Propofol: O que é para que é indicado?

O propofol foi introduzido na prática clínica em 1977 para uso exclusivo em anestesia como agente indutor por via venosa. O rápido despertar dos pacientes mesmo após infusões prolongadas chamou a atenção dos pesquisadores para outros usos fora da anestesia.

Com o passar dos anos o fármaco foi tomando o lugar dos barbitúricos para sedar pacientes submetidos à ventilação mecânica em unidade de terapia intensiva, com a vantagem de conferir proteção encefálica aos pacientes hemodinamicamente instáveis.

O propofol é um agente anestésico geral adequado para indução e manutenção de anestesia geral em procedimentos cirúrgicos em adultos e crianças a partir dos 3 anos de idade. Pode também ser utilizado para sedação de pacientes de UTI que estejam sendo ventilados.

Pode ser usado para manutenção de anestesia em conjunto com outros agentes, tais como, opioides e anestésicos inalatórios; como coadjuvante de anestésicos locais para sedação ou amnésia. É também usado em procedimentos que não exigem analgesia, como endoscopia.
Normalmente são necessários outros agentes analgésicos suplementares à administração de Propofol.

Essa droga é utilizada em associação à anestesia espinhal, peridural, com a medicação pré-anestésica comumente utilizada, com bloqueadores neuromusculares, agentes inalatórios e analgésicos e não apresentou nenhuma incompatibilidade farmacológica.

Podem ser necessárias doses menores de Propofol quando a anestesia geral é usada em associação a técnicas anestésicas regionais.

Mecanismo de Ação

O propofol, 2,6 diisopropilfenol, é um composto químico relativamente insolúvel em água 3. É comercializado a 1% ou a 2% em emulsão leitosa branca contendo óleo de soja 10%, glicerol 2,25% e 1,2% de fosfato de ovos purificados. A presença de produtos orgânicos torna possível a contaminação da solução, porém a adição de EDTA trouxe mais segurança à sua administração.

O propofol possui mais de um mecanismo de ação proposto. Ele potencializa a ação inibitória central do ácido gama-amino-butírico (GABA) em seu receptor tipo A, bloqueia o canal iônico no tecido cortical cerebral e nos receptores nicotínicos centrais, e exerce efeito inibitório sobre a sinalização intracelular em receptores de mediadores lipídicos.

Contra Indicações

O Propofol está contraindicado para crianças com menos de 3 anos com infecção grave do trato respiratório, crianças com difteria ou epiglotite ou pacientes com hipersensibilidade a qualquer componente da fórmula.

Efeitos Colaterais

Além de hipotensão (sobretudo por via de vasodilatação) e apneia transitória após doses de indução hipnótica, um dos efeitos colaterais do propofol é dor no local da injecção, sobretudo em veias de calibre inferior. Esta dor pode ser reduzida com um pré-tratamento com lidocaína i.v. Um efeito mais raro e mais grave é distonia. Movimentos mioclónicos relativamente ligeiros são comuns. Aparentemente, o propofol é seguro em casos de porfiria e não estão descritos casos de indução de hipertermia maligna. Há um caso relatado em que a urina de paciente tratado com propofol tornou-se verde, havendo descoramento após 24h da interrupção do tratamento.

Gostou do conteúdo e ficou interessado em saber mais? Siga acompanhando nosso portal e fique por dentro de todas nossas publicações. Aproveite também para conhecer nossos cursos e ampliar seus conhecimentos.

Receba novidades dos seus temas favoritos

Se aprofunde mais no assunto!
Conheça os cursos na área da Saúde.

Mais artigos sobre o tema