O aleitamento materno e o papel da Enfermagem

Desde o início da gravidez, a mulher passa a se preparar psicologicamente para receber o seu bebê e ter uma maternidade sadia. Ao mesmo tempo, a amamentação passa a ser um dos cuidados mais relevantes para a mulher-mãe e seu bebê.
Devido à modernidade dos dias atuais, a mulher passou a apresentar o quadro de desmame cada vez mais precoce devido a necessidade de voltar aos seus postos de trabalho, introduzindo outros tipos de alimentos cada vez mais cedo na alimentação do bebê para não correr o risco do bebê não se acostumar com outras fontes alimentícias.

A licença maternidade sendo caso de política pública

O medo de perder o emprego após a licença-maternidade tornou-se questão de políticas públicas e fez o governo sancionar a Lei 11.770 de 09 de setembro de 2008, no Programa Empresa Cidadão, prorrogando a licença maternidade por mais 60 dias, mediante concessão de incentivo fiscal, alterando a Lei 8.212, de 24 de julho de 1991, de 120 para 180 dias para beneficiar as mães e bebês no aleitamento materno.

Qual o papel da enfermagem?

Diante dessa situação, a Enfermagem tem um papel essencial na conscientização dessas mães sobre a importância do leite materno nos seis primeiros meses de vida do bebê mostrando alguns benefícios como:
• As bactérias benéficas existentes são essenciais para o desenvolvimento da flora bacteriana do bebê e do seu sistema imunológico.
• A amamentação traz efeito positivo nas relações entre mãe e filho, e facilita a interação do desenvolvimento cognitivo.
• A mãe produz anticorpos criados especificamente para proteger o bebê contra os patógenos adquiridos no seu entorno.

Novos anticorpos são produzidos cada vez que a mãe entra em contato com microrganismos prejudiciais ou quando amamenta.

Qual o objetivo da enfermagem?

A Enfermagem trabalha em conjunto com a sociedade na prestação da devida assistência e na educação continuada, concedendo treinamentos no pré-natal, sendo o papel principal dos que atuam no Programa de Saúde da Família, com intenção de prevenir agravos e doenças.
O profissional da saúde atuante da rede básica, hospitalar ou ambulatorial, enfrenta uma demanda bastante diversificada, e para isto, deve estar preparado para orientação da mulher no pós-parto, mostrando a existência de momentos oportunos de educação relacionados a amamentação, comprometendo-se não penas em repassar conhecimentos científicos.
Tem sido fundamental a atuação de uma equipe multiprofissional, destacando a enfermagem com a apresentação de uma filosofia assistencialista e educativa, garantindo condições de valorização no seu trabalho. A atuação do enfermeiro para promover incentivo ao aleitamento materno necessita da influência desses fatores.
É essencial a sistematização da assistência de enfermagem para garantir ações específicas e visíveis da equipe profissional, mostrando a mãe os cuidados necessários para a adaptação após o parto consigo mesmo e com o recém-nascido para proporcionar maior qualidade e adesão ao leite materno, diminuindo os riscos de possíveis complicações após o nascimento do bebê, como também o tempo de permanência no hospital e garantindo a redução de dispêndios aos cofres públicos devido a alimentação correta e sadia dos primeiros meses de vida das crianças.
Gostou do conteúdo e ficou interessado em saber mais? Siga acompanhando nosso portal e fique por dentro de todas nossas publicações. Aproveite também para conhecer nossos cursos e ampliar seus conhecimentos.

Receba novidades dos seus temas favoritos

Se aprofunde mais no assunto!
Conheça os cursos na área da Saúde.

Mais artigos sobre o tema