Método Bobath para o tratamento de doenças neuromusculares

Fisioterapeutas que trabalham com reabilitação neurológica têm vários procedimentos disponíveis para que possam oferecer melhoras aos pacientes e que fundamentam sua intervenção. O conceito Bobath tem sido relatado como o procedimento mais comumente utilizado no atendimento fisioterapêutico de pessoas com problemas neurológicos. O início de sua utilização foi baseda na experiência terapêutica de Berta Bobath (1970), com embasamento teórico que é buscado em pesquisas neurológicas.


O método Bobath é também conhecido como tratamento neuroevolutivo e fundamenta-se no reconhecimento de dois fatores: a interferência na maturação normal do cérebro pela lesão, levando a atraso ou ao impedimento de alguns ou de todos os aspectos do desenvolvimento; a presença de padrões anormais de postura e de movimento, devido à liberação da atividade postural reflexa anormal, ou à interrupção do controle normal dos reflexos de postura e movimento.


A abordagem Bobath tem por objetivo inibir os padrões da atividade reflexa anormal e facilitar padrões motores mais normais como uma preparação para uma maior variabilidade de habilidades funcionais.


Muitas técnicas de inibição, facilitação e estimulação dentro do conceito Bobath foram desenvolvidas e podem ser adaptadas a qualquer tipo de paciente. Essas técnicas têm que ser ajustadas às necessidades individuais do paciente, baseadas em uma avaliação completa e detalhada e em frequentes reavaliações.


O tratamento da atividade reflexa postural anormal pela inibição é combinada em muitas maneiras com a facilitação e a estimulação de movimentos mais normais. Isso é feito usando técnicas especiais de manuseio da criança, e pela condução de respostas, de uma forma que estimule e desenvolva padrões de ajustamento ao movimento mais normais.


No tratamento não é permitido ao paciente realizar movimentos e atividades no modo anormal ou com esforço excessivo. Ele é preparado para atividades funcionais recebendo padrões motores necessários para essas funções e trabalhando a habilidade funcional específica.


Dessa forma, a modificação de padrões posturais anormais, aumentam a possibilidade de mover-se com maior facilidade, diminui o esforço (gasto energético), pode aumentar a amplitude de movimento, facilita o ganho de experiências sensório-motoras, aumentando assim seu repertório de habilidades funcionais.


As técnicas fundamentais do método Bobath são os pontos-chaves e as técnicas de estimulação tátil proprioceptivas (placing, holding,suporte de peso com ou sem pressão, tapping). Essas técnicas devem ser usadas em combinação ou isoladamente, dependendo das necessidades do paciente, podendo ser usadas alternadas ou simultaneamente.

Os pontos-chaves são partes do corpo através das quais o terapeuta pode controlar e modificar, com maior eficácia, os padrões de postura e de movimentos em outras partes do corpo. Eles podem ser usados para inibir, estimular e facilitar. São eles: cabeça, ombros, cotovelos, punhos, polegares, quadris, joelhos e tornozelos.


As técnicas de estimulação tátil proprioceptivas podem ser utilizadas quando há déficit sensorial com fraqueza muscular, devido à falta de input sensorial. Placing corresponde à habilidade do paciente em interromper um movimento, em qualquer etapa, automática ou voluntariamente. Holding é a adaptação automática dos músculos às mudanças de postura, sendo parte necessária e inseparável do mecanismo de controle postural normal. No tratamento, o paciente deve manter e controlar sem ajuda o corpo e os membros quando colocados em diferentes posições e amplitudes de movimento.


Os movimentos de ajustamento intrínsecos e automáticos devem ser obtidos através de transferência de peso constante em grandes amplitudes, para os lados, para frente, para trás, diagonalmente, enquanto damos pressão e resistência. Uma combinação de suporte de peso, pressão e resistência pode ser usada em todos os casos para conseguir uma adequação do tônus postural e manutenção das posturas contra a gravidade.


Tapping é o método de aumentar o tônus postural através da estimulação tátil e proprioceptiva. Tem por objetivo capacitar o paciente a manter automaticamente uma posição desejada ou movimento contra a gravidade. É aplicado a princípio em intervalos regulares em rápida sucessão, e gradativamente quando as respostas ativas ocorrem, em intervalos regulares e mais vagarosamente.


Há quatro tipos de tapping:


– Tapping de Inibição: é feito na direção do padrão funcional desejado. É utilizado para aumentar a função de músculos que não conseguem se contrair pela atividade excessiva de seus antagonistas.


– Tapping de pressão: é feito como uma co-contração para manutenção da fixação postural, ou seja, para a ativação da contração simultânea de agonistas e antagonistas.


– Tappping alternado: é feito com os dedos do terapeuta estendidos como no tapping de inibição. Melhora a graduação da contração e descontração dos agonistas e antagonistas.


Usado para o controle de movimento e equilíbrio nas diferentes posturas.

– Tapping de deslizamento: é feito com uma batida precisa e firme com os dedos do terapeuta estendidos, pelo comprimento do músculo (ou em músculos que trabalham na mesma direção).


O método Bobath nas doenças neuromusculares pode atuar nos sentidos de: aumentar o tônus postural, trabalhar o controle e alinhamento de cabeça e tronco, trabalhar problemas relacionados a atividades funcionais, orientar pais e cuidadores quanto ao posicionamento e manipulação, conseguir atividades contra a gravidade, usar estimulações apropriadas, etc.

Quer saber mais sobre o assunto? Confira os cursos de voltados à Fisioterapia, e utilize o certificado dos cursos para complementar suas atividades acadêmicas.

Receba novidades dos seus temas favoritos

Se aprofunde mais no assunto!
Conheça os cursos na área da Saúde.

Mais artigos sobre o tema