Urgências e Emergências: Hemorragias nos Animais


Hemorragia é toda a perda de sangue que o organismo possa sofrer, seja ela rápida (aguda) ou de forma lenta e gradativa (crônica).

Uma perda de grande volume de sangue em pouco tempo irá provocar uma parada cardíaca, pois o coração não terá líquido suficiente dentro dos grandes vasos sanguíneos para bombear.

Hemorragias externas: são fáceis de detectar, pois você visualiza a perda de sangue. Normalmente, ela é provocada por um corte, perfuração ou brigas entre cães.

As partes do animal que estão mais vulneráveis a ferimentos são: as patas e orelhas que normalmente são machucadas por objetos afiados e vão sangrar muito quando cortadas.

Em qualquer ferimento que esteja sangrando, o maior objetivo dos primeiros socorros é evitar a perda excessiva de sangue, que pode levar a um choque e consequente parada cardíaca.

Se um ferimento estiver jorrando sangue, significa que uma artéria foi cortada. Isso requer atendimento imediato.

Superficiais: atingem só a pele. Os pequenos vasos que irrigam a pele são rompidos e a perda de sangue é considerável, mas raramente fatal.

Tratamento


• Aplicar compressas de gaze sobre o corte e pressione por alguns minutos. Mantenha a pressão até o sangramento cessar. O tempo para que isso ocorra é variável e está relacionado com a região do corte e a extensão da lesão. Normalmente, as extremidades sangram bastante.
• Pegar um pouco de adrenalina e jogar sobre o vaso que está sangrando ajuda a fazer uma vasoconstrição local, diminuindo o sangramento;
• O mais importante é localizar o vaso que está sangrando, pinçá-lo com uma pinça hemostática e em seguida usar um fio de sutura para ligá-lo. Isso deve ser feito o mais rápido possível.
• Fazer uma desinfecção e suturar o corte.

Vasos sanguíneos: se um vaso sanguíneo for atingido (veia ou artéria), a hemorragia pode ser grave e deve ser estancada imediatamente.
Os vasos que podem ser atingidos mais facilmente localizam-se nas patas, cauda, orelhas e pescoço.

No caso de patas ou cauda, você pode aplicar um torniquete (foto), que estancará a hemorragia.

Se usar o torniquete, afrouxe-o a cada 15 minutos e depois volte a apertar. Quando usamos um torniquete suprimimos a vascularização local, isso diminui a hemorragia, mas não devemos deixar essa parte do organismo mais de 15 minutos sem afluxo sanguíneo.
Cortes profundos

É comum ocorrerem e, geralmente, são causados por brigas entre cães, cacos de vidro, cercas de arame farpado e outros.

A pele é irrigada por pequenos vasos sanguíneos e as lesões causam sangramento considerável. Não se apavore com o sangue, ele pode ser controlado facilmente.

Tratamento


Primeiramente, estanque a hemorragia pressionando o local com compressas de gaze.

Certifique-se que nenhum vaso foi atingido (caso tenham sido, haverá muito sangue e você não conseguirá estancar).

No caso de não conseguir estancar o sangramento deve-se então procurar o vaso que está promovendo a perda de sangue e este deverá ser pinçado e imediatamente ligado com fio de sutura.

Após controlar a saída de sangue, fazer tricotomia local e limpar o ferimento com soro fisiológico e povidine tópico.

Após a limpeza, proteger o local contra moscas aplicando uma gaze ou atadura sobre o ferimento.
Os cortes podem ser suturados até 6 horas após a lesão. Após esse período de tempo já existem muitos componentes inflamatórios e fatores da cicatrização presentes no local, neste caso para que seja suturado deve-se fazer uma curetagem local.

Os ferimentos não fechados por sutura irão cicatrizar lentamente, deixando cicatrizes maiores e risco de miíase.

Sangramento no tórax ou abdômen


Se o ferimento é no tórax e você ouve um som parecido com sucção, faça um curativo para evitar a entrada de ar.

Compressas estéreis ao redor do ponto de entrada.

Faça uma bandagem firme ao redor do ponto de entrada.

Fazer uma toracocentese para verificar se houve ruptura na cavidade torácica e se houve entrada de ar ou se há presença de sangue na cavidade pleural.

Levar o animal para fazer uma radiografia torácica.

Se tiver lesão em pleura ou parênquima pulmonar, corrigir a causa primária por meio de toracocentese e/ou toracotomia.

No caso de um ferimento abdominal devemos fazer uma punção, abdominocentese para verificar se há presença de sangue ou urina.

No caso de haver sangue ou urina, o mais indicado é uma laparotomia exploratória para correção da ruptura existente.

Sangramento na orelha


Cubra o ferimento com uma compressa estéril.
Coloque o curativo nos dois lados da orelha.
Depois, dobre por cima da cabeça do cachorro e segure firme para controlar a hemorragia.
Enrole as orelhas e a cabeça com bandagem.
Usar esparadrapo para colar e manter a compressão.

Sangramento nas unhas


Comprima uma gaze ou compressa estéril contra a unha.

Pegue por meio de uma seringa um pouco de adrenalina e jogue em cima do corte com intuito de promover vasoconstrição local ou então pó hemostático.

O sangramento deve parar em alguns minutos.

Hemorragia interna


Uma hemorragia interna é sempre uma emergência.

Sinais:
• Gengivas pálidas ou brancas indicam que o cão está em choque e pode ter ferimentos ou hemorragia interna grave. Se as gengivas estiverem rosadas provavelmente o cão não está em choque.
• Batimento cardíaco ou respiração acelerada;
• Sangramento pelas orelhas, nariz, boca ou reto;
• Determine o batimento cardíaco. Conte o número de batidas em 10s e multiplique por seis. Se o cachorro estiver em choque seu batimento deve ser mais de 150 batidas por minuto.
• Coloque o cachorro de lado com a cabeça estendida.
• Puxe a língua do cachorro com cuidado para manter a entrada de ar livre.
• Eleve um pouco a parte traseira do cachorro, usando um travesseiro ou toalhas dobradas.

Gostou do artigo? Inscreva-se no blog, conheça os cursos da área e continue nos acompanhando.

Receba novidades dos seus temas favoritos

Se aprofunde mais no assunto!
Conheça os cursos na área da Saúde.

Mais artigos sobre o tema