Os medicamentos psicotrópicos: Tranquilizantes e sedativos

Também são chamados de antipsicóticos ou neurolépticos. São utilizados para tratamento de doenças psiquiátricas (esquizofrenia, transtorno bipolar, mania, depressão, etc.). Por lei foram equiparados aos entorpecentes e a sua venda é controlada, porque, usados abusiva ou indevidamente, podem causar farmacodependência.

Os medicamentos ansiolíticos e os sedativos causam tanto sintomas imediatos como de longo prazo.

Efeitos imediatos

Os medicamentos ansiolíticos e sedativos diminuem o estado de alerta e podem causar

  • Fala lenta
  • Má coordenação
  • Confusão

Esses efeitos são ampliados quando a pessoa consome álcool. Esses medicamentos podem fazer com que uma pessoa alterne entre depressão e ansiedade.

Nos idosos, os sintomas podem ser mais graves e podem incluir tontura, desorientação, delirium e perda de equilíbrio. Podem ocorrer quedas, resultando em fraturas ósseas, sobretudo de quadril.

Tranquilizantes Maiores

Têm atividade psicotrópica intensa e são indicados em todas as formas de psicose, delírios e alucinações. Exemplos: Haloperidol (Haldol), Clorpromazina (Amplicitil), Levomepromazina (Neozine).

Tranquilizantes Menores

Medicamentos capazes de agir diminuindo stress, ansiedade e tensão dos pacientes são chamados de Ansiolíticos (nomenclatura atual desta classe de medicamentos) ou simplesmente de tranquilizantes. Embora os objetivos destes fármacos sejam bem definidos alguns também são usados clinicamente para tratar a insônia devido aos seus efeitos sedativos.

Atuam na ansiedade e tensão em pacientes com transtornos psíquicos. Exemplos: Diazepan (Valium), Bromazepan (Lexotan), Lorazepan (Lorax).

Antidepressivos

São substâncias consideradas eficazes na remissão de sintomas característicos da síndrome depressiva, em pelo menos um grupo de pacientes com transtorno depressivo (aqueles que não aparentam um fator precipitante). Algumas substâncias com atividade antidepressiva podem ser eficazes também em transtornos psicóticos. Exemplos: Amitriptilina e Imipramina.
Os antidepressivos são medicamentos indicados para tratar a depressão e outros transtornos psicológicos e exercem a sua ação no sistema nervoso central, apresentando diferentes mecanismos de ação.

Sedativos e Hipnóticos

Medicamentos capazes de reduzir a ansiedade e exercer um efeito calmante, com pouco ou nenhum efeito sobre as funções motoras ou mentais. O termo sedativo é sinônimo de calmante ou sedante. Um medicamento hipnótico ou sonífero deve produzir sonolência e estimular o início e a manutenção de um estado de sono que se assemelhe o mais possível ao estado do sono natural.
Os efeitos hipnóticos envolvem uma depressão mais profunda do sistema nervoso central (SNC) do que a sedação, o que pode ser obtido com a maioria dos medicamentos sedativos, aumentando-se simplesmente a dose. Exemplos: Levomepromazina (Neozine), Diazepan (Valium), Bromazepan (Lexotan), Lorazepan (Lorax), Midazolam (Dormonid).

Antiepiléticos

São as drogas utilizadas para tratamento da epilepsia e crises convulsivas. Exemplos: Fenobarbital (Gardenal), Fenitoína (Hidantal), Carbamazepina (Tegretol), Ácido Valpróico (Depakene ou Valpakene).

Como escolher o medicamente ideal?

Para além dos efeitos colaterais e da forma de ação, o médico também considera o estado de saúde e a idade da pessoa e o uso de outros medicamentos. Além disso, o médico também deve estar informado acerca de alguma doença que a pessoa possa ter.

Além do tratamento farmacológico, a psicoterapia também é muito importante para complementar o tratamento.

Gostou do conteúdo e ficou interessado em saber mais? Siga acompanhando nosso portal e fique por dentro de todas nossas publicações. Aproveite também para conhecer nossos cursos e ampliar seus conhecimentos.

Receba novidades dos seus temas favoritos

Se aprofunde mais no assunto!
Conheça os cursos na área da Saúde.

Mais artigos sobre o tema