Teoria de Betty Neuman

Betty Neuman nasceu em 1924, em Ohio. Seu pai, passando por longo período de internação hospitalar e vindo a falecer, quando tinha 11 anos de idade, elogiava o trabalho das enfermeiras, influenciando Neuman quanto à sua opção profissional, determinada a tornar-se uma dessas enfermeiras no futuro.

Pobre e sem recursos, trabalhou como técnica em recuperação de instrumentos aeronáuticos e como cozinheira em Dayton, Ohio, economizando recursos para sua sobrevivência e projeto educacional posterior. Por meio do Programa do Corpo de Cadetes-Enfermeiros, antecipou seu ingresso na enfermagem hospitalar, formando-se em 1947, desenvolvendo Mestrado em Saúde em 1966.

Em 1985, tornou-se PhD em Psicologia Clínica. Atuou em diversas funções como enfermeira em instituições hospitalares e ambientes comunitários. Em 1967, após Mestrado, assumiu cadeira no programa onde havia se formado, retornando a Ohio em 1973 para prosseguir estudos de sua Teoria de Enfermagem.

O Modelo de Sistemas de King iniciou-se em 1970, como resposta à solicitação de estudantes de graduação da Universidade da Califórnia para que fosse criado curso proporcionando visão geral dos aspectos fisiológicos, psicológicos, socioculturais e desenvolvimentistas dos seres humanos.

O modelo preconizado por Neuman tem enfoque holístico no Modelo de Sistemas que desenvolveu e apresenta forte influência de sua experiência pessoal e profissional, dentro da filosofia do ajudar cada um a viver.

Para ela, a enfermagem é considerada um sistema porque a sua prática contém elementos em interação, considerando o Holismo tanto um conceito filosófico quanto biológico, incluindo os relacionamentos que surgem da totalidade, da liberdade dinâmica e da criatividade, à medida que o sistema responde aos estressores dos ambientes externos e internos.

O Modelo de Sistemas de Neuman baseia-se em dois principais componentes, que são o estresse e a reação ao mesmo, em que o indivíduo (indivíduo, grupo, família, comunidade) é constituído por um sistema aberto e dinâmico, com ciclos de entrada, processo, saída e retroalimentados contínua e organizadamente.

Ocorre interação entre indivíduo e ambiente, que se afetam um ao outro, com reciprocidade de trocas e ajustes. As influências ambientais são denominadas intra, inter e extrapessoais.

As variáveis apresentadas no modelo são: fisiológicas, psicológicas, socioculturais, desenvolvimentistas, espirituais, estrutura básica e recursos de energia, linhas de resistência, linha normal de defesa, linha flexível de defesa, estressores, reação, prevenção primária, secundária e terciária, fatores interpessoal, reconstituição com o ambiente, saúde e enfermagem incluídas no processo.

Basicamente, a estrutura é formada por fatores de sobrevivência fundamentais comuns à espécie (por exemplo, manutenção da temperatura, características genéticas, entre outras, do indivíduo), dentro de um conceito de sistema aberto, com reações e respostas, retroalimentação e busca pelo equilíbrio pelo próprio sistema.

As variáveis individuais (fisiológicas, psicológicas, socioculturais, desenvolvimentistas e espirituais) agem em harmonia e com estabilidade em relação aos estressores externos e internos, e estas variáveis são entendidas pela enfermagem. As linhas de resistência agem como protetoras da estrutura básica, sendo ativadas quando a linha de defesa normal é invadida pelos estressores ambientais, como por exemplo, o sistema imunológico.

Se essas linhas de resistência não conseguirem suportar os estressores, pode ocorrer a morte do indivíduo. A linha normal de defesa representa as respostas ao ambiente e pode ser rompida quando a linha flexível de defesa não protegê-la. Neste ponto, ocorre a resposta do sistema do indivíduo, reagindo à forma de instabilidade e doença.

A linha flexível de defesa é o limite externo e resposta inicial, tornando-se a proteção do sistema contra os estressores. Funciona como um amortecedor, cedendo, contraindo, aproximando-se da linha normal de defesa, protegendo-a, como escudo. Quanto maior a distância entre ambas, maior a proteção para o sistema.

Ambiente, para Neuman, são os fatores ou influências internas/externas que circundam o cliente ou sistema, podendo ocorrer influências entre ambos, positivas ou negativas.

A variação pode afetar a direção da resposta (como exemplo, a suscetibilidade aos agravos biológicos entre indivíduos repousados ou não). A investigação do ambiente, pelo enfermeiro, consiste nas seguintes situações:

– O que foi criado e qual a natureza do ambiente criado?
– Que extensão é utilizada e que valor o indivíduo coloca nele?
– Que proteção é necessária ou possível e qual ideal estão para ser criados?

Os estressores são definidos como estímulos que produzem tensões e têm potencial para a instabilidade do sistema, podendo ser intra, inter e extrapessoal. Estão presentes dentro e fora do sistema, sendo importante a determinação, pelo enfermeiro, do tipo, natureza, intensidade, momento de encontro deste com o sistema e a reação observada, quantificando a energia utilizada.

Para Neuman, a saúde é resultante desse equilíbrio ou estado de bem-estar em determinado momento, sendo vista como continuidade do conforto para a doença, dinâmica e versátil ao longo do tempo. A prevenção primária, secundária e terciária, como intervenções de enfermagem, é importante para reter, atingir e manter o equilíbrio do sistema.

A primária é quando a prevenção ocorre antes da reação ao estressor, incluindo promoção da saúde e manutenção da higidez. A prevenção secundária ocorre após reação do sistema ao estressor, nos termos dos sintomas identificados, e o objetivo da intervenção deve ser o enfoque do fortalecimento das linhas internas de defesa, protegendo a estrutura do sistema, tratando-se os sintomas, adquirindo a estabilidade e conservar energia. Sua falha pode resultar em morte.

A prevenção terciária, quando ocorre após as reações às intervenções secundárias, com o objetivo de manter o bem-estar e/ou reconstrução do sistema e conservando a energia, podendo reconduzir o processo de intervenção à prevenção primária.

A enfermagem tem como fundamental papel proporcionar e auxiliar o indivíduo a manter, recuperar e reconstruir a estabilidade do sistema e da estrutura, estabelecendo vínculo permanente entre o sistema do indivíduo, ambiente, saúde e enfermagem. Este modelo pode ser utilizado por outras disciplinas/profissões de saúde, embora tenha como enfoque a enfermagem.

Gostou do conteúdo e ficou interessado em saber mais? Siga acompanhando nosso portal e fique por dentro de todas nossas publicações. Aproveite também para conhecer nossos cursos e ampliar seus conhecimentos.

Receba novidades dos seus temas favoritos

Se aprofunde mais no assunto!
Conheça os cursos na área da Saúde.

Mais artigos sobre o tema