Síndrome de Fournier: Entenda a doença

A Síndrome de Fournier é uma doença rara, provocada por uma infecção bacteriana, que afeta a região genital e provoca a morte das células, levando ao surgimento de sintomas semelhantes aos da gangrena, como pele escurecida, cheiro fétido e inchaço da região. 

Retratada pela primeira vez por Baurienne no ano de 1764, ganhou o nome Síndrome de Fournier em homenagem ao médico francês Jean Alfred Fournier, quem detalhou a síndrome em publicações no período entre 1863 e 1864.

A causa da síndrome Fournier

A síndrome de Fournier é uma doença rara causada pela proliferação de bactérias na região genital que promove a morte das células do local e leva ao surgimento de sintomas de gangrena, como dor intensa, cheiro fétido e inchaço da região.

A síndrome de Fournier tem cura e não é contagiosa, no entanto o seu tratamento deve ser iniciado o mais rápido possível para diminuir o risco de amputação e espalhamento da bactéria para outros órgãos, o que pode colocar a vida em risco.

O principal agente isolado é a bactéria E. Coli., podendo, no entanto, ser causada por diferentes organismos anaeróbicos, por enterobactérias, por estafilococos e por estreptococos. Alguns indivíduos são enquadrados no grupo de risco.

Portadores de diabetes mellitus, de obesidade mórbida, de doenças malignas, de cirrose, de doenças vasculares, de comportamentos como alcoolismo e uso abusivo de drogas são alguns deles.

Geralmente, a Síndrome de Fournier é mais comum em homens, em crianças ou idosos em estado debilitado, mas também pode afetar mulheres de qualquer idade.

Síndrome Fournier tem cura?

A Síndrome de Fournier tem cura e não é contagiosa, porém o tratamento deve ser feito adequadamente e de acordo com orientação do ginecologista.

Causas e sintomas da doença

As causas da Síndrome de Fournier ainda não são conhecidas, mas a doença está relacionada com o desenvolvimento de bactérias E. Coli e outros microorganismos, que surgem devido:

  • Falta de higiene;
  • Pregas na pele, que acumulam bactérias;
  • Diabetes mellitus;
  • Obesidade mórbida;
  • Baixa vascularização e trombose nos vasos sanguíneos da região;
  • Pancadas com formação de hematomas;
  • Pequenas infecções.

Outros fatores de risco incluem doenças malignas, cirrose, alcoolismo e uso abusivo de drogas. Além disso, a utilização excessiva de antibióticos contribui para o aumento de casos da doença, que era muito rara.

Os sinais e sintomas da síndrome de Fournier são considerados bastante dolorosos e desconfortáveis, sendo os principais:

  • Pele da região íntima vermelha que depois evolui para escurecida;
  • Dor intensa e constante;
  • Cheiro fétido e inchaço da região;
  • Febre acima de 38ºC;
  • Cansaço excessivo.

As lesões da síndrome de Fournier têm início no escroto e no pênis, no caso dos homens, e na vulva e virilha, no caso das mulheres. É importante que assim que surgirem os primeiros sinais indicativos de lesões na região íntima, o ginecologista ou urologista sejam consultados, pois assim é possível realizar o diagnóstico e iniciar o tratamento mais

Quais os cuidados necessários?

Os cuidados de enfermagem na Síndrome de Fournier são fundamentais no tratamento, pois é necessário fazer curativos diários com propriedades antibióticas.

Gostou do conteúdo e ficou interessado em saber mais? Siga acompanhando nosso portal e fique por dentro de todas nossas publicações. Aproveite também para conhecer nossos cursos e ampliar seus conhecimentos.

Receba novidades dos seus temas favoritos

Se aprofunde mais no assunto!
Conheça os cursos na área da Saúde.

Mais artigos sobre o tema