Nightingale, que com sua teoria ambiental influenciou tantos outros teóricos com seus conceitos desenvolvidos e colocados como prática do cuidado de enfermagem.

Existem situações de semelhanças, similaridades e diferenças entre as diversas teorias de enfermagem, comprovando as influências e constantes aprimoramentos pelo avanço de conhecimentos. 

Florence Nightingale, com o seu conceito de ambiente e o enfoque humanístico do cuidado de enfermagem, acabou influenciando diretamente Johnson, King, Neuman, Orem, Roy, Rogers, Leininger e Newman.

A dependência e o seu papel na enfermagem, identificado por Henderson, serviu de base para Orlando, Orem e Levine. A independência, por sua vez, é enfocada por Peplau, Rogers, Hall, King e Parse. 

A interdependência, por sua vez, é a inspiração de Erickson, Tomlin, Swain, Newman, Boykin e Schoenhofer. A adaptação é tema das teorias ou modelos de Florence, King, Levine, Rogers, Roy e Erickson, Tomlin e Swain. A teoria de sistemas é utilizada por Rogers, King, Roy, Johnson, Neuman, Parse e Newman.

As teorias possuem características que inter-relacionam conceito e permitem uma visão de determinado fenômeno, dentre elas podemos destacar:

  • Devem ser de natureza lógica;
  • Devem ser simples e generalizáveis;
  • Podem ser bases para a validação de hipóteses ou que permitam sua expansão;
  • Servem de ampliação de conhecimentos gerais e específicos;
  • Permitem a utilização para orientar e aperfeiçoar a prática da enfermagem;
  • Devem ser consistentes com outras teorias já validadas, leis e princípios, deixando questões não respondidas que necessitam ser investigadas.

Gostou do conteúdo e ficou interessado em saber mais? Siga acompanhando nosso portal e fique por dentro de todas nossas publicações. Aproveite também para conhecer nossos cursos e ampliar seus conhecimentos.

Receba novidades dos seus temas favoritos

Se aprofunde mais no assunto!
Conheça os cursos na área da Saúde.

Mais artigos sobre o tema