Sistema muscular: o que é e sua classificação

Ao profissional da área da saúde, ter o conhecimento sobre o corpo humano e seu funcionamento é inerente à profissão. O mesmo ocorre aos profissionais da educação física, uma vez que estes tem seu foco voltado à trabalhar e cuidar da saúde do corpo do seu aluno através do exercício físico, sendo considerado assim um método de saúde preventiva contra comorbidades e lesões.
Sendo assim, conhecer e entender os mecanismos presentes no corpo é essencial, como o funcionamento das articulações e dos músculos. Focando a abordagem nos músculos, podemos defini-los como estruturas individualizadas que cruzam uma ou mais articulações, e através da sua contração são capazes de transmitir-lhes movimento. Esse movimento é efetuado pelas células especializadas denominadas fibras musculares, cuja quais possuem uma energia latente ou podem ser controladas pelo sistema nervoso. Portanto podemos dizer que os músculos são capazes de transformar energia química em mecânica.
A cor do músculo vivo é vermelha, e essa coloração provém da mioglobina, presente nas fibras musculares, que é uma proteína semelhante à hemoglobina, presente nos glóbulos vermelhos, e tem o papel de conservar oxigênio (O2) advindo da circulação para o metabolismo oxidativo. Vale destacar que do peso corporal, 40 a 50% é proveniente da musculatura.
Entendendo melhor sobre o que é, precisamos saber para que servem, qual sua função. Como foi dito anteriormente na definição, uma das funções principais é a produção dos movimentos corporais. Também, tem-se que a musculatura é responsável por estabilização das posições corporais, como ficar em pé ou sentado, e isso dá-se pela contração dos músculos esqueléticos, que quando contraídos estabilizam as articulações.
Os músculos também atuam na regulação do volume dos órgãos, uma vez que a contração sustentada das faixas anelares dos músculos lisos pode impedir a saída do conteúdo de órgãos ocos. Também é função do sistema muscular movimentar as substâncias pelo corpo, ou seja, através das contrações dos músculos lisos das paredes dos vasos sanguíneos que se tem a regulagem de fluxo, tendo ainda estes a capacidade de mover alimentos, urina e gametas do sistema reprodutivo. Já os músculos esqueléticos promovem o fluxo da linfa e o retorno de sangue ao coração. E por fim, podemos dizer que os músculos também são responsáveis por produção de calor, e isso de da pelo processo de contração, sendo esse calor liberado pelo músculo usado na manutenção da temperatura corporal.
Quanto à divisão dos grupos, tem-se que são nove, sendo eles: cabeça, pescoço, tórax, abdômen, região posterior do tronco, membros superiores, membros inferiores, órgãos dos sentidos e períneo.
Passando a tratar da classificação dos músculos, dividimo-los em categorias que são quanto à forma e arranjo de suas fibras, quanto à origem, quanto à inserção, quanto ao número de ventre muscular e quanto à ação ou função muscular. Abaixo vamos tratar essas categorias uma a uma.

Quanto à forma do músculo e arranjo de suas fibras

A função do músculo esta relacionada à sua forma e arranjo de suas fibras. Os músculos têm suas fibras dispostas paralelas ou oblíquas à direção de tração exercida ou ao tendão.
Na disposição paralela das fibras, há predomínio apenas do comprimento muscular como, nos músculos longos, curtos, circulares e largos.
Nos músculos longos é comum notar uma convergência de fibras musculares em direção aos tendões de origem e inserção, sendo que a parte média tem um diâmetro maior que as extremidades, chamados de fusiforme.
Também na disposição paralela das fibras, há equivalência do comprimento e largura muscular como, nos músculos largos.
Nestes músculos as fibras se convergem para um tendão em umas das extremidades, chamado de leque.
Na disposição oblíqua da fibra, os músculos apresentam fibras oblíquas em relação aos tendões e são denominados peniformes (lembra uma pena).
Porém, se os feixes musculares se prendem em apenas uma borda do tendão é dito unipenado e se os feixes se prendem nas duas bordas é dito bipenado.

Quanto à origem

Quando os músculos se originam por mais de um tendão, ou seja, apresentam mais de uma cabeça de origem, são ditos bíceps, tríceps, quadríceps, conforme possuem duas, três ou quatro cabeças de origem.

Quanto à inserção

Do mesmo modo os músculos podem se inserir por mais de um tendão. Quando há dois tendões são ditos bicaudados e quando há três ou mais tendões são ditos policaudados.

Quanto ao número de ventre muscular

Alguns músculos podem apresentar mais de um ventre muscular com tendões intermediários situados entre eles. São ditos digástricos quando o músculo apresenta dois ventres e poligástricos, quando o músculo possui mais de dois ventres.

Quanto à função ou ação musucular

Para este tipo de classificação vai depende da ação principal resultante da contração muscular, ou melhor, dizendo do movimento.
O mesmo pode ser classificado em flexor, extensor, adutor, abdutor, rotador medial, rotador lateral, pronador, supinador, flexor plantar e flexor dorsal, dentre outros.
Você sabia que alguns músculos podem ter mais de uma classificação? Por exemplo, o músculo bíceps braquial que apresenta duas cabeças de origens, por isso é chamado de bíceps, mas também ele é classificado quanto a sua ação que é um grande flexor do antebraço.

Ficou interessado e quer saber mais sobre o assunto? Confira o curso de Cinesiologia e conheça também nosso portfólio de cursos na área de Educação Física e Esporte.

Receba novidades dos seus temas favoritos

Se aprofunde mais no assunto!
Conheça os cursos na área da Saúde.

Mais artigos sobre o tema