Vias de administração de medicamentos: Endovenosa

A administração de medicamentos endovenosa se dá através de um acesso venoso na corrente sanguínea, isso facilita a absorção do medicamento pelo paciente causando um efeito imediato.

De uma maneira geral, utilizam-se agulhas do tamanho 25x e 6/7 de calibre, com bisel longo, para facilitar a abordagem. Esta punção, além de poder ser feita com seringa e agulha (coleta de sangue), também pode ser feita com os seguintes dispositivos:

– Escalpes: agulhas curtas de aço, com asas tipo borboleta, feitas de material plástico, cuja finalidade é facilitar o manuseio, indicadas para infusões de curta duração. CATETER INTRAVENOSO PERIFÉRICO DE CURTA DURAÇÃO.

– Jelco ou Abocath: Cateteres plásticos curtos, que são indicados para punções periféricas. Podem permanecer na veia por até 72 horas.

CATETER INTRAVENOSO PERIFÉRICO DE MÉDIA DURAÇÃO.

Técnica de administração de remédios endovenosas:

01. Preparar o material necessário;

02. Rever a prescrição médica e lavar as mãos;

03. Preparar a medicação e aplicação da droga, observando os princípios de assepsia;

04. Calçar a luva de procedimento;

05. Garrotear acima do local escolhido, solicitando que o paciente feche a mão e mantenha o braço em hiperextensão e imóvel;

06. Pedir ao paciente para abrir e fechar a mão diversas vezes, com o braço voltado para baixo, que auxiliará na dilatação das veias;

07. Realizar antissepsia do local, com algodão e álcool a 70%, no sentido do retorno venoso, trocando o algodão quantas vezes for necessário;

08. Esticar a pele com o polegar da mão não dominante, logo abaixo do local da punção, para manter a veia estável;

AGULHA: Introduzir a agulha com a outra mão (bisel para cima), em um ângulo de 25 a 45º. Após o sangue fluir adequadamente na seringa, pedir ao paciente que abra a mão.

SCALP: Introduzir a agulha com o bisel para cima, em um ângulo de 25 a 45º, observando o sangue fluir pela extensão. Obs.: a extensão deve estar preenchida com solução fisiológica 0,9%.

ABOCATH: Introduzir o cateter com bisel para cima, em um ângulo de 25 a 45º. Após o sangue fluir no reservatório, introduzir o cateter retirando simultaneamente a agulha, comprimir a ponta do cateter já no interior da veia pelo lado externo, para retirar totalmente a agulha;

09. Retirar o garrote;

10. Retirar o garrote e injetar lentamente a medicação ou conectar o equipo;

11. Retirar a agulha (no caso de punção com agulha) e comprimir o local da punção com algodão por cerca de 2 a 3 minutos, mantendo o braço estendido e elevado;

12. Fixar cateteres, com esparadrapo ou fita hipoalérgica, identificando-se o dia, a hora e o responsável pela punção;

Scalp: Fixar um esparadrapo logo abaixo e logo acima do local de punção, envolver as asas “tipo borboleta” com uma fita de esparadrapo, cruzando-a na região anterior, enrolar a extensão e fixar sobre as asas do scalp.

Abocath: Fixar um esparadrapo logo abaixo do local de punção, outra fita sobre a porção externa do cateter, envolver esta porção com outra fita cruzando na região anterior, tipo “gravatinha”.

13. Descartar o algodão, seringa e agulha, em recipiente apropriado;

14. Retirar as luvas e descartá-las diretamente no saco plástico de lixo hospitalar;

15. Após o procedimento, lavar as mãos;

16. Orientar o cliente a não flexionar o cotovelo, evitando a formação de trombos e possível embolia, após punção, ou parada do soro na manutenção de cateteres intravenosos.

É importante salientar, que a aplicação de medicação endovenosa, deve ser feita por profissionais devidamente capacitados e registrados em órgão de saúde, para que não possa colocar em risco a integridade do paciente.

Gostou do nosso artigo? Confira os nossos cursos e comece a sua carreira!

Receba novidades dos seus temas favoritos

Se aprofunde mais no assunto!
Conheça os cursos na área da Saúde.

Mais artigos sobre o tema